Igreja Católica investiga suspeita de pedofilia por padre da diocese do Algarve

A Igreja Católica está a investigar uma suspeita de abusos sexuais de menores alegadamente cometidos há mais de 30 anos por um padre da diocese do Algarve, tendo feito também uma denúncia ao Ministério Público.

De acordo com o semanário Expresso, a denúncia foi feita por uma das alegadas vítimas no programa “Goucha”, da TVI, que contou que foi abusado sexualmente por um capelão do Exército na Casa dos Rapazes, em Faro, há mais de 30 anos.

Em reação a esta entrevista, a diocese do Algarve já garantiu que abriu um inquérito ao caso, tendo explicado que “nem antes nem depois” do programa televisivo chegou a si qualquer denúncia deste ou de qualquer outro caso.

“Não obstante, o Bispo diocesano, tendo tomado conhecimento das declarações produzidas naquele programa televisivo de entretenimento, à luz de quanto prescrevem as normas da Igreja a este propósito, pediu que fosse convocada a Comissão Diocesana de Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis para escutar o seu parecer sobre este caso, que, pelas afirmações feitas no referido programa, terá ocorrido há mais de trinta anos”, cita o jornal.

A diocese do Algarve revelou ainda que, depois deste parecer, o Bispo diocesano decidiu comunicar o caso à Congregação da Doutrina da Fé, deu conhecimento do mesmo ao Ministério Público da Comarca de Faro e determinou a realização de uma investigação prévia.

Segundo o Expresso, a Igreja garantiu ainda que o sacerdote sobre o qual recaem estas suspeitas de pedofilia colocou-se de imediato à disposição da Diocese para esclarecer este assunto.

A denúncia acontece dias depois de a Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) ter anunciado que será feito um estudo, a nível nacional, que terá como objetivo recolher testemunhos de vítimas de abusos sexuais praticados por membros do clero.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE