20% dos imperadores romanos foram assassinados (e a culpa pode ser da chuva)

Um novo estudo sugere que os assassinatos de Imperadores romanos podem estar ligados com épocas de pouca precipitação e, por isso, de menos comida.

Roma Antiga foi um lugar perigoso para ser Imperador. Afinal, durante os mais de 500 anos da sua história, cerca de 20% dos 82 imperadores foram assassinados quando estavam no poder, escreve o Live Science.

De acordo com um novo estudo, que vai ser publicado na edição de outubro da revista científica Economics Letters, podemos culpar a chuva. O raciocínio dos cientistas é que, quando a precipitação era baixa, as tropas romanas – que dependiam da chuva para que os alimentos cultivados pelos agricultores crescessem – podiam morrer de fome.

“Isto levava os militares ao limite de partirem para um motim”, afirma o principal investigador da pesquisa, Cornelius Christian, professor assistente de Economia na Brock University, em Ontário, Canadá. “E esse motim, por sua vez, fazia com que o apoio ao Imperador entrasse em colapso, tornando-o mais propenso a ser assassinado”.

O investigador chegou a esta conclusão ao utilizar dados antigos, relacionados com o clima, provenientes de um estudo publicado, em 2011, na revista Science. Nessa pesquisa, a equipa de cientistas analisou milhares de anéis de árvores fossilizados de França e da Alemanha e calculou os valores de precipitação nesses locais (expressos em milímetros) em todas as primaveras dos últimos 2.500 anos. Esta área já fez parte da fronteira romana, onde as tropas militares estavam estacionadas.

De seguida, Christian recolheu dados sobre motins militares e assassinatos de imperadores romanos. A partir daí, “foi apenas uma questão de juntar os diferentes pedaços de informação”, explica.

O cientista ligou todos os dados através de uma fórmula e descobriu que “menores valores de precipitação significava que havia mais probabilidades de virem a acontecer assassinatos porque pouca chuva também significava menos comida“.

Um desses casos é o Imperador Vitellius, assassinado em 69 d.C, um ano de pouca chuva no Império Romano. “Foi um Imperador aclamado pelas suas tropas”, explica o cientista da universidade canadiana. “Infelizmente, foi surpreendido pelas chuvas escassas daquele ano. As tropas revoltaram-se e, eventualmente, foi assassinado em Roma“.

Mas, como é frequentemente, muitos fatores podem levar a um assassinato. Por exemplo, o Imperador Commodus foi assassinado em 192 d.C porque, em parte, os militares ficaram indignados quando este começou a agir acima da lei, inclusive fazendo com que os gladiadores perdessem de forma propositada no Coliseu.

Não foi uma seca que levou ao assassinato de Commodus, “mas geralmente há uma seca que precede ao assassinato do Imperador”, afirma Christian. “Não estamos a tentar dizer que a chuva é a única explicação para todas estas coisas. É apenas uma das muitas variáveis potenciais que podem levar isso a acontecer”.

Contudo, este é um estudo preliminar que precisa de uma investigação mais aprofundada, defendem outros cientistas, até porque a maioria dos assassinatos na Roma Antiga aconteceram simultaneamente com outros fenómenos como a inflação, surtos de doenças e guerras externas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Minicérebro criado em laboratório consegue contrair músculos

Cientistas criaram em laboratório um minicérebro que se conectou espontaneamente à medula espinal de uma cobaia. O organóide foi também o primeiro da história a iniciar o movimento muscular. Composto por cerca de dois milhões de …

Orangotango sedado encontrado na bagagem de passageiro russo

Um turista russo que tentava traficar um orangotango foi detido em Bali, Indonésia, na sexta-feira. Andrei Zhestkov queria levar o animal para a Rússia e transformá-lo num animal de estimação. As autoridades do aeroporto indonésio decidiram …

Freddie Mercury quis que Mary Austin escondesse as suas cinzas (e já se sabe porquê)

Freddie Mercury é um dos ícones inquestionáveis da história da música. A sua maneira de entender o rock, a sua voz e a sua maneira de se mover no palco fizeram dele um dos melhores …

Fotógrafo pessoal de King Jong-un foi despedido. Estava demasiado perto

O fotógrafo pessoal do governante norte-coreano Kim Jong-un foi despedido do seu cargo e expulso do Partido Trabalhista por violar a "regra dos dois metros", ao tirar fotografias do líder supremo a uma distância muito …

Suplementos alimentares não previnem a depressão

A toma de suplementos alimentares mostrou-se incapaz de prevenir a depressão, segundo um estudo realizado em mais de mil pessoas de quatro países europeus. Os investigadores quiseram testar se a toma de suplementos nutricionais ou alimentares, …

A Wikipédia esteve em baixo (e foi de propósito)

Quatro linguagens da Wikipédia estiveram em baixo na quinta-feira: alemão, eslovaco, checo e dinamarquês - e não foi um erro técnico. Foi um protesto contra a nova lei que provavelmente será aprovada pelo Parlamento Europeu na próxima …

Cruzeiro à deriva na Noruega. Mais de 1300 pessoas resgatadas de helicóptero

Um navio de cruzeiro com cerca de 1.300 passageiros a bordo encontra-se, este sábado, à deriva na costa norueguesa, enfrentando um estado de tempo adverso, com vento forte. "O navio de cruzeiro Viking Sky lançou um …

“Coletes amarelos” passam despercebidos em Paris

Com os locais habituais de manifestação interditos e reforço militar junto às principais instituições francesas, os “coletes amarelos” são ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre turistas e parisienses. A manhã na capital …

Número de mortos em Moçambique sobe para 417

O número de mortos em Moçambique devido à passagem do ciclone Idai subiu para 417, anunciou este sábado o ministro do Ambiente moçambicano, Celso Correia, citado pela agência Reuters. O governante acrescentou que a situação …

Criação de novo centro orientado para as smart cities em debate numa conferência em Lisboa

Representantes de empresas ligadas à inovação e ao setor público vão participar num debate, na terça-feira, em Lisboa, para debater a importância das cidades inteligentes e a possibilidade de criação de um novo centro de …