Hipermercados passam a oferecer sacos de papel e de ráfia

SXC

-

Os hipermercados estão preparados para a introdução da nova taxa sobre os sacos plásticos leves, disponibilizando sacos de ráfia, em alguns casos de papel, e ‘trolleys’ como alternativas para o transporte das compras, disseram à Lusa as empresas.

A taxa sobre os sacos plásticos entra em vigor no próximo dia 15 de fevereiro, mas os hipermercados dizem estar preparados para a mudança, porque nos últimos anos têm vindo a aplicar medidas de sustentabilidade ambiental.

Por exemplo, o Continente vai “disponibilizar sacos de plásticos maiores, mais resistentes, de qualidade superior e que permitem a sua reutilização, a um preço de 0,10 cêntimos”, disse à Lusa fonte oficial da cadeia de hipermercados do grupo Sonae.

A empresa, que recordou que até à data tinha distribuído gratuitamente sacos de plástico oxo-biodegradáveis, adiantou que vai oferecer, a partir de domingo “um saco de compras reutilizável de longa duração a todos os clientes detentores de Cartão Continente, no momento da primeira compra após a efetivação do diploma”.

Além disso, irá também reforçar a gama deste tipo de sacos, bem como de ‘trolleys’ para transporte de compras “a preços acessíveis”, acrescentou.

“O Pingo Doce introduziu recentemente sacos de papel que são mais uma alternativa aos sacos de plástico que, para já, vão continuar a existir. Neste caso, tal como os sacos de ráfia (desde 2008) e os ‘trolleys’ (desde 2011) à venda nas nossas lojas, a taxa sobre os sacos de plástico não se aplica”, disse fonte oficial da cadeia de supermercados do grupo Jerónimo Martins.

Desde 2007 que o Pingo Doce deixou de oferecer sacos de plástico gratuitamente, pelo que “em sete anos vimos diminuir o consumo de sacos de plástico, em peso, em 55%, o que representa uma redução de mais de 13 mil toneladas de sacos depositados em aterro” e uma diminuição “de mais de 26 mil toneladas de emissão de CO2 [dióxido de carbono]”.

A Auchan Portugal Hipermercados,  que detém a cadeia de hipermercados Jumbo, e que “nos últimos seis anos” reduziu “em média 30% de sacos plásticos por cliente”, reforçou toda a sua estratégia e, “como alternativa à compra do saco de plástico”, criou “outras soluções com melhor relação qualidade/preço”, adiantou fonte oficial.

“Continuaremos a dinamizar ações de sensibilização para que o impacto no nosso cliente seja o menor possível com a aplicação da nova lei”, acrescentou fonte oficial do grupo.

O El Corte Inglés vai “cobrar ao cliente final os 10 cêntimos que a lei determina que os comerciantes devem cobrar pelos sacos de plástico leves, continuando a assumir o custo dos mesmos, já que o que o cliente paga pelos sacos de plástico leves é, exclusivamente, o valor da contribuição que é entregue integralmente ao Estado”, disse à Lusa fonte oficial.

“Já quantos aos sacos que tínhamos em ‘stock’, tivemos oportunidade de os gerir de forma a não haver excedentes na data de entrada em vigor da obrigatoriedade de pagamento da contribuição, pelo que não geraremos excedentes de ‘stock'”, acrescentou.

Sobre as alternativas, a mesma fonte do El Corte Inglés adiantou que a empresa “já disponibilizava, mesmo antes desta norma, opções reutilizáveis, designadamente os sacos de ráfia e os ‘trolleys'”, aos quais acrescentam agora “as opções em papel”.

Entretanto, fonte oficial do Grupo Os Mosqueteiros disse à Lusa que o “Intermarché não vai disponibilizar sacos de plástico leves” a partir do próximo domingo.

“Em alternativa, a insígnia do Grupo Os Mosqueteiros apresenta três soluções diferentes, sendo que cada loja, por ser gerida de forma autónoma por empresários independentes, poderá adotar a solução que considerar mais adequada para responder de forma eficaz às necessidades dos clientes daquela localidade”, adiantou.

“As tipologias de sacos que passarão a estar disponíveis nas lojas Intermarché são sacos de plástico mais resistentes e que podem ser reutilizados, sacos de papel, destinados a pequenas compras, e sacos reutilizáveis, para artigos de maior volume”, acrescentou fonte oficial do Grupo os Mosqueteiros.

Já o Lidl Portugal adiantou que não vai passar a ter sacos de papel, apesar de continuar “a oferecer aos seus clientes soluções ambientalmente sustentáveis e que sejam compatíveis com a realidade económica vivida pelo país”.

Fonte oficial da cadeia de retalho alemã recordou que esta tem adotado práticas de consumo sustentáveis e que “irá sempre desenvolver os melhores esforços para continuar a contribuir para a sensibilização dos cidadãos para uma maior consciência ambiental”.

“No que respeita ao ‘stock’ de sacos, não prevemos nenhum excedente em virtude do alargamento do período para a entrada em vigor da nova lei”, acrescentou fonte oficial do Lidl.

Paralelamente, outras empresas vão oferecer sacos reutilizáveis aos seus clientes, como é o caso da NACEX Portugal.

A empresa de transporte expresso do grupo Logista em Portugal anunciou hoje que vai oferecer cerca de 10 mil sacos ecológicos e reutilizáveis aos seus clientes, com o objetivo de promover uma alternativa aos sacos de plástico leves a partir do próximo domingo, altura em que estes estão sujeitos a uma taxa de 10 cêntimos (oito cêntimos mais IVA).

/Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Eu quero ver o que é que os pseudo-ecologistas vão fazer quando os sacos de ráfia começarem a encher os contentores de reciclagem reciclagem. Vai ser muito higiénico também quando o lixo orgânico começar a ir para os contentores a granel!

    • Os políticos de “aviário” são incompetentes e pensam que têm o monopólio da inteligência. No inicio dos anos 80 o então 1º Ministro Mário Soares proibiu os trabalhadores de fazerem mais de 200 horas extraordinárias por mês. Na empresa onde eu trabalhava passou a chamar-se Subsidio de Esforço. Deixem de pagar à Segurança Social e a empresa também e continuamos a fazer as horas necessárias.

PSD a 3 deputados da maioria na Madeira. CDS afasta geringonças

Miguel Albuquerque, político experiente, apreciador de música e apaixonado por rosas, voltou hoje a vencer as eleições regionais da Madeira, mas tem agora pela frente a ‘espinhosa’ tarefa de negociar um entendimento que garanta estabilidade …

Porto 2-0 Santa Clara | E vão cinco vitórias consecutivas na Liga

O FC Porto respondeu ao triunfo do Benfica no sábado em Moreira de Cónegos com a quinta vitória consecutiva na Liga, na recepção ao Santa Clara, por 2-0. Num jogo morno, com uma segunda parte mal jogada …

Mazda entra na corrida e prepara lançamento do seu primeiro carro elétrico

A Mazda garantiu o lançamento do seu primeiro carro elétrico já no próximo ano. O veículo será apresentado no Salão Automóvel de Tóquio. A corrida dos veículos elétricos acelera a todo o vapor e a Mazda …

Descobertas evidências de um reino bíblico em pleno deserto israelita

A bíblia faz referência a um reino de Edom, do século X antes de Cristo. Novas evidências sugerem que este reino poderá ter estado assente no deserto de Arava, no Israel. A análise de arqueólogos a …

PSD vence regionais na Madeira mas perde maioria absoluta

O PSD venceu hoje as eleições legislativas regionais na Madeira, com 37% a 41% dos votos, o que lhe retira a maioria absoluta no parlamento, segundo a projeção da RTP/Católica. O Partido Social Democrata venceu as …

No Afeganistão, há mulheres a arriscar a vida por um golo

As jogadores da seleção de futebol feminino do Afeganistão não treinam no seu país por razões de segurança. Muitas sofreram abusos sexuais e correm risco de vida para poderem jogar futebol. Pelo menos alguma vez na …

Cientista diz que avanços científicos podem levar à extinção humana

A evolução da ciência e tecnologia pode ser fundamental para evitar catástrofes, mas, ironicamente, pode também ser a causadora do fim da nossa espécie. O estudo das mudanças climáticas baseia-se em simulações cada vez mais de …

A ilha mais remota do mundo tem nome português

Tristão da Cunha é uma ilha com apenas 250 habitantes, onde ninguém fala português. Não há hotel nem aeroporto. Há quem parta em busca de um lugar sossegado para evitar as grandes multidões turísticas. Caso esteja …

Costa não tinha dúvidas. O parecer da PGR sobre familiares é “absolutamente inequívoco”

O secretário-geral do PS, António Costa, defendeu hoje que o parecer da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre as incompatibilidades entre governantes e negócios com empresas de familiares é “absolutamente inequívoco”. “O parecer é absolutamente inequívoco sobre …

Jovens do mundo inteiro ocupam a ONU em inédita Cimeira do Clima

Mais de 500 jovens, representantes de mais de 140 países, ocuparam este sábado o espaço habitualmente destinado aos diplomatas da ONU. A United Nations Youth Climate Summit, primeira cimeira da juventude sobre o clima, em Nova …