Imposto sobre refrigerantes reduziu o seu consumo

O imposto especial sobre as bebidas com maior teor de açúcar levou mais de 40% dos inquiridos num estudo da Universidade Católica esta sexta-feira divulgado a reduzir o seu consumo, comportamento que adotariam também com novos impostos semelhantes.

O estudo do Observatório da Sociedade Portuguesa da Universidade Católica dedicado a conhecer os hábitos alimentares dos portugueses foi aplicado entre novembro e dezembro de 2019 a 995 participantes, que responderam a um questionário online. A maioria dos participantes são mulheres (657). Os participantes têm idades compreendidas entre os 18 e os 73 anos e mais de 70% tem habilitações ao nível do ensino superior.

Numa secção dedicada à perceção de políticas de promoção de hábitos alimentares saudáveis, os resultados do estudo demonstram que 41,1% dos participantes afirmam que reduziram o consumo de bebidas açucaradas depois da entrada em vigor do imposto especial sobre estas bebidas.

Cerca de 10% deixaram de as consumir por completo e 36,8% dos participantes admitem ainda que refletem mais antes de as consumir.

“Os participantes concordam em geral com a aplicação de impostos especiais a alimentos com alto teor de açúcar, sal ou gordura”, lê-se no relatório, que explica que o nível de concordância foi medido numa escala de 1 a 7, em crescendo com o grau de concordância. Refrigerantes (alto teor de açúcar adicionado e edulcorantes); batatas fritas de pacote (alto teor de sal); gelados (alto teor de açúcar); e enchidos (alto teor de gordura), são exemplos de alimentos em relação aos quais os participantes admitem concordar com novos impostos especiais, com níveis de concordância superiores a 4.

Novas taxas levariam a mais reflexão

Num cenário em que novos impostos se concretizem, 41,3% dos participantes admitem que iriam reduzir o seu consumo (numa média calculada para as respostas para o que seriam as três novas taxas: açúcar, sal e gordura). Do total de inquiridos 35,5% admitem também que novas taxas levariam a uma maior reflexão pessoal sobre o seu consumo.

Sobre hábitos alimentares, os resultados mostram que o consumo de frutas e vegetais é a categoria que a grande maioria associa a uma dieta saudável e que está bastante enraizada a perceção de que o excesso de açúcar, sal e gordura prejudicam uma alimentação saudável.

Por ordem decrescente, as respostas mais dadas no inquérito sobre a perceção do que é uma dieta saudável referem “comer mais frutas e vegetais” (90,3%); “comer uma variedade de alimentos” (87,8%); “evitar alimentos com muito açúcar” (84,3%); “evitar alimentos com muita gordura” (77,2%); “ evitar comidas com aditivos” (75,4%); e “evitar o consumo de sal” (67,7%).

Reduzir hidratos de carbono, comer menos carne e mais peixe fazem parte da conceção de dieta saudável de metade dos participantes. Mais de 90% dos inquiridos considera o seu regime alimentar entre moderadamente a bastante saudável e 83,4% admite ter feito mudanças nos hábitos alimentares nos 12 meses anteriores ao inquérito.

A mais mencionada foi uma maior ingestão de água, seguindo-se o menor consumo de álcool, de mais frutas e vegetais e de menos açúcar.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Desenho de Van Gogh esteve guardado mais de 100 anos. Agora, é exibido pela primeira vez

O Museu de Amesterdão, nos Países Baixos, ganhou um novo inquilino: Study for 'Worn Out', um desenho recém-descoberto de Vincent van Gogh. O holandês Vincent van Gogh ainda continua a impressionar o mundo inteiro com a …

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã, com receio de que os avanços dos últimos 20 anos tenham sido conquistados em vão. A Vice falou com algumas professoras afegãs que garantem continuar …

Apenas um terço das crianças em 91 países tem acesso a uma alimentação adequada, alerta UNICEF

Apenas um terço das crianças com menos de dois anos em 91 países em desenvolvimento têm acesso aos alimentos que necessitam para um crescimento saudável, revelou um relatório da UNICEF, apontando que nenhum progresso foi …

Preços das casas voltaram a aumentar no segundo trimestre

Entre abril e junho, o índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos. A revelação foi feita esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu …

China anuncia fim de novas centrais a carvão no estrangeiro

Segundo os especialistas, o impacto da medida deverá depender da forma como será implementada, podendo ter um grande impacto na luta contra as alterações climáticas. Num anúncio bem recebido por ativistas e organizações ambientes, a China …

Roménia vai distribuir €200 mil a quem tiver vacinação completa contra a covid-19

A Roménia anunciou uma "lotaria de vacinação" que distribuirá prémios de até 200.000 euros entre aqueles que tiverem a vacinação completa, na tentativa de elevar a taxa de imunização, a segunda mais baixa da União …

Antes da invasão ao Capitólio, Bannon ajudou a planear estratégia para "matar a presidência de Biden no berço"

O estrategista-chefe da campanha de Donald Trump, Steve Bannon, revelou que falou com o ex-Presidente antes da invasão ao Capitólio, a 06 de janeiro, discutindo as condições para "matar a presidência de [Joe] Biden no …

Costa prepara novo alívio de restrições para vigorar a partir de 1 de outubro

António Costa prepara-se para anunciar, na quinta-feira, o levantamento de um conjunto de restrições que vigoraram por causa da covid-19. O primeiro-ministro, António Costa, prepara-se para anunciar na quinta-feira o levantamento de um conjunto de restrições …

IPO Porto. Cirurgias fora do horário suspensas desde julho

As intervenções cirúrgicas feitas fora do horário normal estão suspensas no bloco central do IPO do Porto desde o dia 1 de julho. Os profissionais de saúde do IPO do Porto estão indisponíveis para realizar intervenções …

Rio critica "vigarice" das sondagens. Líder do PSD acredita na vitória de Moedas

Esta tarde, ao lado de Francisco Rodrigues dos Santos e de Carlos Moedas, Rui Rio apelou a que não se acredite nas sondagens que, "ou são mal feitas, ou são encomendadas: uma vigarice". O presidente do …