Incumprimento de horários na prisão de Lisboa causou “gritaria” entre reclusos

O diretor geral dos Serviços Prisionais afirmou, este sábado, que o abandono do posto por vários guardas do Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL) provocou “alguma gritaria” entre os reclusos, mas negou que tenha havido qualquer espécie de motim.

Em declarações à agência Lusa, Celso Manata disse que “houve um conjunto de guardas que às quatro horas da tarde abandonaram o serviço ilegalmente”, o que provocou “dificuldade em manter os horários normais” nas visitas, refeições e medicação.

Houve alguma gritaria, mas não passou disso”, disse o responsável pelas prisões em Portugal, referindo que o grupo de intervenção policial dos serviços prisionais foi chamado à prisão, como “faz parte dos procedimentos, mas nem sequer atuou”.

Ao início da noite, a situação estava normalizada, garantiu.

“Todo o serviço atrasou”, lamentou, e “houve um gradão que caiu porque os presos se encostaram”, referiu Celso Manata, garantindo que os guardas que saíram “vão ter um processo disciplinar por causa disso”.

Também em declarações à Lusa, o presidente do Sindicato Nacional do Corpo dos Guardas Prisionais, Jorge Alves, disse que os problemas ocorreram na ala E da prisão, onde estão entre 200 a 300 reclusos, que protestaram quando viram a hora da visita encurtada para meia hora.

Segundo o sindicalista, depois da rendição de pessoal às 16h00, os guardas que entraram tiveram que verificar as condições de segurança, o que levou a que as visitas só começassem de facto às 16h30, deixando apenas meia hora aos reclusos e visitantes.

Jorge Alves descreveu que os reclusos partiram caixotes do lixo, deitaram a comida para o chão, vandalizaram o refeitório à hora de jantar e os guardas do EPL só conseguiram que regressassem às celas pelas 20h30.

O sindicato afirma que o EPL se debate com falta de efetivos da guarda prisional, o que tem levado a que serviços como as consultas médicas sejam sistematicamente adiadas.

Celso Manata indicou que o novo horário por turnos de oito horas, que começou em janeiro deste ano em seis estabelecimentos prisionais “tem estado a funcionar bem em todo lado, menos em Lisboa”.

Os guardas que saíram às 16h00 deviam ter saído às 19h00, disse.

O diretor dos Serviços Prisionais referiu que o horário antes de janeiro tinha turnos de 24 horas seguidas e era considerado “desumano” pelos guardas, que também se queixavam de não receber horas extraordinárias, “o que também era verdade”.

No entanto, agora “não há horas extra não pagas e os guardas ganham subsídio de turno”, garantiu, afirmando que o desacordo dos guardas se explica porque “agora é mais difícil terem outras profissões”.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Horas extraordinárias obrigatórias… voltámos ao tempo da escravatura? Se calhar o que faz falta é contratar mais guardas e não abrir processos disciplinares…

RESPONDER

"Em Casa d’Amália": RTP comemora cententário da fadista

A Fundação Amália Rodrigues junta-se à RTP para assinalar o centenário da fadista. O programa Em Casa d’Amália tem estreia marcada para a próxima sexta-feira (10) e reúne várias figuras da música portuguesa da atualidade. O …

Desapareceram 21 milhões de números de telefone na China. Mas o mistério foi resolvido

O porta-voz de uma das três maiores operadoras chinesas confirmou o desaparecimento dos utilizadores, mas deu uma explicação para este mistério. Nos últimos dias, surgiram vários relatos de notícias que davam conta de que, entre janeiro …

Mercadona doa 20 mil quilos de chocolate aos profissionais de saúde e aos mais carenciados

A Mercadona anunciou, esta quarta-feira, a doação de 20 mil quilos de chocolate ao Banco Alimentar Contra a Fome do Porto. O objetivo é proporcionar uma Páscoa mais doce aos mais carenciados e aos que …

"Paciente 1" em Itália recupera (e dá as boas-vindas a Giulia, a sua filha recém-nascida)

Giulia, a filha recém-nascida do "paciente 1" de Itália, veio para trazer alguma esperança ao país, em plena pandemia de covid-19. Mattia, de 38 anos, foi internado no dia 20 de fevereiro no hospital de Codogno, …

Investigadores transformaram o coronavírus em música (e já o podemos ouvir)

Uma equipa de investigadores do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) conseguiu transformar em som a estrutura da proteína spike, que permite que o novo coronavírus adira às células para infetá-las. Até agora, já pudemos ver …

Autoeuropa quer recorrer ao lay-off (e retomar produção a 20 de abril)

A administração da Autoeuropa quer promover um regresso gradual ao trabalho a partir de 20 de abril, pretendendo recorrer ao lay-off simplificado para os trabalhadores que não regressem ao trabalho nessa data. “O regresso ao trabalho …

Ex-mulher de astronauta acusada de mentir sobre o "primeiro crime espacial"

A ex-mulher da astronauta da NASA Anne McClain, Summer Worden, foi acusada formalmente de mentir sobre o "crime espacial" que McClain terá cometido. Em agosto de 2019, o jornal norte-americano The New York Times noticiou que …

Em Singapura, os parques de estacionamento são agora quintas urbanas

A pandemia de covid-19 está a obrigar alguns países a adaptarem-se. É o caso de Singapura, que está a transformar os parques de estacionamento em quintas urbanas para aumentar a produção alimentar. Só 1% do território …

O empresário mais odiado do mundo quer sair da prisão (para desenvolver um medicamento para a covid-19)

Martin Shkreli, o empresário mais odiado do mundo, quer sair brevemente da prisão para ajudar a desenvolver um tratamento para a covid-19. Num artigo publicado no site da empresa de Shkreli, Prospero Pharmaceuticals, juntamente com outros …

Ceferin acusado de ganância. "Manter a Liga dos Campeões foi um ato criminoso irresponsável"

O primeiro-ministro da Eslovénia, Janz Jansa, teceu duras críticas à forma como a UEFA e o seu presidente, Aleksander Ceferin, lidaram com a fase inicial da pandemia de covid-19. "Manter a Liga dos Campeões foi um …