Indianos e paquistaneses discutem as consequências de uma pequena guerra nuclear

Uma investigação realizada por cientistas norte-americanos lançou há quase 10 anos o alerta sobre as devastadoras consequências para a humanidade no caso de uma guerra nuclear entre a Índia e o Paquistão. E os dois países parecem apostados em testar o estudo.

A semana passada, Subramanian Swamy, um destacado político indiano do partido BJP, no poder, declarou que “se 100 milhões de indianos morressem após um ataque nuclear, a retaliação indiana “limparia o Paquistão da face da Terra”.

O jornal indiano Hindustan Times recuperou o estudo de uma equipa de investigadores da Rutgers University, da Universidade de Colorado-Boulder e da Universidade da California, nos Estados Unidos, e recorda que as consequências de um conflito entre as duas pequenas potências nucleares seriam devastadoras – para todo o planeta.

De acordo com o estudo, se a Índia e o Paquistão usassem 100 ogivas nucleares, cerca de metade do seu arsenal, cada uma com o equivalente ao potencial destrutivo da bomba lançada contra Hiroshima (15 mil toneladas de TNT), 21 milhões de pessoas morreriam no espaço de apenas uma semana.

Mas o número de mortes, causadas pelos efeitos directos da explosão nuclear, por queimaduras e pela radiação aumentaria consistentemente semana após semana.

Além disso, metade da camada de ozono da Terra seria destruída, com um impacto devastador no clima de todo o planeta.

O Inverno Nuclear que se seguiria causaria danos dramáticos na agricultura mundial e traria fome a mais de 2 mil milhões de pessoas – mais de um terço da população da Terra.

Este cenário hipotético parece uma hipótese académica discutida no âmbito de um estudo científico.

Mas entretanto, em resposta ao inflamado discurso de Subramanian Swamy, o ministro da Defesa paquistanês já respondeu, ameaçando “eliminar a Índia em retaliação”.

Em 2015, o Paquistão possuía entre 110 e 130 ogivas nucleares, 66% das quais instaladas em mísseis balísticos. Já a quantidade de ogivas nucleares da Índia é estimadas em 110 a 120 unidades.

Segundo Sameer Patil, investigador do centro de estudos Gateway House citado pela Sputnik News, os mísseis balísticos de médio alcance paquistaneses, equipados com ogivas nucleares, poderão atingir as quatro maiores cidades da Índia: Nova Delhi, Mumbai, Bengalore e Chennai.

Ao mesmo tempo, diz o investigador, “considerando que o território paquistanês é menor, é possível que a Índia ataque as cidades paquistanesas de Islamabad, Rawalpindi, Lahore e Karachi”.

Os políticos e analistas indianos e paquistaneses parecem estar a levar a sério os seus jogos de guerra.

E como se sabe, ninguém ganha jogos desses – sejam eles a famigerada Guerra Termonuclear Global, ou uma escaramuça nuclear entre dois vizinhos que se odeiam.

AJB, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. A Independência da Índia foi um dos maiores erros históricos de sempre. Um país tão atrasado quanto aquele nunca deveria ter saído da tutela da Grã-Bretanha. E a divisão da mesma em dois estados, um deles islâmico, foi outro erro trágico. Com os muçulmanos, nada de liberdades: só rédea curta e pouca conversa.

RESPONDER

"Relação estava cristalizada". PS satisfeito com retoma do "diálogo cordial" com CDS

O presidente do PS saudou, esta terça-feira, a "retoma" de um relacionamento "cordial" com a nova direção do CDS-PP em torno de matérias de interesse nacional, considerando que se verificou uma transição e acabou uma …

Ministra espanhola não pensa "nem um segundo" em substituir Centeno

A ministra dos Assuntos Económicos de Espanha, Nadia Calviño, assegurou que não dedica “nem um segundo” a pensar numa candidatura à presidência do Eurogrupo, apontando que Mário Centeno “está a fazer um excelente trabalho”. A cerca …

Grupo alemão de extrema-direita tinha planos "assustadores" para atacar mesquitas

Um grupo alemão de extrema-direita, em que 12 elementos foram detidos na semana passada, é suspeito de planear ataques em larga escala "assustadores e chocantes" contra muçulmanos, semelhantes aos realizados na Nova Zelândia no ano …

Novo Banco deverá pedir perto de mil milhões de euros ao Fundo de Resolução

O Novo Banco prepara-se para pedir uma nova injeção ao Fundo de Resolução a rondar os mil milhões de euros. Com este montante, o banco atinge o teto definido na venda ao fundo Lone Star. O …

"Nunca tive um processo como este". Juiz Carlos Alexandre "surpreendido" com o caso Tancos

O juiz Carlos Alexandre assumiu, em pleno tribunal, estar "surpreendido" com os meandros que envolvem ocaso de Tancos. "Nunca tive um processo como este", terá desabafado em mais uma audiência, notando que o caso "mostra …

Maduro anuncia exercícios militares permanentes e de surpresa

O Presidente venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou esta terça-feira que o país fará exercícios militares "de surpresa" e de maneira permanente, em manobras que poderão incluir centenas de milhares de membros da Força Armada Nacional Bolivariana …

Bolsonaro recebe Jorge Jesus, mas muitos não gostaram da fotografia

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, recebeu esta segunda-feira, em Brasília, o treinador português Jorge Jesus, após ter conquistado no domingo a Supertaça ao serviço do Flamengo. Depois de, no domingo, ter conquistado a Supertaça ao serviço …

Cientistas encontram 300 vírus "enormes" com habilidades estranhas

Uma equipa de investigadores identificou 300 novos vírus "enormes" com habilidades estranhas encontrados em vários ambientes. Estes podem causar doenças nos seres humanos. Os vírus têm sido um tema habitual ultimamente, abrindo jornais e deixando a …

Seguro de saúde específico para britânicos visa "mitigar" consequências do Brexit

Com o objetivo de minimizar o impacto do 'Brexit' no turismo, a secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, informou que estão em curso estratégias para "mitigar as consequências" e encorajar os "turistas a continuar a …

Já foram identificados alguns dos adeptos que insultaram Marega. Arriscam prisão até 5 anos

A Polícia de Segurança Pública (PSP) já identificou alguns dos adeptos que estiveram envolvidos nos insultos racistas ao jogador Moussa Marega, do FC Porto, durante o jogo no Estádio do Vitória de Guimarães. Arriscam penas …