Geólogos encontram bosque fossilizado nas montanhas da Antártida

Geólogos descobriram fragmentos fósseis de treze árvores com mais de 260 milhões de anos entre as rochas cinzentas que afloram de um campo de gelo nas Montanhas Transantárticas.

Trata-se do testemunho de um bosque que cresceu no fim do Período Pérmico, antes dos primeiros dinossauros, quando a Antártida ainda não se encontrava no Polo Sul. A descoberta aconteceu durante uma expedição ao Promontório McIntyre.

Em comunicado, Erik Gulbranson, um paleoecólogo e professor na Universidade de Winsconsin-Milwaukee, disse que já sabia da existência dos fósseis na Antártida “desde a expedição Robert Falcon Scott de 1910-12. No entanto, há muito território por explorar ali”.

O Período Pérmico acabou há 251 milhões de anos, na maior extinção massiva da história, já que a Terra mudou rapidamente. Mais de 90% das espécies na Terra desapareceu, incluindo os bosques polares. Gulbranson acredita que as árvores nos bosques antárticos eram uma espécie muito abundante e está a estudar por que razão se extinguiram.

Muitos cientistas agora acreditam que um aumento massivo dos gases de efeito estufa na atmosfera, como o dióxido de carbono e o metano, tenha causado a extinção do Pérmico-Triásico. É provável que no transcorrer de 200 mil anos – um curto tempo, geologicamente falando – as erupções vulcânicas na Sibéria libertem muitas toneladas de gases de efeito estufa para a atmosfera,

Isbell, um distinguido professor de geociências, estudou previamente os depósitos glaciares do Pérmico da Antátida para determinar como mudou o clima. Nesta expedição utilizou as rochas à volta das árvores fossilizadas para determinar como é que estes se encaixam na história geológica da Antártida.

“Este bosque é um amostra da vida antes da extinção, o que nos pode ajudar a compreender o que causou este evento”, disse Gulbranson. Também pode dar pistas sobre coo as plantas eram diferentes das atuais.

No final do Período Pérmico, a Antártida era mais quente e húmida do que hoje. Os continentes, tal como os conhecemos, estavam agrupados em duas massas continentais gigantes: uma no norte e outra no sul. A Antártida era parte de Gondwana, o super-continente que abarca o Hemisfério Sul que também inclui a atual América do Sul, África, Índia, Austrália e a Arábia.

Na altura, haveria uma mistura de musgos, ferns e uma planta extinta chamada Glossopteris. Os cientistas acreditam também que é provável que o bosque se estendesse por todo continente Gondwana.

Gulbranson disse que os bosques fósseis eram diferentes dos bosques atuais. Durante o Período Pérmico, os bosques foram um conjunto potencialmente pouco diverso de diferentes tipos de plantas com funções específicas que afetaram a forma como todo o bosque respondeu às mudanças ambientais. Isto contrasta com os bosques modernos de latitudes altas que mostram uma maior diversidade de plantas.

“Este grupo de plantas deve ter sido capaz de sobreviver e prosperar numa variedade de ambientes. É extremamente raro, inclusive hoje, que um grupo apareça em quase todo o hemisfério do globo”, disse Gulbranson.

PARTILHAR

RESPONDER

Novo governo transformou a Áustria no "cinzeiro da Europa"

Muitos países ocidentais - entre os quais Portugal - já baniram o tabaco dos bares e restaurantes. Mas a Áustria nega-se a seguir essa tendência. De acordo com uma lei aprovada em 2015, a Áustria deveria …

Físicos criaram uma nova forma de luz

Cientistas do Instituto de Tecnologia de Massachusetts e da Universidade de Harvard demonstraram que é possível que dois feixes de luz se encontrem e se fundam num único fluxo luminoso. Se tentarmos cruzar a luz de …

ALMA observa um donut giratório de gás e poeira em redor de um buraco negro supermassivo

Observações de alta resolução com o ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array) captaram um toro de gás rotativo e empoeirado em torno de um buraco negro supermassivo ativo. A existência destas estruturas giratórias em forma de donut …

Porto vs Rio Ave | Dragão devolve chapa 5

Vitória esclarecedora do FC Porto na recepção ao Rio Ave. A equipa “azul-e-branca” venceu por 5-0, num jogo em que marcou muito cedo e foi construindo o resultado com eficácia ofensiva e alguma fortuna nos …

Algoritmo descobriu qual a cidade mais verde do mundo

Como podemos saber quis as cidades mais verdes do mundo? Somar os parques e praças? Mapear as zonas arborizadas? E contar o número de árvores plantadas? Uma pesquisa recente do Sensable City Lab, do MIT - Instituto …

Instrumentos cirúrgicos podem espalhar a proteína do Alzheimer

Novas proteínas sugerem que uma das proteínas responsável pelo desenvolvimento da doença poderia ser transmitida a pacientes saudáveis através de materiais cirúrgicos. Um grupo de cientistas descobriu uma nova prova de que a proteína beta-amiloide, implicada …

Três pessoas detidas por fraude bilionária em banco da Índia

Duas pessoas ligadas ao PNB, Banco Nacional do Punjab, e um responsável do grupo financeiro do empresário joalheiro Nirav Modi foram detidos este sábado, acusados de uma fraude de cerca de 1,5 mil milhões de …

Comentários racistas sobre Meghan Markle fazem cair líder de partido

O líder do partido eurocético britânico UKIP, Henry Bolton, foi demitido após uma votação em que os afiliados demonstraram falta de apoio no seguimento de comentários racistas da sua ex-companheira sobre a futura mulher do …

Montenegro abandona o Parlamento e admite disputar liderança do PSD no futuro

O ex-líder parlamentar do PSD Luís Montenegro anunciou que vai deixar o parlamento a 5 de abril, 16 anos depois de ter tomado posse, e prometeu ao partido que poderá no futuro disputar a liderança. "Conhecem …

Os inimigos dos aztecas construíram uma cidade com tantos edifícios como Manhattan

Uma equipa de cientistas realizou uma análise minuciosa de uma antiga cidade, no oeste do México, construída por um povo inimigo dos aztecas: os purepechas. A cidade recebeu o nome de Angamuco e, de acordo com …