Gigante gasoso em órbita de estrela minúscula põe em causa a teoria da formação planetária

Mark Garlick / Universidade de Warwick

Impressão artística do planeta NGTS-1B

Um planeta gigante acaba de ser descoberto e a sua existência ameaça a atual visão sobre a formação dos planetas. O novo objeto é simplesmente muito grande para a estrela que orbita.

O planeta, conhecido como NGTS-1b, é um pouco menos maciço do que Júpiter e orbita uma estrela com metade da massa e metade do raio do Sol. As teorias atuais assumiram que uma estrela tão pequena não conseguiria reunir material suficiente para formar um planeta tão grande.

A descoberta foi possível graças à NGTS (Next-Generation Transit Survey, na sigla em inglês) e é relatada nos Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

“A descoberta de NGTS-1b foi uma completa surpresa para nós – planetas maciços não foram pensados ​​para existir em torno de estrelas tão pequenas. Este é o primeiro exoplaneta que encontramos com as novas instalações da NGTS e já estamos a desafiar a teoria da formação planetária”, disse o autor principal do estudo, Daniel Bayliss, da Universidade de Warwick, em comunicado.

NGTS-1b é cerca de 0,8 vezes a massa de Júpiter e tem aproximadamente o mesmo tamanho. O planeta orbita a estrela em 2,6 dias devido à órbita próxima e tem uma temperatura de 530°C.

A estrela é uma anã M, uma das mais comuns na galáxia. Isso sugere que, mesmo que este planeta seja uma exceção à regra, pode haver outros para serem descobertos. “O nosso desafio agora é descobrir quão comum estes planetas são na galáxia e, com a nova instalação NGTS, estamos preparados para fazer isso”, disse Bayliss, citado pelo IFLScience.

O NGTS faz parte do Observatório Paranal, do Observatório Europeu do Sul, no norte do Chile. O objetivo do NGTS é procurar gigantes gasosos em torno de estrelas brilhantes, por isso este objeto foi fora do comum por várias razões.

“NGTS-1b foi difícil de encontrar, apesar de ser um ‘monstro’ de planeta, porque a estrela-mãe é pequena e fraca. Estrelas pequenas são as mais comuns no universo, por isso é possível que muitos desses planetas gigantes demorem a ser encontrados”, acrescentou o coautor do estudo, Peter Wheatley, também da Universidade de Warwick.

O sistema planetário está localizado a 600 anos-luz da Terra e milhões de estrelas vagam pelo universo dentro desta distância do nosso planeta. Logo, a NGTS poderia detetar mais “planetas monstruosos” à espreita onde não se espera que sejam encontrados.

EM, ZAP // Ciberia

PARTILHAR

RESPONDER

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …

Multimilionários refugiam-se da Covid-19 a bordo de iates

Vários multimilionários têm procurado refugiar-se da pandemia de Covid-19, que nasceu em dezembro passado na China, em alto mar, a bordo de iates de luxo. Em declarações ao jornal The Telegraph, Jonathan Beckett, executivo da …

Este mamífero consegue sobreviver a quase sete mil metros de altura

Cientistas pensam ter confirmado que um pequeno rato descoberto no vulcão Llullaillaco, nos Andes, é o mamífero que consegue viver à maior altitude já conhecida (6739 metros). Segundo o IFLScience, o Phyllotis xanthopygus rupestris foi descoberto, …

O glaciar Denman recuou quase cinco quilómetros nos últimos 22 anos

O glaciar Denman, na Antártica Oriental, recuou cerca de cinco quilómetros nos últimos 22 anos. Investigadores da Universidade da Califórnia, Irvine e do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA estão preocupados coma topografia exclusiva …

Gruta em Setúbal mostra que os Neandertais também eram pescadores

Cientistas encontraram restos de alimentos numa gruta, no distrito de Setúbal, que comprovam que os Neandertais também se alimentavam de espécies marinhas. De acordo com o jornal espanhol ABC, restos encontrados por uma equipa de arqueólogos …

Associação alerta para riscos da mudança da hora em tempos de confinamento

O presidente da Associação Portuguesa de Cronobiologia e Medicina do Sono advertiu hoje que os efeitos potencialmente adversos causados pela mudança da hora podem acentuar-se devido ao confinamento obrigatório das pessoas na sequência da pandemia …

Governo português legaliza estrangeiros ilegais. "A prioridade é a defesa da saúde"

O Governo português decidiu regularizar os estrangeiros com pedidos pendentes no Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, medida em vigor desde a declaração do estado de emergência, no dia 19, e que lhes garante os mesmos …

Cirque du Soleil despediu 95% dos trabalhadores e pode ir à falência (mas vai dando shows online)

O Cirque du Soleil pode ser mais uma vítima do coronavírus. A empresa que gere o circo está a analisar a possibilidade de declarar a falência devido a dívidas avultadas e depois de ter despedido …

Ordem dos Médicos está a avaliar uso de medicamento não testado para travar Covid-19

Portugal pode tornar-se no segundo país do mundo a usar hidroxicloroquina como forma de prevenção de Covid-19. A Ordem dos Médicos (OM) estará a estudar essa possibilidade, de acordo com o Expresso. O semanário refere que …