“Este Governo é a troika sem troika”. CDS contra novos impostos europeus

O vice-presidente do CDS-PP Nuno Melo recusou esta segunda-feira que Portugal possa abdicar de uma “função soberana clássica” como a cobrança de impostos e acusou o Governo de ser “a troika sem a troika”.

“Há pouco tempo criticava outros por irem além da troika e agora quer, na arbitrariedade das decisões políticas, cobrar mais impostos através de Bruxelas. Se o anterior governo ia além da ‘troika’, este Governo é a troika sem troika. É a troika por si e por interposta pessoa”, defendeu Nuno Melo à Lusa.

O executivo socialista de António Costa defende novas fontes de financiamento das instituições europeias a serem criadas com impostos sobre plataformas digitais, indústrias poluentes e transações financeiras internacionais, nomeadamente para o reforço de investimento em segurança e defesa comuns.

Sobre a criação destes três novos impostos, Nuno Melo afirma que “relativamente a esta nova vontade de entrar no bolso dos portugueses, desta vez através de Bruxelas, o CDS manifesta-se frontalmente contra“.

Além disso, o eurodeputado considera que, se António Costa entende que é necessário um aumento do orçamento da União Europeia deve convencer os seus congéneres da necessidade de aumentar as contribuições dos estados-membros, que podem ou não decidir aumentar impostos.

Além disso, o Governo português apoia o aumento da participação de 1% para 1,2% do rendimento nacional bruto de cada Estado-membro para fazer face às necessidades financeiras, sobretudo no período pós-Brexit.

Mas para Nuno Melo, “António Costa e o PS entendem manifestamente que o Estado soberano com tantos séculos como Portugal deve ser transformado numa espécie de região europeia“.

“Depois dos socialistas portugueses terem querido que fossem estrangeiros a escolher os representantes portugueses candidatos ao Parlamento Europeu, com as listas transnacionais, pretende agora o primeiro-ministro, que representa o Estado português alienar uma parcela fundamental da nossa soberania a favor de Bruxelas“, argumentou.

O dirigente do CDS sublinhou ainda que “a função tributaria é uma função soberana clássica dos estados”.

“Não aceitamos que, a par de todos os impostos que já pagamos, alguns dos quais aumentaram largamente, exemplo dos impostos indiretos, se somem outros da lavra e imaginação do doutor António Costa, cobrados diretamente por Bruxelas aos contribuintes portugueses”, defendeu.

// Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Uma coisa é perceber que a UE com o brexit terá que se financiar … embora não perceba o porquê, uma vez que o RU também deixa de ser um beneficiário das políticas Europeias.
    Outra coisa é querer aumentar impostos porque sim.
    Quando é que os nossos escroquesitos percebem que não há mais espaço?

  2. Este janota, como muitos outros, de vez em quando aparecem para relembrar que têm que votar neles nas próximas eleições europeias. Senão quem vai gastar os dinheiros em jantaradas constantes, passeatas para os amigos e etc, etc etc tudo à conta da UE e do país.
    Sabiam que o desconhecido embaixador de Portugal naquele pais estratégicamente importantissimo que é a Estónia se desloca de Jaguar descapotável do estado PT? e aquele que vem de Ferrari e a mulher com outro desportivo (há tempos era um Mercedes SLK 55 AMG), quase em corrida, de outro país de Leste? E os outro que andamos a sustentar e nem sonhamos…

  3. O aumento contínuo dos impostos existentes e a criação de novos impostos não é sério!
    As receitas tendem para o limite e as despesas têm que ser igualmente limitadas.
    A não ser assim, só resta a fórmula de Mazarino: “Há uma quantidade enorme de gente entre os ricos e os pobres: os que trabalham, com o sonho de um dia se tornarem ricos e com um medo insuportável de ficarem pobres. É a esses que devemos sobrecarregar com impostos atrás de impostos, cada vez mais, sempre mais, percebes?! Esses, quanto mais lhes tirarmos mais eles se esfalfarão a trabalhar para compensarem o que lhes tirámos. São uma reserva inesgotável!»

    • Os politicos, de um modo geral, conhecem mal os meandros da criação de riqueza e obtenção de ganhos para liquidar impostos.
      Isto é, vivem centrados no jogo político diário, com interesses circunstanciais, não ligando patavina a boas determinações orçamentais que signifiquem gastos socialmente ajustados e não esbanjamento de fundos.
      E é assim que aparece agora esta proposta, com a maior naturalidade, a apoiar altas cavalarias e sempre com o pressuposto de: é preciso colmatar uma falha aumentem-se os impostos.
      E porque não ajustar a despesa? E porque não reconverter projetos minimizando custos?
      É preciso acabar com o princípio governamental que parece “ecumenico” de que só se pode governar, sempre com mais e mais receita fiscal. Pelo passado verifica-se que, se assim fosse, Portugal era o sol da terra.
      E não se pense que a União Europeia não terá também muito onde poupar, pois como dizia o outro é sempre uma questão de fazer contas.

  4. O senhor Costa que tanto criticou o governo anterior que até estava de mãos atadas perante a troika por não actuar contra os mesmos com a devida violência que o senhor Costa e companhia entendiam que deveria ser acaba agora com o país já livre da mesma por se transformar ainda mais papista do que o Papa, isto até faz lembrar o outro esquerdista que governa a Grécia que ameaçava tudo e todos e que agora anda feito com a UE e companhia e bem sorridente.

  5. Francamente,.. isto está a tornar-se grave. Este Senhor está a trabalhar mal. Está a abusar da posição que tem como funcionário deste País. Este Senhor é pago para respeitosamente estudar e propor soluções alternativas às acções que toma ou procura tomar quem esta a governar, levá-las a votação e aplicá-las se for caso disso,… não para acusar e tentar sistematicamente provocar desiquilibrios. Ninguem o encarregou duma missão que procura incessantemente estabelecer confusão e tirar partido do interesse próprio à sua promoção. É de lamentar e grave que estejam os Portugueses, seus patrões, a pagar impostos para pagar a funcionários desta estirpe. Há que urgentemente mover um processo disciplinar a este cavalheiro e pô-lo nos carris, ou inclusivamente despedi-lo e contratar um outro funcionário que cumpra. Este Senhor não serve.

RESPONDER

Netflix está a ser processada por causa de "Bandersnatch"

O episódio interativo de Black Mirror, que estreou no final do ano passado, não agradou à Chooseco, a editora responsável pela série de livros Escolhe a tua Aventura. A 28 de dezembro estreou o mais recente …

Piloto belga "admitiu" ter assassinado o secretário-geral da ONU em 1961

Dag Hammarskjöld, secretário-geral da ONU, morreu na queda de um avião quando tentava negociar a paz no Congo, e o desastre continua a ser investigado até hoje É um mistério com mais de cinco décadas cujo …

Acordo para o Brexit chumbado. Plano de May esmagado no Parlamento

O Parlamento britânico chumbou, por uma esmagadora maioria, o acordo de saída da União Europeia negociado pela primeira-ministra Theresa May. O líder da oposição, o trabalhista Jeremy Corbyn, aproveitou a derrota histórica de May para …

Senador italiano chamou “orangotango” a antiga ministra e foi condenado a pena suspensa

A justiça italiana condenou esta segunda-feira o senador da extrema direita Roberto Calderoli a 18 meses de prisão, com pena suspensa, por comparar, em 2013, a ministra da Integração, Cécile Kyenge, com um "orangotango". O tribunal …

Num restaurante do Dubai, deixar comida no prato dá multa (e é mais cara que a refeição)

Com o Dubai a tornar-se mais consciente do desperdício de alimentos, um restaurante lembrou-se de uma maneira de fazer com que os clientes não deixem comida no prato. O restaurante Gulou Hotpot, em Al Barsha, uma …

Roma e a Igreja em guerra milionária por causa das moedas da Fontana di Trevi

As moedas que os turistas lançam à Fontana di Trevi, um dos rituais mais populares entre quem visita Roma, está a causar problemas na relação entre a Igreja e a capital italiana. A câmara de Roma …

Frente Comum marca greve nacional da função pública

Os sindicatos da Frente Comum da Administração Pública decidiram marcar uma greve nacional para o dia 15 de fevereiro, anunciou Ana Avoila no final de um plenário realizado esta terça-feira em Lisboa. “Foi decidido marcar um …

A Coreia do Norte já não é "inimiga" da Coreia do Sul

A Coreia do Sul deixou de apelidar os militares norte-coreanos de "inimigos" no documento bienal da Defesa divulgado esta terça-feira, num aparente esforço para prosseguir a reconciliação com Pyongyang. O documento oficial do Ministério da Defesa …

Tsipras enfrenta voto de confiança no parlamento grego

O primeiro-ministro grego enfrenta uma semana crucial com o pedido de um voto de confiança no parlamento, cujo debate se inicia esta terça-feira, ou a perspetiva de eleições antecipadas, após a rutura da coligação governamental …

Marina Gross é a única americana que sabe o que Trump e Putin disseram (e os democratas querem ouvi-la)

A tradutora do Departamento de Estado norte-americano foi a única pessoa presente no encontro entre Donald Trump e Vladimir Putin. Agora, os democratas querem ouvi-la. Marina Gross é a tradutora do Departamento de Estado norte-americano e …