Geórgia – Azerbaijão: nos 10 titulares, oito são brasileiros

Federação de Futebol da Geórgia

Selecção de futsal da Geórgia canta hino no Europeu 2022

Uma selecção muito brasileira da Geórgia está pela primeira vez num grande torneio de futsal. E já está apurada para os quartos-de-final.

A Geórgia já assegurou a presença nos quartos-de-final do Europeu de futsal. Este foi o destaque desta quarta-feira, nos Países Baixos.

Na segunda jornada do Grupo D a Geórgia venceu pela margem mínima (2-1) diante da Bósnia e Herzegovina, com uma reviravolta confirmada por Thales e por Petry Branco; Kahvedžić tinha inaugurado o marcador para a Bósnia.

A selecção estreante confirmou o favoritismo logo à segunda jornada porque, no jogo seguinte (talvez o mais aguardado na fase de grupos), no mesmo grupo, Espanha e Azerbaijão empataram a duas bolas. Raúl Gómez e Lozano marcaram para os espanhóis, mas Lozano também marcou na própria baliza, antes do golo de Atayev.

Este 2-2 colocou o Azerbaijão com apenas um ponto, atrás da Espanha (quatro pontos) e da Geórgia, que tem seis pontos e já está apurada.

Brasil vs. Brasil

A líder do Grupo D está apurada porque, na primeira jornada, venceu surpreendentemente o Azerbaijão por 3-2. No sábado passado os azeris estiveram a ganhar por 0-2, com dois golos de Vilela, mas Elisandro, Sebiskveradze e Thales deram a volta.

Thales, Petry Branco, Elisandro… Estes jogadores são da selecção da Geórgia? São. São todos brasileiros mas naturalizaram-se.

Aliás, nesse duelo da primeira jornada entre Geórgia e Azerbaijão, o país mais representado foi…o Brasil. Seis brasileiros em cada selecção, 12 no total.

Olhando para as equipas titulares, verificamos que a Geórgia apresentou-se com Kupatadze, Thales, Chaguinha, Roninho e Elisandro. O cinco inicial do Azerbaijão foi composto por Kurdov, Eduardo Borges, Felipinho, Thiago Bolinha e Vassoura.

Resumo: só os guarda-redes nasceram no país que representam. Todos os outros oito titulares nasceram no Brasil.

E há caras conhecidas dos portugueses na selecção da Geórgia: Thales joga pelo Candoso, Elisandro é jogador do Sporting de Braga e Chaguinha foi figura do Benfica durante seis épocas.

Na lista de suplentes ainda estiveram Vilian Sousa e Bruno Petry (Geórgia), Finéo de Araújo e Rafael Vilela (Azerbaijão).

A Geórgia nunca tinha estado na fase final de um Europeu ou de um Mundial de futsal. Até registou uma goleada invulgar contra Portugal, perdendo por 18-1, em 2008. É a maior goleada que já sofreu.

Uma mudança de rumo, e diferente investimento, trouxe brasileiros para o conjunto nacional e surgiu este apuramento inédito para o Europeu 2022.

Dos seis brasileiros que estão no torneio, só Roninho jogou na Geórgia – há mais de 10 anos, pelo Iberia Tbilisi. Os outros cinco nunca viveram na Geórgia e nunca tiveram ligação com clubes locais.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE