Gigante gasoso em órbita de estrela minúscula põe em causa a teoria da formação planetária

Mark Garlick / Universidade de Warwick

Impressão artística do planeta NGTS-1B

Um planeta gigante acaba de ser descoberto e a sua existência ameaça a atual visão sobre a formação dos planetas. O novo objeto é simplesmente muito grande para a estrela que orbita.

O planeta, conhecido como NGTS-1b, é um pouco menos maciço do que Júpiter e orbita uma estrela com metade da massa e metade do raio do Sol. As teorias atuais assumiram que uma estrela tão pequena não conseguiria reunir material suficiente para formar um planeta tão grande.

A descoberta foi possível graças à NGTS (Next-Generation Transit Survey, na sigla em inglês) e é relatada nos Monthly Notices of the Royal Astronomical Society.

“A descoberta de NGTS-1b foi uma completa surpresa para nós – planetas maciços não foram pensados ​​para existir em torno de estrelas tão pequenas. Este é o primeiro exoplaneta que encontramos com as novas instalações da NGTS e já estamos a desafiar a teoria da formação planetária”, disse o autor principal do estudo, Daniel Bayliss, da Universidade de Warwick, em comunicado.

NGTS-1b é cerca de 0,8 vezes a massa de Júpiter e tem aproximadamente o mesmo tamanho. O planeta orbita a estrela em 2,6 dias devido à órbita próxima e tem uma temperatura de 530°C.

A estrela é uma anã M, uma das mais comuns na galáxia. Isso sugere que, mesmo que este planeta seja uma exceção à regra, pode haver outros para serem descobertos. “O nosso desafio agora é descobrir quão comum estes planetas são na galáxia e, com a nova instalação NGTS, estamos preparados para fazer isso”, disse Bayliss, citado pelo IFLScience.

O NGTS faz parte do Observatório Paranal, do Observatório Europeu do Sul, no norte do Chile. O objetivo do NGTS é procurar gigantes gasosos em torno de estrelas brilhantes, por isso este objeto foi fora do comum por várias razões.

“NGTS-1b foi difícil de encontrar, apesar de ser um ‘monstro’ de planeta, porque a estrela-mãe é pequena e fraca. Estrelas pequenas são as mais comuns no universo, por isso é possível que muitos desses planetas gigantes demorem a ser encontrados”, acrescentou o coautor do estudo, Peter Wheatley, também da Universidade de Warwick.

O sistema planetário está localizado a 600 anos-luz da Terra e milhões de estrelas vagam pelo universo dentro desta distância do nosso planeta. Logo, a NGTS poderia detetar mais “planetas monstruosos” à espreita onde não se espera que sejam encontrados.

EM, ZAP // Ciberia

PARTILHAR

RESPONDER

Voto antecipado cria filas intermináveis em Lisboa e no Porto

A dez minutos do fecho das urnas, ainda havia muita gente a querer votar antecipadamente nas eleições europeias. As filas de espera eram longas no Porto e Lisboa. Houve quem desistisse de votar. Em Lisboa, as …

Desvendado o enigma do precioso vidro do deserto da Líbia

https://vimeo.com/336882972 Uma nova investigação acaba de dar resposta ao enigma do vidro da Líbia, que intriga cientistas há um século. O material, que chegou a ser utilizado pelo rei Tutankhamun, é fruto do impacto de um …

Funcionários públicos passam a receber hoje 75% do valor das progressões

Os funcionários públicos que reuniram dez pontos na avaliação de desempenho nos últimos anos começam hoje a receber com o salário 75% da progressão que esteve congelada, que passará a ser paga na totalidade em …

Pasta de dentes de carvão não branqueia os dentes (e faz muito mal)

O carvão ativado, como uma moda de saúde, começou a ficar popular em 2016. Hoje, podemos encontrá-lo em bebidas, gelados e pizza, por exemplo. Não há dúvida de que parte da atração está na estética das …

O exoplaneta mais tórrido já descoberto tem valiosas terras raras

A 650 anos-luz da Terra, o KELT-9 b, o exoplaneta mais quente até agora descoberto, tem assinaturas de alguns dos cobiçados minerais de terras-raras.  Além das assinaturas de ferro gasoso e titânio encontradas na sua atmosfera, …

Conseguirá a Terra sair ilesa se o Sol ficar sem combustível?

Planetas rochosos formados por elementos densos serão, muito provavelmente, os únicos sobreviventes da morte explosiva de uma estrela. Esta descoberta dá-nos pistas preciosas sobre o futuro da Terra. Quando uma estrela morre destrói tudo o que …

As colónias espaciais de Bezos flutuam, são auto-sustentáveis e até se podem parecer com Florença

O CEO da Amazon e fundador da empresa de transporte aeroespacial Blue Origin levantou o véu sobre os seus planos futuros, detalhando as suas ideias para a colonização do Espaço. Jeff Bezos sonha com "cápsulas" …

Descoberta nova espécie de rã de cristal na Colômbia

Uma rã de cristal com um coaxar peculiar foi descoberta na Sierra Nevada de Santa Marta, uma cordilheira localizada na Colômbia. "Foi um golpe de sorte", revelou o cientista que encontrou o novo espécime. Segundo …

O café mais caro do mundo vende-se na California. Custa 66 euros

Um café na California, nos EUA, prepara o que apresenta como o café mais caro do mundo. Chama-se Elida Natural Geisha 803 e custa 75 dólares (66 euros) por chávena. A rede Klatch Coffee Roasters, que …

Inglês pagou 265 euros por um Picasso falso. Afinal, era verdadeiro

Um residente da cidade de Crawley, na Inglaterra, comprou por 292 dólares (cerca de 261 euros) uma pintura que achava ser uma boa farsa de um conhecido trabalho de Pablo Picasso. Porém, seis meses depois, soube …