/

Groundforce tentou ir buscar antigo CEO à reforma

Fernando Veludo / Lusa

A Groundforce tentou contratar António Guilhermino Rodrigues para voltar a ocupar o cargo de presidente executivo da empresa de “handling”, que ocupou entre 2013 e 2017, quando foi substituído no cargo por Paulo Neto Leite.

Contudo, segundo noticia o Eco, o antigo gestor terá recusado sair da reforma. As funções são ocupadas pelo próprio acionista privado, Alfredo Casimiro, desde que demitiu o ex-CEO por atos que “lesaram a empresa”.

Guilhermino Rodrigues foi também presidente da ANA – Aeroportos de Portugal, administrador do Metropolitano de Lisboa e trabalhou de perto com António Guterres, primeiro como assessor do primeiro-ministro e depois como secretário de Estado dos Transportes nas duas legislaturas.

No início de abril, o conselho de administração da Groundforce anunciou o despedimento de Paulo Leite de CEO, apontando quebras de confiança e violações dos deveres de lealdade.

Questionada pelo Eco sobre a proposta de contratação de Guilhermino Rodrigues, a Pasogal recusou comentar. Por enquanto, as funções de CEO estão a ser assumidas pelo empresário, que só deverá procurar um substituto quando a situação financeira da empresa estabilizar.

A 10 de maio, a TAP anunciou a apresentação de um pedido de insolvência da Groundforce, onde detém uma participação de 49,9%, após ter falhado os pagamentos pelo aluguer dos equipamentos. A companhia aérea quer encontrar um acionista “com capacidade financeira” para a empresa.

O ministro das Infraestruturas, Pedro Nuno Santos, disse na semana passada no Parlamento que, “apesar de ser um processo delicado e incerto”, este processo de insolvência dará “pela primeira vez um caminho” à TAP, que vai propor a conversão do seu crédito na Groundforce em capital.

  ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.