Incêndio descontrolado alastra a Silves e Portimão. Monchique à espera de plano de limpeza há 7 meses

Filipe Farinha / Lusa

A zona onde se iniciou o incêndio que lavra há vários dias na serra de Monchique, no distrito de Faro, está há sete meses à espera da aprovação de um plano de intervenção, que prevê a abertura de caminhos e de pontos de água para os bombeiros. Um dado que surge quando os bombeiros profissionais criticam o Governo pelas medidas implementadas.

Os representantes dos bombeiros profissionais pediram uma audiência “muito urgente” com o ministro da Administração Interna para “saber porque voltamos a ter fogos com uma duração de mais de três dias, tanto mais que era conhecido há meses que a Serra de Monchique constitui uma zona de alto risco“.

Uma posição que surge depois da reunião entre a Direcção Nacional da Associação Nacional de Bombeiros Profissionais (ANBP) e o Sindicato Nacional de Bombeiros Profissionais (SNBP), onde se avaliou a situação dos incêndios rurais, especialmente o incêndio na serra de Monchique, no Algarve, que lavra há vários dias.

Os bombeiros profissionais contestam as medidas tomadas pelo Governo para o combate aos incêndios, bem como as medidas de prevenção, criticando o facto de o fogo de Monchique ainda não estar controlado, apesar de envolver “mais de um milhar de operacionais, duas centenas de veículos, 13 meios aéreos e um número considerável de máquinas de arrasto”.

As duas entidades de bombeiros consideram “lamentável que voltem a ser destruídas habitações e que o perímetro urbano do concelho de Monchique esteja a viver dias de terror”. Por isso, apelam ao Governo para “repensar a estratégia de combate” aos incêndios, desafiando as autoridades a apurarem se “não haverá falhas técnicas e operacionais que se repetem de ano para ano”.

“Um processo burocrático estúpido e sem fim”

Críticas chegam também da Associação dos Produtores Florestais do Barlavento Algarvio (ASPAFLOBAL) que lamenta que o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) mantém na gaveta um plano para a Zona de Intervenção Florestal (ZIF) da Perna da Negra, onde se iniciou o incêndio de Monchique, e que prevê a abertura de caminhos, aceiros e pontos de água.

Há cerca de sete meses que enviámos para o ICNF um plano estruturante para a ZIF de Perna da Negra [gerida pela ASPAFLOBAL] e nada foi feito”, queixa-se o presidente desta Associação, Emílio Vidigal, em declarações ao Público. “Está tudo embrulhado na burocracia, só nos fazem perguntas de lana caprina e nada avança”, acrescenta.

“Há mais de um ano que todos sabem que Monchique estava no topo da lista das zonas com maior risco de incêndios florestais. Há mais de um ano que todos sabem que a serra de Monchique era a próxima a arder“, diz ainda Emílio Vidigal.

Um dos principais problemas que os bombeiros têm enfrentado no combate ao incêndio de Monchique é precisamente a falta de caminhos de acesso e de pontos de água. Uma situação que deixa Emílio Vidigal “revoltado” porque “toda a gente sabe que esse era um dos problemas que era preciso resolver”, diz. “O ICNF há muito tempo que sabe que isso precisava de ser feito com urgência. Está tudo identificado e explicado no nosso plano“.

Emílio Vidigal revela ainda que, “dois dias antes destes incêndios”, o ICNF enviou à ASPAFLOBAL “um conjunto de 30 perguntas” em que pediam dados como “os estatutos da associação” ou comprovativos de que não têm “dívidas à segurança social”. “Um processo burocrático estúpido e sem fim”, critica.

O presidente da ASPAFLOBAL tem também a “certeza” de que se o plano da Associação tivesse sido implementado, o combate ao incêndio no terreno “teria sido mais efectivo”, porque “os bombeiros, em vez de estarem a olhar para os helicópteros a despejarem água, tinham podido combater as chamas do terreno e isso podia ter mudado muita coisa”.

Fortes reactivações complicam combate

As chamas continuam a lavrar em Monchique, com mais de mil operacionais a fazerem o combate no terreno, apoiados por 341 veículos e um total de 24 máquinas de rasto.

Nesta altura, o fogo já se estendeu também aos concelhos de Portimão e Silves. Durante a noite, foi necessário evacuar mais de 250 pessoas das suas casas, por precaução, e todos os acessos a Monchique estão cortados, conforme apurou o jornal i.

Os meios aéreos – um helicóptero bombardeiro pesado, cinco helicópteros bombardeiros ligeiros, seis aviões bombardeiros médios, cinco aviões bombardeiros pesados e dois aviões de avaliação e coordenação para apoio à decisão – recomeçaram, nesta terça-feira de manhã, o combate ao incêndio que começou na sexta-feira, pelas 13 horas, tendo provocado até ao momento 29 feridos ligeiros e um grave.

A Protecção Civil salienta que se registam “em todo o perímetro do incêndio fortes reactivações que, associadas à intensidade do vento, tomam de imediato grandes proporções”.

A previsão meteorológica permanece desfavorável, com ventos moderados com rajadas fortes e temperatura a rondar os 35 graus. Todavia, a humidade relativa vai aumentar para 35% a 40%, o que pode ajudar no combate.

A Protecção Civil apela às populações para que cumpram “escrupulosamente” as indicações das autoridades.

Entretanto, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, anunciou, em conferência de imprensa, que a direcção de operações vai agora passar para o Comando Nacional da Protecção Civil, falando de “uma grande operação em condições adversas”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Toda a gente sabia que isto iria acontecer mas os governantes não querem saber do povo para NADA. O povo só serve p/ votar p/ eles continuarem a ROUBAR e pôr-nos a pagar impostos e mais impostos, p/ eles se encherem. Data de CORRUPTOS. O outro como no ano passado está de FERIAS e deixa-se estar, Não é NADA com ele. Este Povo é muito pacifico se fosse outro já tinham tomado outras atitudes…

  2. estas situações acontecem porque a irresponsabilidade dos nossos governantes só serve para eles se servirem, caso eles tivessem que pagar coimas pelos erros e promessas que fazem creio que a situação económica se resolvia no primeiro mês de governação, vejam só quanto já arrecadaram pelas multas passadas aqueles que na maior parte dos casos nem dinheiro tem para comprar uma garrafa de agua a quem poderia limpar os seus terrenos, triste miséria de PAÍS

    • E quem iria aplicar ou passar multas ou contra-ordenações a esta cambada de aproveitadores do povo? Comilões já temos que chegue. Alterem os estatutos do deputados e que passem a ter as “mordomias” e vencimentos iguais aos dos funcionários públicos. Deputado ou qualquer outro cargo político não são profissão. Alterem as regras de funcionamento, estatutos e outras virgulas da AR e veremos se temos tantos candidatos aos lugares de mamões!
      Queixavamo-nos do PSD e kompanhia e afinal estes tretas são ainda piores!

  3. Incêndio descontrolado ?!? Não !
    Governo descontrolado… e de férias !
    Incêndio de Monchique podia ter sido evitado.
    A ignorância aos avisos, e a lentidão e falta de meios nos primeiros momentos da ignição colocaram em perigo aquela zona do país.
    Para já, rolou a cabeça do comandante que liderava o ataque. Mas se não mudarem a atitude tudo ficará em cinzas.

  4. com os mafarricos a governar(em) se a nossa custa… com o vermelho do sangue , sugado ao povo aos velhos despejados das suas casas, aos pobres por quem nem seqer sentem compaixao, com as foices e martelos em punho contra deus e contra a partia e contra a familia… so podiam chamar o fogo e a desgarça à nossa querida terra….mas infelizmente nem o rolha dos beijinhos nem o bon senso de muitos abstencionistas impede que as chamas do inferno se propague e se instale.

  5. O problema é estrutural e de base.
    Trata-se de uma cambada de burocratas que empancam tudo para justificar comissões, analistas, estudos e mais estudos… Andamos governados por parasitas incompetentes e idiotas que defendem, estupidamente, romantismos e ideologias poéticas enquanto o povo morre queimado, massacrado e explorado.
    Recentemente passei na estrada Alcanede – Monsanto – Alcanena e é revoltante ver como é que uma canalhada a que chamam Parque Natural e afins compromete e condiciona todo o bem estar e desenvolvimento de um povo, bloqueando as obras de recuperação de uma estrada que é a principal via de comunicação e transportes de um sector fundamental para a Indústria do Calçado e para a Economia Portuguesa. Há pelo menos 20 anos que esta estrada principal precisa de uma intervenção de fundo, sendo que, neste momento mais parece um caminho de cabras, frequentado diariamente por camiões e carrinhas de transportes, sem vestígios de escrúpulos ou ações dos iluminados de secretária, nem tão pouco de quem devia dar uns murros na mesa e rifar os pelouros e interesses desses parasitas.
    É exatamente o mesmo que acontece com as medidas de prevenção dos incêndios florestais…
    Estupidez demagógica de quem mata a função em detrimento da (má)forma.
    E é pago por isso!!!

  6. O que é verdade é que os incêndios dão pão a muita gente, os bombeiros quanto mais horas tiverem mais ganham, os madeireiros lucram, os pilotos dos aviões e helicópteros lucram, as empresas que gerem as manutenções dos meios aéreos lucram, os jornalistas/jornais e TVs lucram, as empresas que vendem o material de combate a incêndios lucram, os funcionários da proteção civil lucram…
    O único que fica a ver os carros eléctricos a passar é o Zé povinho!
    Até à oposição lucra com os incêndios, mas quando lá estavam faziam exatamente o mesmo!
    Em relação às férias do Costa Xamussas, não vejo questão, desde que esteja contactável!

Responder a jose Cancelar resposta

China acusada de violar sanções à Coreia do Norte. EUA oferecem recompensa de 5 milhões

A China está a ser acusação de uma “violação flagrante” da obrigação de aplicar sanções internacionais à Coreia do Norte. Os Estados Unidos estão a oferecer uma recompensa de cinco milhões de dólares por informações. De …

Fabricante de aeronaves Embraer revela ter sido vítima de ataque informático

A fabricante aeronáutica brasileira Embraer informou esta terça-feira, em comunicado, que sofreu um ataque informático aos seus sistemas. A Embraer frisou, em comunicado divulgado aos acionistas, que o ataque “resultou na divulgação de dados supostamente atribuídos …

Filho de Michael Schumacher ascende à Fórmula 1 em 2021

O alemão Mick Schumacher, filho do antigo piloto Michael Schumacher, ascende à Fórmula 1 na próxima temporada, para pilotar um dos carros da escuderia Haas, anunciou esta quarta-feira a equipa norte-americana. Atual líder do campeonato de …

Costa diz que ilegalização do Chega não é resposta, mas sim solucionar problemas

O primeiro-ministro considerou esta terça-feira que a resposta política mais eficaz ao Chega não passa pela sua ilegalização, mas por solucionar os problemas sociais que alimentam o populismo e explicam a existência do partido. António Costa …

Após atropelamento que fez 5 mortos na Alemanha, polícia exclui hipótese de terrorismo

O condutor que ontem provocou cinco mortes ao atropelar várias pessoas numa zona pedonal, em Trier, mostra sinais de "distúrbios psiquiátricos", afirmou o procurador dessa cidade do oeste da Alemanha, com a polícia a descartar …

Sonangol admite sair do Millennium BCP se surgir uma "boa oportunidade"

A petrolífera angolana Sonangol, segundo maior acionista do Millennium BCP com cerca de 20%, admitiu aproveitar alguma “boa oportunidade” que surja para vender a sua participação. A informação foi transmitida pela Sonangol de Sebastião Gaspar Martins, …

Portugal com mais 68 mortos e 3.384 novos casos de covid-19

Portugal contabiliza esta quarta-feira mais 68 mortos relacionados com a covid-19 e 3.384 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da pandemia, Portugal já registou 4.645 …

Tribunal de Contas usa inteligência artificial para controlar entidades

O Tribunal de Contas (TdC) começou a utilizar um sistema baseado em inteligência artificial para controlar as contas de cerca de 6.500 entidades que estão sob a sua alçada. Segundo noticiou esta quarta-feira o Correio da …

Açores decreta cerca sanitária em Rabo de Peixe

O governo regional decretou que vai implementar uma cerca sanitária em Rabo de Peixe, devido ao crescimento dos casos de covid-19. A freguesia de Rabo de Peixe, na ilha de São Miguel, nos Açores, vai ficar …

Uma brecha na coligação israelita. Gantz ameaça apoiar moção de censura e derrubar Governo

Benjamim Netanyahu, primeiro-ministro israelita, pediu ao parceiro de coligação para votar contra a moção de censura ao Governo, apresentada esta quarta-feira no Parlamento. Mas Benny Gantz, ministro da Defesa, disse que o seu partido votará a …