Homem careca decapitado em Moçambique. Criminosos acreditavam que havia ouro dentro da sua cabeça

Assassinatos contra homens carecas preocupam as autoridades em Moçambique. O último incidente deste tipo envolveu um homem que foi decapitado por criminosos que planeavam vender a cabeça a um cliente no Mali. 

Um homem careca foi decapitado em Moçambique por um grupo de criminosos que queria vender a cabeça a um cliente no Mali, por acreditar que continha ouro.

No entanto, segundo conta a BBC, o potencial comprador desapareceu, pelo que os assassinos viram-se obrigados a abandonar a cabeça na cidade de Muandiwa.

A polícia local está a investigar o caso.

Este crime é o exemplo de uma tendência notória que se tornou comum em algumas áreas de Moçambique. Estes assassinatos, que visam homens sem cabelo, acontecem com base na superstição de que as suas cabeças contêm ouro.

Em 2017 houve relatos de crimes semelhantes, com dois carecas a serem encontrados decapitados na aldeia de Milange.

Na altura, foram detidos dois indivíduos que afirmaram que os órgãos foram removidos dos corpos para serem utilizados pelos curandeiros em rituais que visavam promover a sorte dos seus clientes na Tanzânia e no Malawi.

“As suas motivações vêm da superstição e da cultura: a comunidade local acredita que os indivíduos carecas são ricos“, explicou Inacio Dina, porta-voz da Polícia Nacional, em 2017.

Dados da ONU revelam também que houve mais de uma centena de ataques contra albinos em Moçambique desde 2014.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE