Os seres humanos alteraram a estrutura cerebral dos cães ao longo dos séculos

Uma investigação recentemente divulgada mostra de que forma o cruzamento seletivo das raças moldou o cérebro daquele que é conhecido como o melhor amigo do homem.

Os seres humanos foram responsáveis por alterar, ao longo dos tempos, o tamanho, a forma, a cor e o comportamento dos cães, mas não só. Uma recente investigação, publicada recentemente no The Journal of Neuroscience, acaba de mostrar que também fomos os responsáveis pela alteração da estrutura cerebral destes animais.

Erin Hecht, neurocientista da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, decidiu comparar os resultados de ressonâncias magnéticas de 62 cães de 32 raças diferentes. “Assim que vi todas as imagens alinhadas, o resultado saltou aos meus olhos”, disse a investigadora, citada pelo Science Alert.

Apesar de os animais apresentarem uma grande variedade de formatos e tamanhos de cabeça, nenhuma das diferenças apontadas seria capaz de explicar na íntegra as imagens cerebrais.

Hecht e a sua equipa identificaram seis regiões que, segundo os cientistas, tendem a ser maiores ou menores dependendo do cão, e que atuam de forma sincronizada. O padrão levou a investigadora a questionar-se sobre se estas regiões funcionariam em conjunto de acordo com diferentes comportamentos, e se estes estariam relacionados com as raças.

“A anatomia do cérebro varia entre raças de cães”, concluiu Hecht, “e parece que pelo menos parte dessa variação se deve à criação seletiva de comportamentos específicos, como caça, pastoreio e guarda.”

Por outras palavras, não só as formas e os tamanhos dos cérebros caninos variam de acordo com a raça, como as estruturas dentro dos cérebros são diferentes.

Enquanto que o beagles, por exemplo, são capazes de identificar, pelo olfato, tumores cancerígenos, os border collies conseguem pastorear ovelhas. Foi então que os cientistas decidiram estudar de que forma estas seis regiões cerebrais se diferenciavam conforme as características principais de cada raça, segundo a definição do American Kennel Club.

Os boxers e dobermanns, por exemplo, muitas vezes usados pela polícia, revelam diferenças significativas em relação a outras raças no que diz respeito ao olfato e à visão. Por sua vez, raças criadas para a prática de desporto têm uma rede cerebral com maior destaque para regiões responsáveis pelo medo, stress e ansiedade.

Além disso, a equipa conseguiu determinar padrões cerebrais diferentes entre cães que caçam com base no olfato e aqueles que contam com a visão como aliada.

Todos os cães analisados no estudo eram animais de estimação e não de trabalho. “É impressionante ter constatado todas estas diferenças, mesmo em cães que não são usados para este tipo de atividades”, disse Erin Hecht.

Mas estas descobertas podem ter implicações ainda mais profundas. O facto de sermos capazes de alterar uma espécie com a qual convivemos, a tal ponto de afetar a sua estrutura cerebral, é algo que, segundo a neurocientista, deve ser levado em conta.

“Acho que é uma chamada de atenção sobre o que estamos a fazer e também sobre como estamos a tratar os animais“, rematou.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Enquanto Flamengo afasta regresso de Jorge Jesus, o "Galo" vem ao ataque

O treinador benfiquista afasta o cenário de uma saída precoce do Estádio da Luz. O Flamengo rejeita o regresso de Jorge Jesus, enquanto o Atlético Mineiro manifesta o seu interesse. Jorge Jesus foi categórico: "Não vou …

"Ihor gritava como um cão atropelado". Seguranças contam nova versão em tribunal

O segurança Manuel Correia testemunhou esta quarta-feira que “ouviu gritos” de Ihor Homeniuk vindos de uma sala do SEF no aeroporto de Lisboa e que encontrou um dos inspetores com um pé em cima da …

Dos pés de Cancelo para a cabeça de Bernardo Silva. City ganha na Champions com um golo 100% português

Os internacionais portugueses João Cancelo e Bernardo Silva foram fundamentais para a vitória do Manchester City sobre o Borussia Monchengladbach (2-0), na primeira mão dos oitavos da Liga dos Campeões, com ação direta nos dois …

"População não interiorizou a gravidade da situação". Depois de Siza, Cabrita aponta o dedo aos portugueses

Num relatório sobre a aplicação do decreto do estado de emergência na segunda quinzena de janeiro, Eduardo Cabrita justifica o fecho das escolas e o fim das vendas ao postigo, culpando a população pelas decisões …

Esta época há menos 500 clubes. "É o drama absoluto", diz presidente da FPF

Esta época há menos 500 clubes em comparação com a temporada transata. O presidente da FPF, Fernando Gomes, classifica a situação de "drama absoluto". A pandemia de covid-19 e a consequente interrupção das competições foi um …

Psicólogos no recrutamento e mudanças na formação. IGAI quer acabar com discriminação na polícia

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) quer envolver psicólogos no processo de recrutamento de novos polícias e rever os currículos de formação para acabar com práticas discriminatórias nas forças de segurança. As alterações no processo de …

Coleção de joias da era Viking é encontrada na Ilha de Man. É "excecionalmente rara"

Uma coleção de joias da era Viking foi encontrada na Ilha de Man, entre Inglaterra e a Irlanda, em novembro de 2020 e foi agora classificada como tesouro. Os especialistas acreditam que os artefactos, descobertos …

“As brasileiras são mercadoria". Professor da UP suspenso por comentários machistas e xenófobos nas aulas

Após uma denúncia que reuniu assinaturas de mais de uma centena de alunas, o professor auxiliar Pedro Cosme da Costa Vieira foi suspenso pelo período máximo de 90 dias, da Faculdade de Economia da Universidade …

Houve buzinão na Luz (mas sem "carinho"). Jesus culpa covid-19 pela crise do Benfica

Algumas dezenas de adeptos protestaram junto ao Estádio da Luz com um buzinão, entre gritos de "Rua Vieira" devido aos maus resultados do Benfica. Antes disso, Jorge Jesus tinha apelado a um "buzinão de carinho" …

Marcelo remete diretamente para o Governo limites ao ruído nos prédios

O chefe de Estado incluiu o detalhe "decreto-lei do Governo", no novo decreto para a renovação do estado de emergência, para permitir que o Executivo limite o ruído nos prédios. No último decreto que executou o …