Guias sherpas do Nepal recusam voltar a subir ao Evereste esta época

-

Os guias nepaleses anunciaram esta terça-feira que não irão subir ao monte Evereste esta época, em homenagem aos 16 colegas que morreram na sexta-feira numa avalanche, pondo fim aos projetos de centenas de alpinistas estrangeiros.

Os ‘sherpas‘ são uma ajuda crucial a qualquer ascensão ao cume mais alto do mundo, transportando tendas e provisões, mas também reparando escadas e fixando cordas para ajudar os seus clientes a alcançar o cume, de 8.848 metros.

O governo emitiu autorizações de ascensão ao Evereste para 734 pessoas esta época, entre as quais 400 guias, para 32 expedições previstas.

Os alpinistas pagam várias dezenas de milhares de dólares por uma expedição ao mais alto cume do mundo.

“Tivemos uma longa reunião esta tarde e decidimos não voltar a subir este ano, em homenagem aos nossos irmãos. A decisão dos ‘sherpas’ é unânime”, disse um deles, Tulsi Gurung, citado pela AFP.

mountainmadness.com

O guia sherpa nepalês Tul Singh "Tulsi" Gurung

O guia sherpa nepalês Tul Singh “Tulsi” Gurung

“Alguns guias já partiram e outros ficarão cerca de uma semana, o tempo de embalar tudo e de partir”, acrescentou Gurung, irmão de uma das vítimas.

Treze ‘sherpas’ morreram na avalanche de sexta-feira e os corpos de três outros estão ainda sob a neve após o acidente mais mortífero de sempre no Evereste.

“Dezasseis pessoas morreram sob esta montanha no primeiro dia da nossa ascensão. Como podemos agora subi-la?”, disse outro ‘sherpa’, Pasang Sherpa.

Esta decisão parece antecipar as discussões em curso entre os ‘sherpas’ e o governo nepalês.

Os guias nepaleses tinham ameaçado na segunda-feira deixar de subir ao monte Evereste se as famílias dos ‘sherpas’ mortos na avalancha não recebessem apoio financeiro do governo do Nepal.

Os guias apresentaram uma lista de exigências ao governo nepalês, que deviam ser satisfeitas no prazo de sete dias. Caso este prazo não fosse respeitado, ameaçavam anular todas as expedições ao cume mais alto do mundo.

Uma das exigências é a criação de um fundo de apoio, constituído por 30% das somas pagas pelos alpinistas pelas autorizações para escalar o Evereste, e o aumento para o dobro dos prémios dos seguros de vida, atualmente de 10 mil dólares (cerca de 7.200 euros).

O governo propôs pagar 40 mil rupias (cerca de 290 euros) para as despesas fúnebres das vítimas, o que desencadeou protestos dos ‘sherpas’ por considerarem esta oferta uma falta de respeito.

Os ‘sherpas’, nome de um grupo étnico adaptado às condições de vida e altitude dos Himalaias, ganham entre três mil e seis mil dólares por época, mas os seguros de saúde não garantem uma boa cobertura.

A economia do Nepal, país pobre nos Himalaias, depende das receitas do turismo.

Mais de 300 pessoas morreram no Evereste desde que a primeira expedição, do britânico Sir Edmund Hillary e do ‘sherpa’ Tenzing Norgay, atingiu o cume da montanha, em 1953.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Avião russo invade espaço aéreo da Estónia pela sexta vez este ano

A Estónia informou na quinta-feira que um avião da força aérea russa violou o seu espaço aéreo, sendo o sexto incidente do género este ano. A intrusão terá ocorrido ao meio-dia de quarta-feira, quando o avião …

Abel montou uma "equipa pequena, a jogar sempre com receio"

Opinião proveniente do Brasil lamenta a forma como o campeão sul-americano se apresenta em campo. É campeão sul-americano, por ter vencido a última Copa Libertadores, está a um jogo de estar novamente na final da Libertadores …

Pandemia com tendência decrescente nos serviços de saúde e na mortalidade

Portugal regista uma situação pandémica de “intensidade moderada”, mas com uma tendência decrescente da pressão sobre os serviços de saúde e na mortalidade associada à covid-19, refere o relatório das “linhas vermelhas” hoje divulgado. Segundo a …

Vacinas da gripe vão ser dadas nos centros de vacinação covid-19

Os centros de vacinação usados para administrar as vacinas contra a covid-19 vão também passar a ser usados para vacinar contra a gripe. Numa nota enviada às redações, a task force anunciou que os centros de …

Irmã de Kim Jong-un diz que acabar com a Guerra da Coreia é uma "ideia admirável"

Esta sexta-feira, Kim Yo-jong, irmã do líder norte-coreano Kim Jong-un, disse que o país está disposto a retomar as conversações com a Coreia do Sul se o vizinho não provocar o Norte com políticas hostis. Ri …

"Que se lixe o Congresso", diz líder do CDS

O líder centrista Francisco Rodrigues dos Santos disse não estar "minimamente preocupado" nem "concentrado em táticas para congressos internos". O presidente do CDS disse esta sexta-feira que não está “minimamente preocupado” com a próxima reunião magna …

Detidos CEO e chairman do grupo HNA, antigo acionista da TAP

Chen Feng e Tan Xiangdon, o chairmain e o CEO do grupo HNA, que já deteve uma participação na TAP, foram detidos esta sexta-feira.  O chairmain e o CEO do grupo HNA terão sido detidos na …

OMS inclui mais dois medicamentos nas recomendações para tratamento

A Organização Mundial de Saúde (OMS) acrescentou na quinta-feira dois medicamentos à lista de fármacos admitidos para tratamento da covid-19 e pediu à farmacêutica que os produz para baixar os preços e levantar as patentes. O …

Puigdemont em liberdade, mas com proibição de sair da Sardenha

O Tribunal de Recurso de Sassari decidiu, esta sexta-feira, deixar em liberdade o ex-presidente catalão Carles Puigdemont. Enquanto decorrer o processo judicial, não pode sair da ilha italiana. Carles Puigdemont saiu em liberdade esta sexta-feira, depois …

Centenas de pessoas protestam em Barcelona contra a prisão de Puigdemont em Itália

Centenas de pessoas reuniram-se próximo do consulado italiano em Barcelona em protesto contra a prisão de Carles Puigdemont. Centenas de pessoas reuniram-se esta sexta-feira próximo do consulado italiano em Barcelona, guardado por um forte dispositivo da …