/

Incêndios “sem precedentes” devastam Sardenha

Peter da Silva / EPA

Condições climatéricas adversas e severas, como altas temperaturas e ventos fortes, estiveram na origem dos incêndios florestais que se registaram em vários países do sul do continente europeu, como Itália, Espanha, França ou Grécia.

A ilha da Sardenha, Itália, está desde sábado a ser atingida por incêndios florestais de de grande dimensão, que já consumiram 20 mil hectares de território e obrigaram à deslocação de 1500 moradores. A comunicação social local apelidou os fogos de “apocalípticos“, com prejuízos equivalentes ou potencialmente superiores aos causados pelos incêndios de 1983 e 1994.

A província de Oristano foi atingida pelos fogos no sábado, que destruíram propriedades e produções agrícolas. A vila de Scano di Montiferro foi evacuada, e cerca de 400 pessoas foram forçadas a procurar refúgio na periferia, escreve o Público. O mesmo terá acontecido com habitantes de outras vilas e aldeias, tais como Santu Lussurgiu, Cuglieri, Sennariolo, Tresnuraghes, Magomadas, Flussio e Tinnura.

Christian Solinas, presidente da região de Sardenha, descreveu os fogos como “um desastre sem precedentes“. De acordo com a EuroNews, “pelo menos dez mil hectares de vegetação foram destruídos, lojas e casas foram queimadas e o gado morreu”.

Na origem dos fogos, e a dificultar o trabalho dos bombeiros na frente de combate (cerca de sete mil operacionais), podem ter estado os ventos quentes e fortes. Perante a severidade das chamas, as autoridades regionais já pediram auxílio ao Governo central para dar resposta aos pedidos de auxílio das populações mais afetadas. “Precisamos de um plano de apoio imediato“, alertou Solinas.

https://twitter.com/JanezLenarcic/status/1419363236932112386

O próprio Governo central já requereu ajuda para o combate aos fogos junto das autoridades europeias, no âmbito do Mecanismo de Proteção Civil da União Europeia, o qual vai permitir o envio de aeronaves de combate a incêndios — apesar do medo dos moradores de que estes recursos não cheguem em tempo útil.

Para além das ilhas italianas, as condições climatéricas (altas temperaturas e ventos fortes) propícias a grandes e violentos fogos fez-se sentir em vários países do sul da Europa, com incêndios a ocorrerem na Catalunha, no sul de França e na Grécia.

  ARM, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.