Grandes hotéis acusados de ignorar tráfico sexual. Queixa em grupo relata casos de 13 mulheres

Uma ação judicial deu entrada segunda-feira em Columbus, Ohio, nos Estados Unidos (EUA), com vários grandes grupos hoteleiros a serem acusados de lucrar com o tráfico sexual, ignorando os crimes e os danos nas vítimas.

Segundo noticiou o Diário de Notícias (DN), citando a agência Reuters, a queixa foi registada em nome de 13 mulheres que alegaram ter sido vendidas para sexo em quartos de hotel. Doze cadeias de hotéis foram acusadas de conhecer e ignorar os sinais de alerta de que mulheres e crianças eram vendidas como escravas sexuais nas suas instalações.

O caso reúne 13 ações separadas que tinham sido apresentadas em Ohio, Massachusetts, Geórgia, Texas e Nova Iorque e foi registado pelo escritório de advocacia Weitz & Luxenberg, em Nova Iorque, em nome de 13 mulheres, muitas menores de idade quando ocorreu o tráfico.

Esta é a primeira vez que a indústria hoteleira enfrenta uma ação como um grupo. Entre os citados nos 13 casos estão os grupos hoteleiros Hilton Worldwide Holdings Inc., Red Roof Inn, Intercontinental Hotels & Resorts, Best Western Hotels & Resorts e Wyndham Hotels and Resorts Inc.

Os hotéis “obtiveram lucro” e “beneficiaram financeiramente” ao “fornecer um mercado para o tráfico sexual”, lê-se no documento de participação, citando “falhas no setor”. “Essa má conduta corporativa levou ao aumento do tráfico sexual em hotéis que atingiram o nível de uma epidemia nacional”, indica ainda a queixa.

De acordo com o DN, que cita o Global Slavery Index, publicado pelo grupo de direitos humanos Walk Free Foundation, estima-se que 400 mil pessoas sejam atualmente vítimas de escravidão moderna nos EUA, do trabalho forçado ao tráfico sexual.

“Não é apenas uma maçã podre que precisa de ser tratada”, disse Luis CdeBaca, ex-comissário dos EUA contra o tráfico de pessoas. “Há anos a indústria da hotelaria sabe que o tráfico sexual e, principalmente, o tráfico sexual de crianças ocorre nas suas propriedades e, no entanto, continua a acontecer”.

Uma das vítimas relatou que foi mantida seis semanas em cativeiro, em 2012, em vários locais do Wyndham Hotels, quando tinha 26 anos. Contou que, durante esse período, teve o nariz partido por duas vezes e o rosto marcado por repetidas agressões. “Só desejo que as pessoas percebam o que realmente se passa aqui nos EUA”, disse à Reuters.

Várias redes de hotéis lançaram iniciativas nos últimos anos para combater o tráfico, como formação de equipas para identificar possíveis vítimas e consciencialização do crime entre os hóspedes. “Essas mudanças chegaram tarde demais. A questão do lucro, e não a adesão à lei, continua a influenciar a tomada de decisões”, lê-se na participação judicial.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mais de 100 mil trabalhadores independentes já pediram apoio do Governo

Mais de 100 mil trabalhadores independentes já se candidataram ao apoio extraordinário criado pelo Governo para fazer face à paragem total de atividade devido à pandemia de covid-19. Segundo o comunicado do Ministério do Trabalho, Solidariedade …

“Voltaremos a encontrar-nos”. Isabel II relembra a 2.ª Guerra Mundial e fala de um desafio "diferente"

A rainha Isabel II salientou este domingo, numa mensagem televisiva, que a pandemia Covid-19 é um desafio "diferente" de outros enfrentados pelo Reino Unido e exortou os britânicos a respeitar o confinamento. "Embora já tenhamos enfrentado …

CTT recuam. Não vão propor a distribuição de dividendos de 2019

O Conselho de Administração dos CTT - Correios de Portugal, SA informaram esta segunda-feira que já não vão propor à Assembleia Geral de Acionistas a distribuição de dividendos relativos ao exercício de 2019, como previsto, …

Há enfermeiros sem treino a trabalhar nos cuidados intensivos

A presidente do Sindicato de Todos os Enfermeiros Unidos (SITEU), Gorete Pimentel, denuncia que há enfermeiros sem treino a trabalhar em unidades de cuidados intensivos. "São necessários três a quatro meses para que um enfermeiro seja …

Ronaldo vai tornar-se o primeiro bilionário no mundo do futebol

Cristiano Ronaldo vai faturar cerca de 90 milhões de euros este ano. Isto faz com que o futebolista português atinja os mil milhões de euros em receitas durante a sua carreira. Embora Cristiano Ronaldo tenha sido …

Tribunais adiaram mais 50 mil diligências num mês

A pandemia de covid-19 obrigou os tribunais portugueses a adiar 2.445 diligências e a anular outras 28.957, escreve o jornal Público. Ao todo, foram desmarcadas 51.402 diligências, frisa o matutino na sua edição desta segunda-feira, …

311 mortes e uma subida de 4% nos casos confirmados em Portugal. Recuperados quase duplicaram

O número de mortes em Portugal relacionadas com a Covid-19 ultrapassou a barreira das 300, situando-se nas 311 vítimas, mais 16 do que no domingo. O número de recuperados também cresceu para 140. Os casos …

"Uma vergonha para o país". Morte de ucraniano leva a "mudanças profundas" no funcionamento do SEF

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, disse esta segunda-feira que vai haver “mudanças profundas no modelo de funcionamento do Centro de Instalação Temporária do SEF no aeroporto de Lisboa, na sequência do caso da …

City abre processo a Kyle Walker por festa com prostitutas durante quarentena

Kyle Walker, futebolista do Manchester City, viu o clube instaurar-lhe um processo disciplinar, depois de este ter, alegadamente, quebrado a obrigação de confinamento devido à COVID-19 numa festa com prostituas. “Os futebolistas são modelos a seguir …

"Digam aos accionistas que não há nada para ninguém". Marcelo apela à Banca (ou deixa que o Governo suspenda os lucros)

O Presidente da República reúne-se, nesta segunda-feira, com os cinco maiores bancos a actuar em Portugal para apelar à sua "sensatez" para agilizarem os empréstimos às empresas e às famílias depois de terem recebido milhões …