/

Gil Vicente 0-2 Benfica | Quando complica Veríssimo resolve

O Benfica rodou, sofreu mas venceu, na difícil deslocação a Barcelos. O Gil manteve a coesão defensiva durante quase todo o jogo, com Kritciuk na liderança, mas os golos da vitória surgiram no final, permitindo aos “encarnados” manter a senda vitoriosa e pensar agora no decisivo duelo em Eindhoven

Dia de (Krit)ciuk anulado pelo goleador Veríssimo

O Gil mostrou desde início, trazer a lição estudada, apostando na boa organização defensiva e no aproveitamento da posse e o contra-ataque para não facilitar a vida aos “encarnados”. Ainda assim o Benfica foi acumulando situações de relativo perigo, com Taarabt (bola nos ferros e livre directo bem colcado) e Gilberto (lance anulado) como protagonistas iniciais. Yaremchuk receberia uma promissora bola de Everton por volta dos 33 minutos para, descaído pela esquerda, atirar por cima da baliza. Finda a primeira parte Cebolinha era o destaque estatístico, com três passes de bola corrida, seguido do guardião gilista Kritciuk, autor de de duas defesas importantes.

Com o figurino da primeira parte a manter-se Jesus decidiu lançar Pizzi, João Mário e André Almeida aos 58 minutos, nos lugares de Yaremchuk, Taarabt e Gilberto. A primeira ocasião flagrante (válida) do jogo pertenceria curiosamente ao Gil, com Murilo a testar Odysseas à queima-roupa. Mais tarde seria Gonçalo Ramos a fazer o mesmo, de cabeça, frente ao (cada vez mais) “muro” Kritciuk. Jesus atirava homens para o relvado, agora com Darwin e Grimaldo a renderem Everton e Gil Dias. O Benfica ia apertando o garrote em redor da área gilista.

Aos 84′ caia o muro russo: o central (cada vez mais) goleador Lucas Veríssimo subiu para desfazer a igualdade, qual ponta de lança. Pouco depois Grimaldo fazia levantar o estádio com uma bomba arqueada que não deu hipótese a Kritciuk. O Benfica resolvia um jogo difícil em Barcelos, mantendo a série vitoriosa e pensando agora no PSV.

Manuel Fernando Araújo / Lusa

O MVP GoalPoint

Mais um jogo mais um golo, mais um tento decisivo. Lucas Veríssimo 7.2 desbloqueou um caso complicado, no coração da área, qual ponta-de-lança, após 85 minutos a fazer o seu trabalho de base: três desarmes, duas intercepções, dois duelos aéreos ganhos nos dois que disputou e 71 passes certos (88%), oito deles aproximativos (máximo do jogo a par de Morato). Com este arranque de época já pouco se discutirá o acerto na contratação deste centralão.

Outros Ratings

Destaques do Gil Vicente

Stanislav Kritciuk 6.3 – Continua a ser um mistério a trajectória da sua carreira face à qualidade que vai demonstrando, com particular frequência em duelos difíceis contra os grandes. Foi o protagonista durante a maior parte do jogo e ia bem encaminhado rumo ao MVP, quando Veríssimo quebrou a sua muralha. Ainda sofreu mais um mas quando o golo é daqueles há pouco a apontar.

Destaques do Benfica

Morato 7.1 – Mais um jogo promissor do novo central. Igualou Otamendi no máximo de passes certos do jogo (76) e igualou Veríssimo no máximo de passes aproximativos  (8). Foi o jogador com mais recuperações de posse na partida (13) e o que mais conduções aproximativas fez (3). Ainda compôs tudo isto com oito acções defensivas, quatro delas desarmes.

Soualiho Meïté 6.7 – Foi dos que subiu de produção quando o Benfica mais precisou. Sem grande atividade defensiva destacou-se no passe, com 56 certos e sete deles aproximativos. Não rematou mas ofereceu dois passes para finalização, um deles para ocasião flagrante.

Gil Dias 6.6 – Melhor na segunda parte, recolheu ao banco quando liderava os ratings. Somou dois passes para finalização, dois dribles em duas tentativas, três duelos aéreos defensivos em cinco disputados e 10 acções defensivas, quatro delas no meio-campo gilista (máximo do jogo quando saiu)

Álex Grimaldo 6.4 – Que golaço Foram só 22 minutos mas sempre a somar, com um grande golo em dois remates e sucesso nos 14 passes que fez.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Gonçalo Ramos 6.3 – Trabalhador, fez quatro remates, três passes para finalização, mostrou acerto no passe (89%) e conduziu bola (2 aproximações). Podia ter decidido o jogo mais cedo mas Kriticiuk não quis. Haveria de se redimir com a assistência para o golaço de Grimaldo.

Otamendi 6.3 – Muito participativo na circulação e certo ao Gil, juntou-se a Morato no máximo de passes certos (76, 91% certos). Não perdeu um único duelo aéreo defensivo nos quatro que disputou.

Everton Cebolinha 6.0 – Terminou a primeira parte com o melhor rating, muito fruto de ter oferecido, pelo passe, três ocasiões de finalização aos colegas. Saiu com um feito atípico: venceu três duelos aéreos ofensivos em quatro disputados mas caiu de facto na segunda parte.

João Mário 5.9 – Saltou do banco para jogar apenas 34 minutos mas o suficiente para mexer com o jogo. Terminou sem falhar um único passe em 27, dois deles para finalização e um para ocasião flagrante. Fez ainda um remate, embora à figura de Kritciuk, em local onde talvez de se exigisse melhor.

Odysseas Vlachodimos 5.9 – Foi o protagonista da “picuinhice” da semana mas não acusou. Foi obrigado apenas a duas defesas, mas uma delas a ocasião flagrante e correspondeu. Seguro.

Pizzi 5.3 – Foi dos que saltou do banco para fazer a diferença e fez, ao assistir o primeiro e porventura o mais importante golo do Benfica. Somou dois passes para finalização, três remates e falhou apenas um passe, dos 19 que fez. Não tem melhor rating porque, antes de ajudar a resolver o problema, falhou ele próprio uma ocasião flagrante.

Gilberto 5.3 – Pensou ter inaugurado o marcador mas estava fora-de-jogo. Fez dois passes para finalização e completou dois dribles em cinco tentativas. Pouco activo no plano defensivo, fez apenas um desarme.

Adel Taarabt 5.7 – Em plano de evidência no início do jogo, atirou aos ferros e logo a seguir para defesa de Kritciuk, num livre directo. Apesar de ter feito um passe de ruptura não fez qualquer passe para finalização dos colegas, ao contrário do que seria de esperar na sua posição.

Roman Yaremchuk 4.9 – Apareceu duas vezes no jogo, uma com um remate por cima da baliza, outro para golo mas em fora-de-jogo. Somou dois remates, nenhum deles enquadrado e um passe para finalização. Saiu aos 58 minutos com 13 acções com bola, sete delas com perda de posse.

  // GoalPoint

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.