Governador do Rio de Janeiro defende destituição de Bolsonaro

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, defendeu na quinta-feira a destituição do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, após este ter partilhado vídeos, na plataforma de mensagens WhatsApp, com a convocação de uma manifestação contra o Congresso.

“A resposta jurídica para isso é o impeachment [destituição]. Quem exerce um cargo de mandatário do povo para poder criar dias melhores para a população, um diálogo respeitando as instituições, não pode ter um comportamento como esse. O que se espera do Presidente é que ele respeite as instituições, é que ele dialogue com o Congresso, dialogue com os governadores”, disse Witzel, nos Estados Unidos, citado pela imprensa brasileira.

Segundo o governador, que se encontra em Washington, nos Estados Unidos, “apoiar um movimento destrutivo da democracia evidentemente afronta a Constituição” brasileira.

Após a partilha do vídeo, Bolsonaro indicou que usa o WhatsApp para troca de mensagens de “cunho pessoal”, posição que Witzel criticou.

“Quer fazer (manifestação) em caráter privado? Renuncie à Presidência da República e pode fazer em caráter privado. Enquanto ele for Presidente, o que ele fala, o que ele faz, o que ele comunica, para quem quer que seja, é uma comunicação do Presidente da República e nós não podemos aceitar que um Presidente, diante de um movimento destrutivo da democracia, compartilhe esse tipo de vídeo”, acrescentou Witzel, que já assumiu que pretende concorrer à Presidência do país.

Segundo a imprensa local, que teve acesso aos vídeos enviados pelo chefe de Estado na terça-feira a alguns dos seus contactos pessoais no WhatsApp, a manifestação foi convocada por movimentos de direita em defesa do Governo e contra o Congresso brasileiro.

“Ele [Bolsonaro] foi chamado a lutar por nós. Ele comprou a briga por nós. Ele desafiou os poderosos por nós. Ele quase morreu por nós. Ele está enfrentando a esquerda corrupta e sanguinária por nós. Ele sofre calúnias e mentiras por fazer o melhor para nós. Ele é a nossa única esperança de dias cada vez melhores. Ele precisa de nosso apoio nas ruas”, refere a legenda do vídeo com quase dois minutos, que tem o Hino brasileiro como música de fundo e que mostra imagens de Bolsonaro a ser esfaqueado num ato de campanha, em 2018.

“Dia 15 de março vamos mostrar a força da família brasileira. Vamos mostrar que apoiamos Bolsonaro e rejeitamos os inimigos do Brasil. Somos, sim, capazes, e temos um Presidente trabalhador, incansável, cristão, patriota, capaz, justo, incorruptível. Dia 15 de março, todos nas ruas a apoiar Bolsonaro”, conclui um dos vídeos a que o jornal Estadão teve acesso.

Juntamente com um dos vídeos, o chefe de Estado escreveu: “15 de março. General Heleno [ministro do Gabinete de Segurança Institucional] / Bolsonaro. O Brasil é nosso, não dos políticos de sempre”.

Os vídeos, cujos conteúdos são semelhantes entre si, foram enviados a membros do Governo e contactos pessoais de Bolsonaro, como é o caso do ex-deputado Alberto Fraga, que confirmou que o recebeu.

Na semana passada, o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general Augusto Heleno, acusou o Congresso de “chantagear” o Governo, declarações que geraram polémica. Em causa está a dificuldade no alcance de um acordo entre o executivo e o Congresso sobre a divisão de verbas dentro do chamado Orçamento impositivo.

Após a divulgação dos vídeos por parte de Jair Bolsonaro, o chefe de Estado foi duramente criticado, tendo o juiz do Supremo Tribunal Federal (STF) do Brasil Celso de Mello considerado que o Presidente que pode incidir no crime de responsabilidade.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Descobertas filmagens inéditas de um centro de espionagem da II Guerra Mundial

Foi descoberta uma rara filmagem da instalação militar secreta Bletchley Park, no Reino Unido. Este centro de espionagem atuou durante a II Guerra Mundial e foi responsável por decifrar códigos alemães durante o período nazi. O …

Montezemolo revelou o sonho que Ayrton Senna não cumpriu

O antigo presidente da equipa da Ferrari, Luca di Montezemolo, revelou que o seu maior arrependimento foi não ter conseguido levar Ayrto Senna para a equipa. Em 1994, Ayrton Senna morreu de forma trágica quando perdeu o …

Friends: atores já terminaram as gravações do episódio especial

Ainda antes de os talk shows serem suspensos devido à COVID-19, Matt LeBlanc foi um dos convidados do The Kelly Clarkson Show, onde confirmou que as gravações do episódio especial de FRIENDS estavam concluídas. O programa …

YouTube remove vídeos com teoria da conspiração que liga covid-19 ao 5G

A onda de teorias falsas que ligam a pandemia da COVID-19 ao 5G levou a uma série de incidentes, incluindo ameaças a funcionários de operadoras e ataques a antenas de telecomunicações. Agora, o YouTube está …

Engenheiros construiram um ventilador caseiro. Pode servir como "último recurso"

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, construiu um ventilador caseiro que pode ser usado como último recurso. A pandemia de covid-19 continua a desafiar as comunidades médicas e uma das ameaças …

Sepultura de genocídio encontrada no Ruanda pode conter 30 mil corpos

No Ruanda, foi encontrada uma sepultura que pode conter 30 mil vítimas do genocídio no país em 1994. Cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram assassinados. Mais de 25 anos depois de um genocídio …

Belenenses SAD entra parcialmente em lay-off

"A indústria do futebol está entre as mais atingidas pelos efeitos da pandemia", que provocou a suspensão de praticamente todas as provas futebolísticas, destaca o Belenenses SAD. O Belenenses SAD, da I Liga de futebol, entrou …

Dois milhões de máscaras furtadas em Espanha podem ter sido vendidas em Portugal

O equipamento médico e sanitário furtado está avaliado em cinco milhões de euros e terá sido adquirido por uma empresa portuguesa que conhecia a proveniência do material. Um empresário de Santiago de Compostela foi detido por, …

Facebook terá tentado comprar um software de espionagem em 2017

O Facebook tem estado envolvido em vários escândalos e o mais recente está relacionado com a alegada compra da ferramenta Pegasus, usada para hackear iPhones. A empresa de segurança informática NSO Group, responsável pela Pegasus, alega …

Primeiro-ministro espanhol diz que coronavírus desafia o futuro da UE. E fá-lo em sete idiomas

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez publicou no domingo um artigo em sete idiomas europeus, argumentando que o coronavírus pode ser a ruína da União europeia (UE) caso não sejam tomadas medidas mais drásticas para lidar …