Astrónomos descobrem que alguns planetas encolhem quando são bombardeados com a luz das suas estrelas

Robin Dienel, cortesia do Instituto Carnegie para Ciência

Uma equipa de astrónomos descobriu que uma classe intrigante de planetas do tamanho de Neptuno encolhe ao longo de milhares de milhões de anos.

Após séculos de estudo dos planetas no nosso Sistema Solar, os astrónomos questionam-se sobre a forma como os planetas se formam e evoluem para se tornarem aqueles que os observamos hoje.

Uma das descobertas mais surpreendentes da última década foi a descoberta de um novo ramo da “árvore genealógica” planetária, separando planetas ligeiramente maiores do que a Terra (superterras) daqueles um pouco mais pequenos que Neptuno (sub-Netuno).

No entanto, ainda não se sabe como estes planetas de tamanhos diferentes se formaram, uma vez que as observações são apenas uma única imagem de uma vida de milhares de milhões de anos para cada sistema planetário individual. Como os astrónomos não conseguem observar os planetas evoluindo em tempo real, analisam as populações de planetas para inferir como se formam e evoluem.

Uusando observações das missões da NASA Kepler e da ESA Gaia, Travis Berger, do Instituto de Astronomia da Universidade do Havai, e a sua equipa descobriram outra peça do quebra-cabeça de formação e evolução de planetas: conforme os planetas são bombardeados com luz intensa das suas estrelas hospedeiras, perdem a sua atmosfera gradualmente ao longo de milhares de milhões de anos.

A equipa usou os dados de Gaia nos tamanhos das estrelas para rever as estimativas dos tamanhos dos planetas e combinou-as com dados de cores estelares para determinar as idades das estrelas hospedeiras do planeta. Depois, compararam os efeitos da idade estelar em mais de 2.600 planetas detetados pelo Kepler.

Alguns planetas, especialmente aqueles que recebem mais de 150 vezes a luz que a Terra recebe do Sol, perdem a sua atmosfera ao longo de mil milhões de anos, uma vez que são inundados com calor e luz da estrela hospedeira.

“A perda de atmosferas planetárias em escalas de tempo de milhares de milhões de anos mostra que estes planetas perdem massa mesmo na velhice”, explicou Berger, em comunicado. “Uma das nossas principais descobertas é que os tamanhos dos planetas diminuem em escalas de tempo mais longas do que se pensava.”

“Embora os astrónomos tenham predito há muito tempo que os planetas deveriam diminuir de tamanho à medida que envelhecem, não sabíamos se isto poderia ocorrer em escalas de tempo de milhares de milhões de anos. Sabemos agora”, diz Berger. “O facto de vermos os tamanhos dos planetas mudarem em escalas de tempo de milhares de milhões de anos sugere que há um caminho evolutivo, onde planetas do tamanho de sub-Neptuno altamente iluminados passam a tornar-se planetas do tamanho das super-Terras.

Este estudo foi publicado em agosto na revista científica The Astronomical Journal.

Maria Campos Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …

Putin avisa que quem ameaçar a Rússia "se irá arrepender como nunca"

O presidente Vladimir Putin emitiu um alerta durante o seu discurso anual ao Governo. O líder frisou que qualquer membro da comunidade internacional que ameace a Rússia "se irá arrepender como nunca se arrependeu antes". O …

Nove anos depois, Bruxelas deixa de monitorizar atividade da CGD

A Direção-Geral da Concorrência da Comissão Europeia (DG Comp) encerrou o processo de monitorização do plano estratégico da Caixa Geral de Depósitos (CGD). "A Caixa Geral de Depósitos, S.A. (CGD) informa que recebeu comunicação da Direção …

Se não fosse o vídeo de Darnella Frazier, "Derek Chauvin ainda seria polícia"

Darnella Frazier, na altura com 17 anos, foi a responsável pelo vídeo que mostra o ex-agente da polícia Derek Chauvin a prender o afro-americano George Floyd, que acabou por não resistir. Esta terça-feira foi um dia …

Eutanásia. Jurisdição do PSD considera haver matéria para processo disciplinar a Rio e Adão Silva

O Conselho Nacional de Jurisdição do PSD considerou que existe "matéria bastante para abertura de processo disciplinar" ao presidente do partido e ao líder parlamentar por violação de uma decisão do Congresso sobre eutanásia, faltando …