A Igreja Católica medieval moldou a sociedade ocidental (e deu à luz europeus “estranhos”)

As pessoas do Ocidente são psicologicamente diferentes de todas as outras pessoas do mundo. Estudos globais descobriram que os europeus ocidentais e os seus descendentes tendem a ser mais individualistas, menos conformistas e confiam mais em estranhos.

Uma nova investigação aponta a culpada: a Igreja Católica e a sua “obsessão” pelos casamentos monogâmico e na pequena unidade familiar como fundamento da sociedade.

De acordo com o estudo publicado na semana passada na revista especializada Science, países e regiões com uma maior exposição à Igreja Católica Ocidental têm maior probabilidade de ter uma psicologia individualista e não-conformista comum às nações ocidentais.

A igreja pode ter, de acordo com o LiveScience, inadvertidamente, moldado essa psicologia com políticas da era medieval que acabaram com casamentos entre primos e outros laços tribais e criaram famílias nucleares e monogâmicas.

“Muitas décadas de pesquisa mostraram que a psicologia dos ocidentais é diferente do resto do mundo, pois é mais individualista, analítico e menos conformado. No entanto, até agora, não tínhamos uma explicação sobre como as pessoas ocidentais acabaram por ter uma psicologia tão única”, disse Steven Heine, professor de psicologia da Universidade da Colúmbia Britânica que não estava envolvido no trabalho.

“Este artigo demonstra de forma convincente que as redes de parentesco das pessoas são centrais na sua psicologia e que a Igreja Católica medieval instituiu algumas políticas relacionadas à estrutura familiar que tiveram um impacto de longo alcance que continuam a afetar a forma como as pessoas no Ocidente pensam hoje, mesmo que não sejam religiosos”, continuou.

A história das novas descobertas começou em 2010, quando o antropólogo Joe Henrich, da Universidade de Harvard, juntamente com Heine e outro colega, publicou um estudo na revista Behavioral and Brain Sciences, apontando que a grande maioria dos estudos psicológicos foi conduzida sobre o que chamavam de sociedades “ESTRANHAS”: ocidentais, educadas, industrializadas, ricas e democráticas.

Estudos comparativos entre sociedades WEIRD e sociedades não-WEIRD sugeriram que os sujeitos WEIRD eram realmente estranhos – menos conformistas, mais individualistas e mais confiantes em estranhos do que a maioria do resto do mundo.

A Igreja Católica Ocidental começou a emitir decretos relacionados com o casamento e com a família. Os casamentos entre primos foram banidos, juntamente com a poligamia, o concubinato e muitas formas de casamento interfamilial que tradicionalmente fortaleciam os laços entre tribos e clãs.

Nesses arranjos, as famílias eram unidas por laços sobrepostos de casamento e relações de sangue. Isso levou ao que psicólogos e antropólogos chamam de “parentesco intensivo”. Nas sociedades de parentesco intensivo, as pessoas tendem a ser altamente leais ao grupo e a desconfiar de pessoas de fora. É mais provável que valorizem a conformidade, porque a sobrevivência nessas sociedades significa contribuir com a família e os parentes.

Por outro lado, sociedades com parentesco menos intensivo exigem que as pessoas confiem e cooperem com estranhos para sobreviver e incentivam o individualismo e a não conformidade ao grupo maior. Nessas sociedades menos intensivas, as pessoas casam-se fora das relações de sangue e estabelecem linhagens familiares independentes.

Para explicar a forma como grupos sociais como a igreja moldaram a psicologia e os valores dos seus membros, especialmente a dinâmica familiar, os investigadores compararam a forma como a religião católica se espalhou por toda a Europa contra taxas de co-residência em famílias extensas, dados sobre taxas de casamento entre primos, por exemplo, para determinar o que chamaram de “índice de intensidade de parentesco”.

Os investigadores testaram três níveis: globalmente, na Europa, e entre filhos adultos de imigrantes europeus cujos pais vieram de países ou grupos étnicos expostos à Igreja Ocidental. Os cientistas descobriram que a proibição do incesto aumentou exponencialmente o casamento monogâmico entre não-parentes. A cada 500 anos em que a sociedade estava sob a igreja, os casamentos entre primos diminuíam 91%.

“Este estudo sugere que os padrões psicológicos contemporâneos foram influenciados por processos evolutivos culturais profundos, incluindo os peculiares tabus de incesto da Igreja, políticas familiares e instituições de parentesco duradouras”, segundo os autores.

A disseminação da Igreja Ocidental afrouxou as estruturas familiares semelhantes às tribos, à medida que normas e ideias foram colocadas sobre as pessoas que frequentavam a Igreja Católica, mudando a psicologia de uma sociedade inteira.

Em situações de famílias extensas, os membros normalmente trabalham juntos para um objetivo comum, como trabalhar na quinta da família, e favorecem a tradição, o nepotismo, a obediência à autoridade. Quebrar essas grandes unidades promoveu o individualismo, a independência e a criatividade, criando uma necessidade de cooperação com outras pessoas, principalmente com estranhos que podem ajudar ou beneficiar indivíduos.

Não é claro se esta mudança foi intencionalmente projetada pela igreja ou um subproduto de um novo sistema de crenças. Os investigadores afirmam que pode ter havido um incentivo material à mudança, já que o encolhimento das redes familiares poderia significar que aqueles sem herdeiros deixariam a sua riqueza à igreja.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Criada tecnologia que traduz pensamentos diretamente em texto

Uma equipa de investigadores diz ter criado um sistema capaz de traduzir sinais cerebrais diretamente em texto escrito. Este é um passo promissor para que no futuro seja possível escrever num computador apenas com o …

Desaparecimentos, mistérios e lendas. O Triângulo do Alasca pode ser mais perigoso do que o das Bermudas

Milhares de pessoas desaparecem todos os anos no estado norte-americano do Alasca, fazendo lembrar as histórias do Triângulo das Bermudas, onde aviões e navios desapareceram sem deixar rastro. De acordo com a revista The Atlantic, três …

Descobertas sete novas aranhas-pavão. E uma parece um quadro de Van Gogh

Foram encontradas sete novas espécies de aranha do género Maratus. E há uma que se destaca por se parecer com "A Noite Estrelada", famoso quadro de Vincent Van Gogh. Nos últimos anos, as aranhas-pavão (do género Maratus) …

Estado de emergência no México suspende produção de cerveja Corona

Nem toda a publicidade é boa publicidade. Que o diga a cerveja mexicana Corona que, em tempos de pandemia, partilha o nome com o vírus de que já ninguém quer ouvir falar. Segundo o jornal The …

Gás natural pode transformar Moçambique no "Qatar de África" (se os jihadistas deixarem)

A descoberta de gás natural em Moçambique é vista como uma grande esperança para o país que, à boleia dos avultados investimentos que está a receber de grandes multinacionais, sonha tornar-se no "Qatar de África". …

Afinal, os 1.000 ventiladores doados por Elon Musk podem não ser completamente inúteis

Elon Musk, CEO da Tesla, doou mil ventiladores do tipo errado a hospitais da Califórnia, que enfrentam um número esmagador de casos de coronavírus. Agora, afinal, os ventiladores vão poder ser usados em casos de …

Cientistas preveem quatro grandes furacões no Atlântico em 2020

Cientistas da Universidade Estadual do Colorado, nos Estados Unidos, preveem que se formem quatro grandes furacões no Oceano Atlântico em 2020. De acordo com os especialistas, estes quatro furacões serão de categoria 3 a 5 na …

Neymar doa 870 mil euros para luta contra a pandemia no Brasil

O futebolista internacional brasileiro Neymar doou cerca de 870 mil euros para a luta contra a pandemia covid-19 no seu país, revelou esta sexta-feira o canal SBT. Segundo a estação de televisão brasileira, o contributo de …

França confiscou quatro milhões de máscaras destinadas a Espanha e Itália

As autoridades francesas apreenderam quatro milhão de máscaras que uma empresa sueca transportava da China para a Espanha e Itália no início do mês. A disputa diplomática foi revelada na quarta-feira pela revista francês L'Express. Segundo …

Sobe para 52 o número de elementos da PSP infetados

Subiu esta sexta-feira para 52 o número de elementos da PSP infetados com covid-19, revelou esta força de segurança, dando conta que está a ser assegurado apoio psicológico a todos os polícias com 30 profissionais. Em …