Tensão na Caxemira. Índia lançou ataque aéreo no Paquistão

As autoridades indianas confirmaram ter lançado, esta segunda-feira, um ataque aéreo na Caxemira paquistanesa e abatido “um grande número” de militantes do grupo islâmico Jaish-e-Mohammed (JeM), em resposta ao atentado-suicida, na semana passada, que matou 42 pessoas na Caxemira indiana.

Na madrugada desta terça-feira, a Índia fez ataques aéreos no Paquistão. A ofensiva já foi confirmada pelo Governo indiano, apesar de no início não ter dado quaisquer detalhes sobre a operação. No entanto, horas depois, revelou que o ataque aéreo se dera numa base terrorista em Balakot, numa província do Paquistão chamada Khyber Pakhtunkhwa.

Segundo a Bloomberg, também um porta-voz do exército paquistanês se pronunciou, confirmando que foram utilizados meios aéreos indianos no ataque. No entanto, o responsável rejeitou a reivindicação da Índia de que o ataque tivesse como alvo uma base de um grupo terrorista, numa declaração enviada pelo gabinete do primeiro-ministro do País, Imran Khan.

Dirigindo-se ao exército e à população, o Governo terá dito para “estarem preparados para possíveis desenvolvimentos”. Além disso, agendou uma reunião da Autoridade Nacional de Comando do Paquistão para 27 de fevereiro – entidade responsável pelas políticas nucleares do país.

Vijay Gokhale, secretário dos Negócios Estrangeiros da Índia, mantém a sua posição e afirma que o ataque foi “uma ação preventiva não-militar que tinha como alvo específico um campo do Jaish-e-Mohammed”, um grupo jihadista que opera na região. Segundo o diplomata indiano, citado pelo Observador, a ação permitiu evitar vítimas civis.

As diferenças nas versões dos dois países é notória e não se fica pelo alvo atingido. Fonte do Governo indiano disse à Reuters que, na sequência dos ataques aéreos, terão morrido 300 presumíveis terroristas. Já fontes da agência de notícias indiana PTI apontam para um número superior: “350 [presumíveis] terroristas” mortos. O Paquistão, por sua vez, garante que não houve feridos nem mortos perto de Balakot.

A versão indiana e o campo do Jaish-e-Mohammed

De acordo com a versão indiana, o campo do Jaish-e-Mohammed (JeM), base do grupo jihadista, terá sido o principal alvo do ataque, em particular um centro de treinos para bombistas suicidas.

Segundo a agência de notícias indiana ANI, o campo estaria localizado numa zona florestal, no topo de uma colina, muito distante da povoação mais próxima.

Vijay Gokhale adiantou que a base do grupo terrorista seria dirigida por Maulana Yusuf Azhar, cunhado do fundador e líder do grupo terrorista Maulana Masood Azhar. O diplomata indiano acrescentou que havia informação “credível” de que este grupo jihadista estivesse a planear ataques semelhantes ao que aconteceu há 12 dias na povoação indiana de Pulwama, que causou a morte de 40 oficiais de segurança indianos.

A ANI avança que o ataque terá destruído “por completo” bases jihadistas em Balakot, Chakothi e Muzaffarabad. O ataque terá consistido no lançamento de bombas com 1000 quilogramas em zonas paquistanesas e na operação terão estado envolvidos 12 aviões da Força Aérea Indiana. No entanto, esta informação ainda não foi confirmada oficialmente.

A primeira vez desde 1971

Esta é a primeira vez que a Força Aérea Indiana faz uma ofensiva no espaço aéreo paquistanês desde a guerra de 13 dias que opôs os dois países em 1971.

Em declarações aos jornalistas, o Ministro dos Negócios Estrangeiros do país, Shah Mahmood Qureshi, afirmou que a Índia “cometeu uma agressão contra o Paquistão” e que violou a Linha de Controlo Militar acordada entre os dois país.

“O Paquistão tem o direito de dar uma resposta adequada em auto-defesa”, declarou.

Na semana passada, 42 pessoas morreram num atentado suicida que ocorreu na Caxemira indiana, tornando-se o mais mortífero ataque desde 2002. Reivindicado pelo grupo islâmico JeM, o atentado-suicida foi perpetrado com uma carrinha carregada de explosivos detonada perto de uma coluna de 78 veículos transportando cerca de 2.500 membros da Central Reserve Police Force (CRPF), uma força paramilitar.

A região de Caxemira é reivindicada tanto pela Índia como pelo Paquistão desde o fim da colonização britânica, em 1947. O total das forças indianas na parte controlada por Nova Deli é estimado em cerca de 500 mil efetivos.

Uma rebelião separatista mortífera destabiliza a Caxemira indiana desde 1989. A Índia acusa o Paquistão de apoiar de forma dissimulada as infiltrações na sua parte do território e a própria revolta armada, o que Islamabad sempre negou.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

O detetive a bordo do rover da NASA Perseverance

Marte está muito longe da famosa 221 Baker Street, mas um dos detetives mais conhecidos da ficção estará representado no Planeta Vermelho quando o rover Perseverance da NASA pousar no dia 18 de fevereiro de …

Nem o mar profundo se safa das alterações climáticas

Um novo estudo mostra que as alterações climáticas já estão a bater à porta do mar profundo, e os seus habitantes poderão em breve estar em perigo. De acordo com o site IFLScience, a equipa de …

Príncipe belga pede desculpa por violar confinamento em festa ilegal em Espanha

O príncipe Joachim da Bélgica disse “lamentar profundamente” não ter respeitado “todas as medidas” do confinamento durante uma viagem a Espanha, onde participou numa festa ilegal em Córdoba que está a ser investigada pela polícia. Depois …

Politólogo que previu que Trump seria Presidente vaticina a sua reeleição

O politólogo que previu que Donald Trump seria Presidente dos Estados Unidos vaticina agora a sua reeleição em novembro de 2020. Helmut Norpoth, professor de ciências políticas da Universidade Stony Brook, nos Estados Unidos, previu …

Índia regista mais de oito mil novos casos. Tem "uma longa batalha" pela frente

A Índia registou mais de oito mil novos casos de covid-19 num único dia, um novo recorde desde o início da pandemia no país, foi este domingo anunciado. O número de casos confirmados de covid-19 na …

Jovens bolivianos forçaram picada de viúva-negra. Queriam ser como o Homem-Aranha

Três irmãos bolivianos de 8, 10 e 12 anos acabaram hospitalizados depois de fazerem com que uma viúva negra os picasse para que ficassem com super-poderes como o Homem Aranha. "Pensando que a [picada] lhes …

Bloco exige retirada de norma "insultuosa" no apoio a recibos verdes

O Bloco de Esquerda (BE) exigiu este domingo ao Governo que retire do formulário de apoio para os trabalhadores independentes uma norma "insultuosa" que lhes exige o compromisso de retomarem a atividade no prazo de …

Espetada de porco 2.0. Novameat propõe carne impressa em 3D para o jantar

A Novameat, uma empresa espanhola de tecnologia alimentar, apresentou um novo produto: carne de porco à base de plantas impressa em 3D, a que batizaram de espetada de porco 2.0. A Novameat quer apoiar um sistema …

Uber acusada de exploração de trabalhadores em Itália

Um tribunal de Milão ordenou a nomeação de um administrador judicial para a Uber Itália durante um ano, após ter determinado que o serviço de entrega de refeições da empresa explorava os trabalhadores. De acordo com …

Pinto de Costa: "Se Rui Moreira tivesse avançado, não me candidatava"

Pinto da Costa revelou que não teria avançado para a recandidatura à presidência do FC Porto se o presidente da Câmara do Porto tivesse entrado na corrida. "Se o Rui Moreira se tivesse candidatado, embora …