Huawei vai lançar novo topo de gama em setembro, mesmo sem Google e Android

Rungroj Yongrit / EPA

Se nada se alterar, o embargo à Huawei pelos Estados Unidos (EUA) vai entrar em pleno vigor já em novembro. Isto significa, muito provavelmente, o fim do Android em dispositivos da empresa chinesa que era – até ser colocada numa lista negra por Donald Trump – a segunda maior fabricante de telemóveis do mundo.

Mesmo assim, a Huawei deve divulgar em setembro um novo smartphone topo de gama, o Mate 30, à semelhança do que tem feito nos últimos anos, avançou a Reuters, citada na quinta-feira pelo Observador.

O Mate 30 vai ser conhecido a 18 de setembro, mas ainda não há data de lançamento. Ao mesmo meio, um porta-voz da Google afirmou que, enquanto se mantiverem as atuais restrições, o Mate 30 não pode ser vendido com aplicações da empresa, como o Google Maps ou o Gmail.

Atualmente, há um período de suspensão do embargo a decorrer nos EUA que permite às empresas “adaptarem-se” a este cenário, mantendo negócios com a Huawei. Contudo, para as empresas americanas negociarem até novembro com a tecnológica chinesa, têm de ter uma autorização do governo dos EUA, e nenhuma foi ainda concedida.

Os ‘smartphones’ da gama Mate têm sido dos principais modelos da Huawei. Em 2018, o Mate 20 foi amplamente aclamado pela crítica por ter novas funcionalidades e especificações de hardware inovadoras.

Contudo, por mais características cativantes de hardware este telemóvel tenha, como referiu um analista de mercado ao mesmo jornal, o cenário pode não ser bom. “Sem os serviços da Google, ninguém vai comprar o aparelho”, disse Richard Dawson.

A Huawei tem sempre a possibilidade de utilizar as componentes abertas do sistema operativo Android. Contudo, estando a Google proibida de trabalhar com a gigante chinesa, não tem muitas soluções para continuar a utilizar o sistema e ser cativante para os consumidores que querem utilizar os serviços da Google como utilizavam até agora.

Ao mesmo meio, um porta-voz da Huawei disse que a empresa “vai continuar a utilizar o Android e o seu ecossistema se o governo dos EUA assim o permitir”. Contudo, se não puder, vai continuar a desenvolver o seu próprio sistema operativo. Recentemente, a empresa divulgou que está a desenvolver o Harmony, o seu próprio software base para dispositivos móveis. A Huawei tem afirmado que é capaz de disponibilizar rapidamente o novo sistema operativo para os equipamentos vendidos aos utilizadores.

A hipótese de lançar um novo sistema operativo tem sido encarada por especialistas e executivos da Huawei com alguma relutância, escreveu ainda a Reuters. Atualmente, o Android é o sistema operativo móvel mais utilizado em todo o mundo, com a maioria dos utilizadores de ‘smartphones’ a usarem este software.

O Observador pediu mais informações sobre este tema à Huawei, que remeteu para as declarações do porta-voz da empresa noticiadas pela Reuters.

No início da última a semana, a Bloomberg revelou que o impacto desta incerteza quanto ao futuro da empresa, mesmo que embargo não avance, pode ser “doloroso” para as suas receitas a médio e longo prazo da Huawei.

Só este ano, a empresa estima que vai vender menos 60 milhões de equipamentos, disse o mesmo meio. Este segmento de produtos para consumidores da Huawei representou cerca de 45% das receitas em 2018 e é considerado pela gigante chinesa um sector essencial para o seu futuro.

Os EUA afirmam que a Huawei é uma ameaça à segurança nacional por espiar a favor do governo chinês. No meio de uma guerra económica entre os dois países, o bloqueio à empresa tem sido um dos pontos mais quentes. Outros países, como a Austrália ou o Japão, também têm imposto restrições à gigante tecnológica, que tem reiteradamente negado as acusações.

TP, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Para reestabelecer o equilíbrio, tento adquirir produtos sem componentes oriundos da china (que é quase uma escolha impossível), tem que ser custa a que custar

RESPONDER

Mais duas mortes e 120 novos casos. Lisboa com 60% dos novos infetados

Portugal regista esta segunda-feira mais duas mortes, 120 novos casos de infeção por covid-19 e 160 curados em relação a segunda-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). O número de pessoas internadas é …

Encontrado cadáver com 30 anos em mansão abandonada em Paris

As obras de reforma numa mansão abandonada em Paris tiveram de ser suspensas inesperadamente depois de trabalhadores terem descoberto um cadáver a decompor-se na cave há 30 anos. De acordo com o jornal britânico The Guardian, …

Quase cem mil crianças contraíram a covid-19 em apenas duas semanas nos Estados Unidos

Noventa e sete mil crianças norte-americanas foram identificadas como infetadas com o novo coronavírus (covid-19) nas últimas semanas de julho. Os números relativos a estas duas semanas são avançados pela empresa norte-americana, que cita um relatório …

A1 terá novo acesso em Grijó no sentido sul/norte em 2021

A autoestrada A1 terá em 2021 um novo acesso em Grijó, concelho de Vila Nova de Gaia, no sentido sul/norte, revelou esta segunda-feira o presidente da autarquia que acredita que, com este projeto, o nó …

Tiros em frente à Casa Branca levam à retirada de Trump de conferência de imprensa

Um agente do Serviço Secreto retirou, esta segunda-feira, o Presidente norte-americano da sala na Casa Banca na qual estava a começar uma conferência de imprensa. O período em que Donald Trump esteve fora da sala foi …

Nani candidato a melhor jogador nos Estados Unidos

Internacional português e o colega João Moutinho (este para melhor jovem) estão na corrida para os prémios e também para o onze. Os futebolistas portugueses Nani e João Moutinho, ambos do Orlando City, estão entre os …

102 dias depois, coronavírus regressa à Nova Zelândia

A Nova Zelândia anunciou a sua primeira infeção por coronavírus transmitida localmente em 102 dias esta terça-feira, o que levou a primeira-ministra do país a emitir uma ordem de confinamento em Auckland, a maior cidade …

Taiwan acusa China de querer fazer da ilha o "próximo Hong Kong"

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Taiwan, Joseph Wu, disse que há pressão da China sobre a ilha para aceitar condições políticas que farão de Taiwan o próximo Hong Kong. A Presidente de Taiwan recebeu esta …

Líderes do Líbano terão sido alertados sobre explosivos no porto de Beirute em julho

O Presidente do Líbano, Michel Aoun, e o primeiro-ministro, Hassan Diab, terão sido alertados em julho sobre a existência de 2.750 toneladas de nitrato de amónio armazenadas no porto de Beirute, avançou a agência Reuters. A …

OMS desiludida. Faltam pelo menos 90 mil milhões para investigação da vacina

O diretor da Organização Mundial de Saúde (OMS) afirmou, esta segunda-feira,  estar desiludido com a resposta global no combate à pandemia de covid-19. O responsável disse que faltam pelo menos 90 mil milhões de dólares do …