Há acordo para o Brexit

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou esta quinta-feira que alcançou “um grande acordo” com a União Europeia para o Brexit.

Temos um ótimo novo acordo“, afirmou, esta quinta-feira, Boris Johnson no Twitter. O primeiro-ministro britânico anunciou o acordo, que pode ser consultado aqui na íntegra, a poucas horas do início do Conselho Europeu em Bruxelas.

“Agora, o Parlamento tem de resolver o Brexit no sábado, para que possamos seguir em frente com outras prioridades, como o custo de vida, os serviços de saúde, a criminalidade violenta e o nosso ambiente”, acrescentou Johnson.

Jean-Claude Juncker também festejou na mesma rede social. “Quando há vontade, há acordo – e nós temos um! É um acordo justo e equilibrado para a UE e para o Reino Unido e é um testemunho do nosso compromisso com a busca de soluções.”

https://twitter.com/JunckerEU/status/1184764705384124416

De acordo com o Diário de Notícias, o Partido Democrático Unionista (DUP) da Irlanda do Norte já veio reforçar o que tinha dito horas antes: não aceita o acordo estabelecido entre Londres e a União Europeia.

“Participámos nas conversações com o Governo. Tal como estão as coisas, não podemos aceitar o que está a ser sugerido sobre questões aduaneiras e outros assuntos relacionados, porque a questão da aplicação do IVA não é clara”, disse a líder do DUP, Arlene Foster. Esta posição poderá dificultar a aprovação do acordo alcançado esta quinta-feira no Parlamento britânico.

Entretanto, os unionistas vieram confirmar que vão votar contra a proposta de Boris Johnson, este sábado. Em comunicado, o DUP diz que “não pode aprovar” o acordo alcançado. Segundo o Observador, a decisão que acaba de ser tornada pública revela que as negociações de bastidores com o Governo fracassaram, complicando assim as contas de Boris Johnson na votação de sábado.

Mas o acordo alcançado também não deverá ter o apoio do Partido do Brexit. Nigel Farage adiantou esta manhã, na Sky News, que vai opor-se a qualquer acordo que seja semelhante ao que Theresa May alcançou. “Preferiria muito mais uma extensão do prazo do que aceitar este novo acordo terrível.”

Jeremy Corbyn, líder da oposição, também não está feliz com a solução encontrada. “Por aquilo que sabemos, parece que o primeiro-ministro negociou um acordo ainda pior do que o de Theresa May, que foi rejeitado em massa.”

A maior pedra no sapato de Johnson pode estar em Londres. Sem a maioria na Câmara dos Comuns, o Governo conservador terá de convencer os unionistas democráticos da Irlanda do Norte, os trabalhistas que não aceitam a cláusula de salvaguarda, os conservadores rebeldes que o próprio primeiro-ministro expulsou do seu grupo parlamentar, e os trabalhistas que defendem a saída do Reino Unido, avança o Público.

Para este sábado, está agendada uma sessão parlamentar extraordinária para tentar aprovar o acordo que acaba de ser anunciado. A data de saída do Reino Unido da União Europeia está marcada para o próximo dia 31.

Backstop é a pedra no sapato

O acordo terá de ser aprovado pelos líderes europeus dos 27 Estados-membros nesta cimeira que começa esta quinta-feira e termina amanhã, 18 de outubro. Além disso, terá de ser ratificado pelo Parlamento Europeu.

Antes disso, a maior pedra no sapato: o acordo terá de ser aprovado na Câmara dos Comuns. Os norte-irlandeses unionistas do DUP, aliados do Governo de Boris Johnson no Parlamento, têm sido bastante firmes ao afirmar que o acordo não os agrada.

Em causa está o backstop, o mecanismo usado para evitar ter uma fronteira física a separar as duas Irlandas.

No acordo de Theresa May, chumbado três vezes, o Reino Unido mantinha-se todo dentro desse mecanismo até ser alcançada uma solução, o que se traduzia pela manutenção do país na união aduaneira da União Europeia.

Segundo o Observador, a diferença face a este novo acordo é que essa situação parece aplicar-se apenas à Irlanda do Norte – a região fica dentro da união aduaneira europeia e o Reino Unido fora, com uma fronteira artificial criada no mar. O DUP não aceita esta situação e vai mais longe, dizendo que é inaceitável, uma vez que diferenciaria a Irlanda do Norte do resto do Reino.

Boris Johnson terá também de assegurar o apoio dos conservadores mais eurocéticos do European Research Group (ERG) que sempre foram críticos do backstop (ainda que já tenham indicado que estão dispostos a apoiar o primeiro-ministro). Os 21 deputados conservadores que foram expulsos do partido são outro problema para o primeiro-ministro.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Isto não vai dar em nada. Nunca um acordo de Boris passa num parlamento onde ele ainda tem menos maioria do que Theresa May e ainda por cima um acordo ainda mais polémico. O homem é louco e a família não sabe.

  2. O mais certo é as condições serem practicamente as mesmas e o Trump inlgês estar armado em fanfarrão e a fazer propaganda como se tivesse alcançado alguma coisa!…
    E agora passa a bola para o Parlamento!…

RESPONDER

Faca feita de fezes entre os vencedores deste ano dos prémios Ig Nobel

Uma faca feita com fezes congeladas e um jacaré a arrotar são alguns dos vencedores dos prémis Ig Nobel, que distinguem as invenções mais incomuns. Os prémios Ig Nobel – uma paródia dos prémios atribuídos pelas …

O hemisfério norte teve o verão mais quente de que há registo (e isso é um sinal de alerta para a Terra)

O hemisfério teve em 2020 o verão mais quente de que há registo. No geral, o Planeta Terra teve três dos meses mais quentes, e o mês de agosto foi o segundo mais quente que …

Há uma nova explicação para o naufrágio do Titanic: Uma fantástica Aurora Boreal

Todos conhecemos a história do Titanic. Também todos sabemos que o seu naufrágio aconteceu após o grande navio ter embatido num iceberg. Contudo, um investigador americano põe novas hipóteses em cima da mesa. E se …

Famalicão 1-5 Benfica | "Águia" faminta com nota artística

Após a desilusão de Salónica, que ditou um adeus precoce dos milhões da fase de grupos da Liga dos Campeões, o Benfica goleou na noite desta sexta-feira o Famalicão por 5-1, numa espécie de redenção. Neste …

O anonimato de Banksy teve um custo. Perdeu os direitos sobre uma das suas obras mais icónicas

O famoso artista de rua britânico Banksy perdeu uma longa batalha judicial pelos direitos autorais da obra "The Flower Thrower", contra a Full Colour Black, empresa que produz postais de felicitações. Banksy, o misterioso artista que, …

Reino Unido e Espanha aumentam restrições. Itália e Alemanha com quase dois mil casos

Madrid restringe movimentos de 850 mil pessoas, Itália regista um aumento dos casos de infeção nas últimas 24 horas, britânicos enfrentam novas restrições no país e Alemanha com dois mil novos casos de covid-19. A região …

Trump novamente acusado de assédio sexual. "Enfiou a língua na minha garganta", disse Amy Doris

O Presidente dos EUA, Donald Trump, foi acusado esta quinta-feira de agressão sexual por uma ex-modelo, num episódio que alegadamente terá ocorrido num torneio de ténis, em 1997. A ex-modelo Amy Dorris relatou ao jornal britânico …

Ventura pondera suspender mandato para se dedicar à campanha presidencial

O presidente do Chega afirmou hoje que o seu partido "está a analisar" no plano jurídico a questão da suspensão temporária do seu mandato de deputado para se dedicar às campanhas dos Açores e presidenciais. Em …

Schumacher está em estado vegetativo e dificilmente recupera, avisa neurologista

Um neurologista ouvido num documentário da RMC Sport diz que o ex-piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher está em estado vegetativo e dificilmente recuperará. Já passaram quase sete anos desde que Michael Schumacher sofreu um acidente …

Processos com acórdãos a meias entre Rangel e Galante estão em risco

Durante dez anos, centenas de acórdãos do Tribunal da Relação de Lisboa foram feitos a meias entre Rui Rangel e Fátima Galante. Agora, esses processos estão em risco. A Procuradoria-Geral da República anunciou esta sexta-feira a …