20% dos imperadores romanos foram assassinados (e a culpa pode ser da chuva)

Um novo estudo sugere que os assassinatos de Imperadores romanos podem estar ligados com épocas de pouca precipitação e, por isso, de menos comida.

Roma Antiga foi um lugar perigoso para ser Imperador. Afinal, durante os mais de 500 anos da sua história, cerca de 20% dos 82 imperadores foram assassinados quando estavam no poder, escreve o Live Science.

De acordo com um novo estudo, que vai ser publicado na edição de outubro da revista científica Economics Letters, podemos culpar a chuva. O raciocínio dos cientistas é que, quando a precipitação era baixa, as tropas romanas – que dependiam da chuva para que os alimentos cultivados pelos agricultores crescessem – podiam morrer de fome.

“Isto levava os militares ao limite de partirem para um motim”, afirma o principal investigador da pesquisa, Cornelius Christian, professor assistente de Economia na Brock University, em Ontário, Canadá. “E esse motim, por sua vez, fazia com que o apoio ao Imperador entrasse em colapso, tornando-o mais propenso a ser assassinado”.

O investigador chegou a esta conclusão ao utilizar dados antigos, relacionados com o clima, provenientes de um estudo publicado, em 2011, na revista Science. Nessa pesquisa, a equipa de cientistas analisou milhares de anéis de árvores fossilizados de França e da Alemanha e calculou os valores de precipitação nesses locais (expressos em milímetros) em todas as primaveras dos últimos 2.500 anos. Esta área já fez parte da fronteira romana, onde as tropas militares estavam estacionadas.

De seguida, Christian recolheu dados sobre motins militares e assassinatos de imperadores romanos. A partir daí, “foi apenas uma questão de juntar os diferentes pedaços de informação”, explica.

O cientista ligou todos os dados através de uma fórmula e descobriu que “menores valores de precipitação significava que havia mais probabilidades de virem a acontecer assassinatos porque pouca chuva também significava menos comida“.

Um desses casos é o Imperador Vitellius, assassinado em 69 d.C, um ano de pouca chuva no Império Romano. “Foi um Imperador aclamado pelas suas tropas”, explica o cientista da universidade canadiana. “Infelizmente, foi surpreendido pelas chuvas escassas daquele ano. As tropas revoltaram-se e, eventualmente, foi assassinado em Roma“.

Mas, como é frequentemente, muitos fatores podem levar a um assassinato. Por exemplo, o Imperador Commodus foi assassinado em 192 d.C porque, em parte, os militares ficaram indignados quando este começou a agir acima da lei, inclusive fazendo com que os gladiadores perdessem de forma propositada no Coliseu.

Não foi uma seca que levou ao assassinato de Commodus, “mas geralmente há uma seca que precede ao assassinato do Imperador”, afirma Christian. “Não estamos a tentar dizer que a chuva é a única explicação para todas estas coisas. É apenas uma das muitas variáveis potenciais que podem levar isso a acontecer”.

Contudo, este é um estudo preliminar que precisa de uma investigação mais aprofundada, defendem outros cientistas, até porque a maioria dos assassinatos na Roma Antiga aconteceram simultaneamente com outros fenómenos como a inflação, surtos de doenças e guerras externas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Jovem esfaqueou quatro pessoas na cidade francesa de Périgueaux

Um jovem esfaqueou esta terça-feira quatro pessoas na cidade francesa de Périgueaux, tendo uma delas ficado gravemente ferida, segundo a imprensa local, adiantando que a investigação descarta a hipótese de se tratar de um ato …

Greve dos enfermeiros adia mil cirurgias no São José, Santa Maria e São João, avança sindicato

A greve dos enfermeiros, que cumpre esta terça-feira o segundo dia, vai obrigar ao adiamento de mil cirurgias nos hospitais de Santa Maria e S. José, em Lisboa, e no São João, no Porto, disse …

Câmara de Pedrógão Grande não revela onde gastou donativos dos incêndios

O presidente da Câmara de Pedrógão Grande "vive numa espécie de bolha incontactável" e não revela onde foram gastos os donativos atribuídos para ajuda às vítimas dos trágicos incêndios que assolaram aquela zona em 2017. A …

Jogadores do Sporting apontam o dedo a Bruno de Carvalho no incidente de Alcochete

Ouvidos no âmbito da investigação do incidente em Alcochete, Battaglia e Mathieu - ambos jogadores do Sporting presentes no dia das agressões - apontaram o dedo a Bruno de Carvalho, relembrando que o então presidente …

Jacarta está a afundar e pode ficar submersa já em 2050

Os especialistas alertam que, se nada for feito, alguns lugares da capital da Indonésia podem acabar completamente debaixo de água até 2050. "A possibilidade de Jacarta ficar submersa não é nenhuma brincadeira", adverte o investigador Heri …

Polémica na Web Summit. Marine Le Pen está de volta

O convite feito a Marine Le Pen para participar na Web Summit que se realiza entre 5 e 8 de Novembro, no Altice Meo Arena, em Lisboa, está a gerar polémica. E a SOS Racismo …

Dezenas de mortos após queda de ponte em Génova

A ponte Morandi, localizada sobre a auto-estrada A10, em Génova, no norte Itália, colapsou esta terça-feira. As autoridades admitem que o colapso da estrutura pode ter feito dezenas de mortos e feridos. Inicialmente as autoridades não …

BE e DECO de mãos dadas nas críticas ao BdP sobre serviços mínimos bancários

O Bloco diz que o Banco de Portugal defendeu interesses dos bancos e não dos consumidores enquanto que a DECO defende que grande percentagem da população não sabe o que significa o valor do Indexante …

Carro rompe barreira de segurança do Parlamento em Londres. Suspeito detido

As autoridades britânicas estão a investigar um incidente ocorrido nesta manhã após um veículo ter batido contra as barreiras de segurança junto ao Parlamento, em Londres, no Reino Unido. O suspeito foi detido e não …

Caixas multibanco sob ameaça de ataque em massa

Bancos de todo o mundo foram avisados de que podia estar iminente um ataque em massa às suas máquinas de multibanco. SIBS nega que o apagão deste domingo esteja relacionado com o ataque. Segundo o The …