Galp entra no polémico projecto da mina do Barroso e garante metade do seu lítio

Savannah Resources / ASMAA

Mina de lítio do Barroso

A Galp vai adquirir 10% do projecto de exploração de lítio da Mina do Barroso, em Montalegre, por 6,4 milhões de dólares (5,26 milhões de euros). O acordo assinado com a Savannah Resources implica que a Galp ficará com metade da produção de lítio.

A Galp adquire “uma posição de 10% do capital nas subsidiárias portuguesas da Savannah que detêm a Mina do Barroso por 6,4 milhões de dólares [5,26 milhões de euros]”, anuncia a empresa mineira australiana num comunicado enviado à bolsa de Londres.

O valor “vai ser usado para dar continuidade aos trabalhos com vista ao estudo definitivo de viabilidade do projecto, após as devidas autorizações e a conclusão dos acordos definitivos com vista à parceria”, aponta ainda o documento.

“A presença e a experiência estratégicas da Galp no sector energético português e europeu serão uma significativa mais-valia para levar o projecto até à fase de produção”, considera também a Savannah Resources.

Além da aquisição de 10% do capital que permite à Galp entrar na administração da mina, a empresa de combustíveis assegura a participação em metade da produção de lítio da mina.

“A Galp e a Savannah vão avaliar, em regime de exclusividade, um contrato de offtake para até 100.000 toneladas de concentrado de lítio da Mina do Barroso, equivalendo a aproximadamente 50% da produção anual”, destaca-se no comunicado da empresa australiana.

Promotores falam de “convincentes benefícios”, mas população discorda

O director executivo da Savannah, David Archer, fala da Galp como “um potencial investidor e um futuro parceiro estratégico“, notando que se trata de uma das “empresas europeias lideres no espaço da energia e das renováveis” e que tem um compromisso com a “transição energética”, além de possuir “a riqueza da experiência no desenvolvimento de projectos de grande escala”.

“Acreditamos que a baixa pegada de carbono do concentrado de lítio da Mina do Barroso fornecerá uma base fundamental para a transição energética da Europa para o sector eléctrico de mobilidade”, destaca ainda Archer.

“A Mina do Barroso vai fornecer uma série de convincentes benefícios económicos, sociais, demográficos e ambientais para a região do projecto, para Portugal e para a Europa”, destaca também o responsável da Savannhah, considerando que será “um catalizador para o desenvolvimento” no nosso país de “potenciais novas indústrias no meio e a montante do ecossistema de baterias de íon-lítio” do Velho Continente.

O projecto tem sido alvo de duros protestos das populações locais e de autarcas da zona, com críticas de que vai afectar as produções agrícolas, de criação de gado e de apicultura numa região que está classificada como Património Agrícola Mundial.

A mina a céu aberto deve produzir mais de um milhão de toneladas de minerais por ano, o que será suficiente para fabricar baterias para 250 a 500 mil carros anualmente.

Susana Valente, ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Um medicamento comum utilizado para tratar a diarreia pode ajudar a combater células cancerígenas agressivas

Um fármaco comum prescrito para tratar a diarreia pode ajudar a combater um tipo agressivo de cancro cerebral (glioblastoma), sugere uma nova investigação levada a cabo pela Universidade de Frankfurt, na Alemanha. Em causa está …

"Bola de fogo" cruzou o céu sobre o Mediterrâneo a 105 mil quilómetros por hora

Uma "bola de fogo" atravessou o mar Mediterrâneo e o norte de Marrocos na noite de quarta-feira, a 105.000 quilómetros por hora. A bola de fogo foi observada por um projeto científico espanhol a uma velocidade …

Duterte rejeita que a filha o vá suceder na liderança das Filipinas. "Isto não é para mulheres"

O líder das Filipinas, Rodrigo Duterte, descartou, na quarta-feira, a hipótese de a filha o vir a suceder no próximo ano, acrescentando que a presidência não é tarefa para uma mulher por causa das …

"Uma memória a flutuar no oceano." Encontrada, dois anos depois, uma mensagem numa garrafa

Uma mensagem no interior de uma garrafa sobreviveu a uma viagem de dois anos pelo oceano. Recentemente, chegou às mãos de um ativista ecológico, enquanto limpava uma praia da Papua Nova Guiné. Em novembro do ano …

As células imortais de Henrietta Lacks revolucionaram a Ciência

O ano de 1951 foi muito importante no campo da biotecnologia e, surpreendentemente, tudo começou com a chegada de Henrietta Lacks a um hospital norte-americano. Descendente de escravos, Loretta Pleasant nasceu a 1 de agosto de …

Humanidade não será capaz de controlar máquinas superinteligentes, avisam cientistas

Uma equipa de investigadores do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano sugere que seria impossível controlar máquinas superinteligentes. A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) continua a evoluir de vento em popa, enquanto alguns cientistas e …

Em 1950, a vacinação em massa salvou a Escócia

Em 1950, Glasgow, na Escócia, viu-se a braços com um surto de varíola e o cenário era muito semelhante ao que vivemos hoje: as autoridades sanitárias tentavam rastrear todos os contactos de pessoas portadoras do vírus, …

Japonês aluga-se a si próprio "para não fazer nada". E tem milhares de clientes

Um homem japonês que ganha a vida a alugar-se a si próprio “para não fazer nada” atraiu milhares de clientes. O negócio começou em 2018. Por 10.000 ienes (cerca de 79 euros) - mais despesas com …

Documentos de vacinas roubados por hackers também foram "manipulados"

A Agência Europeia do Medicamento, entidade reguladora da União Europeia (UE), informou este sábado que os documentos da vacina contra a covid-19 roubados e colocados na Internet por hackers foram também "manipulados". A manipulação aconteceu depois …

Há 11 anos que não se consumia tanta eletricidade num só dia. A culpa é do frio

O país está a bater recordes de energia, tanto em termos de pico como de consumo diário. A culpa é da vaga de frio que assolou Portugal neste Inverno. O consumo de eletricidade bateu, na quarta-feira, …