Hospitais da região de Lisboa aumentarão em 21% as colonoscopias em 2014

Tânia Rêgo / ABr

foto: Tânia Rêgo / ABr

foto: Tânia Rêgo / ABr

Os hospitais da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) vão aumentar em 21% o número de colonoscopias a realizar em 2014, o que traduzirá mais 5.500 exames, foi hoje anunciado.

A decisão foi anunciada depois de uma hoje reunião entre a ARSLVT e os conselhos de administração dos hospitais e no dia em que o jornal Diário de Notícias relatou que uma doente descobriu um cancro em estado grave depois de dois anos à espera de uma colonoscopia.

“Durante o ano de 2013 realizaram-se na região da ARSLVT mais de 70 mil colonoscopias, das quais 27 mil foram realizadas nos hospitais do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, adiantou a ARSLVT, em comunicado enviado à agência Lusa ao início da noite.

A administração regional registou o “esforço demonstrado hoje por todos os hospitais da região e do SNS, através do compromisso em incrementar em 5.500, 21%, o número de exames a realizar em 2014”.

A ARSLVT garantiu ainda o empenho em “elaborar um conjunto de medidas suplementares que permitam dar resposta adequada aos utentes da região nesta área”.

Em declarações hoje à agência Lusa, o presidente da ARSLVT, Cunha Ribeiro, admitiu haver um “problema preocupante” com a capacidade de resposta para realizar colonoscopias na região, tanto no setor público como no privado.

O responsável disse pretender ter, dentro de duas ou três semanas, uma estratégia definida para responder à dificuldade de realização destes exames, que servem de diagnóstico ao cancro colorretal.

As soluções que vierem a ser encontradas devem passar, segundo Cunha Ribeiro, pela “maximização da capacidade instalada nos hospitais públicos” e pelo recurso a entidades sociais e privadas, uma vez que o setor público não conseguirá ser suficiente.

Sobre a dificuldade de realização de colonoscopias nos privados com convenção com o Estado, Cunha Ribeiro disse que o assunto também está a ser analisado, mas sem adiantar mais pormenores.

O presidente da ARS lembrou ainda que o número de especialistas na região para realizar as colonoscopias é “insuficiente para as necessidades”, um problema que não será possível resolver a curto prazo.

Sobre o caso da doente que esperou dois anos para fazer uma colonoscopia, Cunha Ribeiro declarou que irá examinar o relatório que o hospital em causa, o Amadora-Sintra, vai realizar.

Segundo o jornal Diário de Notícias, a doente fez o rastreio ao cancro colorretal e a análise foi positiva, tendo sido de imediato encaminhada para o hospital Amadora-Sintra, mas foi chamada para consulta apenas um ano depois.

Em Portugal há cerca de sete mil casos de cancro do intestino por ano e, em média, morrem 11 pessoas por dia com a doença.

/Lusa

 

PARTILHAR

RESPONDER

Trabalhadores remotos estão a encher pequenas cidades (que agora têm os problemas das grandes)

A pandemia de covid-19 está a levar a um novo fenómeno: a migração para "comunidades de passagem" - pequenas cidades próximas a grandes terras e estações de esqui - à medida que mais pessoas começam …

EUA vão retirar Sudão da "lista negra" de países apoiantes do terrorismo

O Sudão vai ser retirado da lista de países apoiantes do terrorismo, anunciou na segunda-feira o Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, numa medida que permitirá ao país africano voltar a ter acesso a …

Trump testou positivo à covid-19 e Fauci não ficou nada surpreendido

Anthony Fauci, o principal especialista norte-americano em doenças infeciosas, revelou esta semana que não ficou nada surpreendido com o facto de o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ter testado positivo à covid-19.  Em entrevista ao …

Benfica castigado com um jogo de interdição da Luz

O Benfica foi punido com um jogo de interdição do Estádio da Luz e uma multa de 10.200 euros pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), por apoio a claques não …

Homem muda a matrícula do carro para ficar "invisível", mas acaba com multas pendentes de 12 mil dólares

Um especialista em segurança cibernética norte-americano, conhecido como Droogie, trocou a matrícula do seu carro e pôs em prática um plano para tentar tornar o veículo indetetável nos leitores de matrículas e sistemas de bilhetes. …

Fenprof diz que já são mais de 330 as escolas com casos positivos

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) anunciou que já são mais de 330 as escolas em que confirmou existirem casos de covid-19 e acusou o Ministério da Educação de “esconder informação” solicitada a este propósito. Os …

Boeing 737 Max novamente seguro para voar, diz regulador europeu

O 737 Max da Boeing, avião suspenso desde março de 2019 devido a dois acidentes que resultaram na morte de 346 pessoas, é novamente seguro para voar, afirmou o diretor executivo da Agência Europeia para …

Nenhum deputado quis fazer o parecer sobre lei da Stayaway Covid

A comissão de Assuntos Constitucionais viveu esta terça-feira momentos de boa disposição quando nenhum deputado se voluntariou para fazer um parecer sobre a proposta de lei do Governo para tornar obrigatória a aplicação Stayaway Covid. Apesar …

Instagram investigado na Irlanda pela gestão de dados dos utilizadores menores de idade

A comissão que regula a proteção de dados irlandesa abriu em setembro dois inquéritos à rede social Instagram, com base na gestão de dados dos utilizadores menores de idade daquela rede social. A Comissão de Proteção …

PCP vai votar contra proposta de referendo sobre a eutanásia

O PCP vai votar contra a proposta de referendo sobre a eutanásia na Assembleia da República, na sexta-feira, disse à agência Lusa fonte dos comunistas. Tradicionalmente, o PCP, que é contra a morte medicamente assistida, tem …