Ganso, o “Zidane 2” que ia ser melhor que Neymar — mas que nunca saiu da sua sombra

Santos FC

Paulo Henrique Ganso e Neymar Jr.

Paulo Henrique Ganso brilhou ao lado de Neymar no Santos e muitos diziam que era até melhor que ele. O médio acabou por nunca conseguir corresponder às expectativas.

A final do Campeonato do Mundo de Clubes, em 2011, colocou frente-a-frente o Barcelona e o Santos. A equipa brasileira tinha no seu alinhamento um dos jovens mais entusiasmantes dos últimos tempos: Neymar Jr.

Um pouco mais atrás no terreno, no meio-campo, estava outro jovem talentoso. Paulo Henrique Ganso é um nome pouco conhecido no futebol mundial, embora já tenho andado nas bocas do mundo por ser uma das suas maiores promessas.

Com estes dois jogadores, o Peixe conquistou por três vezes o Paulistão (2010, 2011 e 2012), a Libertadores (2011), a Copa do Brasil (2010) e uma Recopa Sul-Americana (2012).

Depois de o Santos conquistar a Libertadores, a lenda brasileira Sócrates disse até que Ganso era o melhor jogador da atual geração.

Com apenas 23 anos, Ganso já tinha conquistado uma série de títulos, tinha-se tornado internacional pela Canarinha e, em menos de quatro anos, já tinha 36 golos marcados. Nada mau para um médio distribuidor de jogo.

Tiago Alves, atacante e ex-companheiro da dupla no Santos, acredita que Ganso tinha mais qualidade que o próprio Neymar. “Ganso era melhor. Ele fazia coisas que o Neymar não fazia com a bola”, explica o jogador ao canal Vamo Pro Jogo no YouTube.

Desde cedo, o próprio Neymar reconhecia o talento do seu colega de equipa. “Ele é um génio. Eu digo-lhe que ele é o Zidane 2. Acho que ele vai ser melhor que o Zidane”, disse o internacional brasileiro à Globo Esporte.

“Ganso é um personagem muito importante na minha história, porque subimos juntos da formação para o profissional”, lembrou Neymar Jr. no seu site oficial. “Foi um grande orgulho jogar com ele e formar essa dupla que fez história no Santos”.

Na altura em que partilharam balneário no Santos, a dúvida persistia sobre quem era o maior craque. O destino eventualmente forneceu essa resposta, com Neymar a ser uma das estrelas do Paris Saint-Germain e Ganso a jogar no Fluminense, depois de uma passagem falhada pela Europa, ao serviço do Sevilha e do Amiens.

Há quem culpe as lesões pelo falhanço de Ganso. Depois de uma operação aos ligamentos cruzados anteriores do joelho esquerdo, que obrigou a sete meses de recuperação, o futebol de Ganso nunca mais foi o mesmo.

Ganso tem atualmente 32 anos de idade e contrato com o Fluminense até dezembro de 2023. A situação do internacional brasileiro no Flu não é a melhor, com a claque a pedir a saída do jogador. Em quatro anos ao serviço do clube, Ganso marcou apenas 13 golos e fez oito assistências.

O caso de Neymar e Ganso é em muito semelhante ao de Cristiano Ronaldo e Fábio Paím. Enquanto um se tornou num dos maiores jogadores da História, o outro nunca conseguiu ter cabeça para vingar.

“Que jogador é este? Não existe”

Recentemente, em entrevista à ESPN Brasil, o ex-futebolista Roberto Brum, que jogou com Ganso e Neymar no Santos, falou da qualidade da dupla.

“Os dois jogadores impressionaram desde o primeiro treino profissional”, conta o antigo jogador da Académica e do Sporting de Braga.

“O Ganso tem uma personalidade bem introvertida, é uma pessoa fantástica, muito humilde, e o Neymar, por incrível que pareça, hoje ele não passa essa imagem, mas também era um menino muito tímido e muito franzininho. Tanto o Neymar como o Ganso, tinham esse biotipo franzino, só que o Ganso, maior e um pouco mais maduro. Automaticamente, ele despontou melhor do que o Neymar, no início ele valia até mais do que o Neymar”, lembrou Brum.

“O Ganso era um fenómeno. A defesa montada, com o trinco na frente, e ele encontrava os colegas na cara do golo. Nós dizíamos: ‘Que jogador é este? Não existe’. Ficávamos impressionados”, acrescentou.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.