RSI gera guerra interna no Chega/Açores. Ventura admite retirar confiança a deputados

Mário Cruz / Lusa

O candidato a presidente da direção nacional do Chega, André Ventura

Uma disputa de opiniões relativamente ao RSI gerou um conflito interno no Chega. Fonte próxima da direção do partido adianta que a retirada da confiança política é uma opção.

André Ventura tinha viagem marcada para o arquipélago dos Açores devido às eleições autárquicas, mas devido a um conflito recente, a deslocação do líder do partido tem outro propósito.

Esta semana, o secretário-geral do Chega/Açores, José Pacheco, fez uma publicação no Facebook do partido e na sua página pessoal intitulada “Chega contra aumento Rendimento Social de Inserção (RSI) nos Açores”.

“O Chega continua a defender a urgência em baixar o RSI na região. Aliás, esta é uma bandeira eleitoral do partido e um compromisso assumido pela coligação governamental”, lê-se na publicação. “Estamos atentos e nunca distraídos perante esta e outras situações porque, como diz o sábio bom povo: ‘Não foi isso que combinámos!'”.

Ora, a publicação acabaria por ser eliminada e o presidente do Chega/Açores, Carlos Furtado, opôs-se à posição do partido, expondo também a sua opinião numa publicação no Facebook.

“Com efeito o crescimento do RSI na região é uma notícia que não agrada a ninguém, mas é a consequência das debilidades da nossa região. O Chega, como qualquer outro partido com representação na Assembleia Regional, tem a obrigação de contribuir para a resolução deste problema e não apenas criticar por criticar”, escreveu o deputado.

“Deste modo, informo que para a Direção Regional do partido e para eu mesmo, os problemas de excesso RSI na Região, merecem a nossa melhor atenção, com objetivo de se arranjar soluções eficazes, sendo que neste momento as responsabilidades que nos são imputáveis, não nos permitem a critica fácil e populista”, lê-se ainda na publicação.

Contactada pelo Observador, fonte próxima da direção do Chega informou que a retirada de confiança política a alguns deputados é um cenário possível.

Embora o RSI tenha diminuído na Região Autónoma dos Açores em comparação com o ano homólogo, os beneficiários aumentaram “em mais de 200 no início deste ano”, lia-se na publicação original de José Pacheco.

Há “atitudes que se tomam a quente depois se pensam melhor”, diz Carlos Furtado, sugerindo que o secretário-geral do Chega/Açores também não concorda com a posição que divulgou. A eliminação da publicação posteriormente terá sido prova disso mesmo.

José Pacheco diz ao Observador estar “bem de consciência” e não estar preocupado com o lugar que ocupa na presidência.

Contactado pelo Expresso, Carlos Furtado assumiu que o cenário de retirada de confiança política é, para ele, “novidade pura”. “Não tenho conhecimento de nada disso”, atirou.

O presidente do Chega/Açores rejeita qualquer desentendimento interno, argumentando que foram apenas duas posições distintas manifestadas por deputados.

Ao Expresso, José Pacheco descreve a notícia do Observador como “um disparate”, defendendo que o único ponto na agenda do partido é as eleições autárquicas.

“Mesmo que houvesse um desentendimento, são questões internas que devem ser resolvidas internamente e não na praça pública”, assegurou. “As fontes próximas não me dizem nada. Quando não se identificam, não têm credibilidade nem relevância”.

Daniel Costa, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

André Ventura - Chega

Autárquicas serão "início do fim do reinado" de Costa. Em Moura, Ventura é apelidado de "fascista"

Esta sexta-feira à noite, em Moura, um grupo de pessoas juntou-se perto do comício de André Ventura, em protesto, apelidando o líder do Chega de "fascista". O líder do Chega, André Ventura, apresentava esta sexta-feira os …

Incêndios na Turquia chegam a zonas turísticas. Há suspeitas de mão criminosa

Os devastadores incêndios que se estão a fazer sentir na zona sul da costa da Turquia já fizeram pelo menos quatro mortes. Depois das ondas de calor mortais nas Américas, inundações na Europa e China e …

Sonae vende 24,99% da empresa que detém o Continente por 528 milhões de euros

O grupo Sonae acordou vender uma participação de 24,99% na Sonae MC, a proprietária dos supermercados Continente, por 528 milhões de euros, informou em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). A alienação de …

Supertaça. Sporting e Sp. Braga defrontam-se 39 anos depois (e adeptos regressam aos estádios)

Sporting e Sp. Braga lutam este sábado pelo primeiro título da época (e os adeptos já vão estar na bancada). O encontro da 43.ª edição da supertaça Cândido de Oliveira está marcado para este sábado, …

Vacinação de crianças divide peritos. Mas sem a inoculação dos mais novos a imunidade pode não chegar

Na sexta-feira, a Direção-Geral de Saúde anunciou que recomenda que a vacinação contra a covid-19 de jovens dos 12 aos 15 anos com comorbilidades. No entanto, o tema está a gerar controvérsia e divide opiniões …

Governo com margem política para abdicar de 15% do Novo Banco

Em 2022, o Governo tem margem política para abdicar do direito de entrar como acionista no Novo Banco (NB), inicial­mente com uma participação de mais de 2%, mas que pode subir a 15%. Para já, nem …

Tóquio2020. Biles renuncia também às finais de salto e barras assimétricas

A ginasta norte-americana Simone Biles, que renunciou à final do concurso geral individual dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, também não vai participar das finais de domingo de salto e barras assimétricas, informou esta sexta-feira a Federação …

Governo não pediu parecer à CNPD sobre as "bodycams" em polícias. Método vai "aumentar a transparência"

A proposta da nova lei da videovigilância, que vai permitir que os polícias passem a usar câmaras nos uniformes, já foi aprovada em Conselho de Ministros, mas ainda não chegou ao Parlamento. Também não foi …

Marcelo reuniu com Lula, mas não revela o teor da conversa. Presidente diz que visita é apenas de cariz cultural

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse sexta-feira à chegada a São Paulo que a cultura tem um "papel fundamental" na convergência entre Portugal e o Brasil, rejeitando que a agenda alargada de …

PSP abre processos disciplinares por uso indevido de farda em manifestação

A PSP abriu processos disciplinares, por uso indevido e incorreto do uniforme, a agentes que participaram em 21 de junho, em Lisboa, numa manifestação organizada pelo Movimento Zero, confirmou esta sexta-feira à Lusa o porta-voz, …