Galiza “exporta” para Portugal a água contaminada do rio Lima

paula soler-moya / Flickr

A deterioração das águas do Rio Lima deve-se ao despejo descontrolado de resíduos das produções industriais agro-pecuárias, especialmente quintas de porcos, que proliferam na Galiza. É o Ministério de Transição Ecológica de Espanha que o assume num documento recente quando é evidente que as águas contaminadas no país vizinho são “exportadas” para Portugal.

Os elevados níveis de contaminação por nitratos no Lima, resultado da actividade pecuária e agrícola na zona da Galiza, estão a ter impacto negativo também no lado português do rio que nasce em Ourense e que atravessa o Alto Minho numa extensão de 67 quilómetros dos 108 do total do seu curso.

É uma “contaminação que se exporta para Portugal”, conforme a análise do jornalista Eduardo Bayona num artigo no jornal espanhol Público.

Bayona revela como as autoridades espanholas têm “tolerado um crescimento desordenado e disparatado” do sector agro-alimentar e como a Convenção de Albufeira que procura mediar os caudais dos rios que Espanha e Portugal dividem e regular a qualidade das suas águas, não tem conseguido cumprir os objectivos para que foi criada.

Mas a pressão da Comissão Europeia, que já abriu um procedimento a Espanha pelos elevados níveis de amoníaco detectados em várias zonas, está a obrigar as autoridades espanholas a olharem para o problema.

O Ministério da Transição Ecológica (MTE) de Espanha publicou, nesta semana, um decreto com uma revisão da regulamentação do sector suíno, nomeadamente em termos de gestão ambiental, que impõe condições técnicas e documentais às quintas de produção intensiva.

Uma posição que surge depois de um documento da Confederação Hidrográfica do Minho-Sil, tutelada pelo MTE, ter concluído, com base em resultados de um estudo de 2018, que “os nitratos presentes no Lima são consequência da aplicação de purinas de origem animal no terreno e que, por filtração, a contaminação chega aos caudais”.

Em toda a bacia do rio, “são especialmente as actividades agro-pecuárias na zona do Lima e do Minho-Alto as que maior impacto produzem”, aponta a Confederação, sugerindo que “a massa de água da barragem de As Conchas”, na Galiza, seja declarada como “afectada por nitratos de origem agrária“.

A Confederação também assume que a situação está a provocar a eutrofização, ou seja, o crescimento excessivo de plantas aquáticas que abalam o ecossistema, afectando a biodiversidade e a qualidade da água, além da proliferação de cianobactérias, microorganismos aquáticos “potencialmente problemáticos pela possibilidade de que se gerem toxinas que os convertam em perigosos”.

Este documento é significativo, tanto mais depois de anos em que queixas de ambientalistas caíram em saco roto.

A Sociedade Galega de História Natural (SGHN) já alertava, num documento de 2014, que havia “depósitos de mais de 600 toneladas de resíduos numa parcela de apenas dois hectares”, atribuindo à “má gestão dos resíduos orgânicos das quintas industriais”, “os níveis mais altos de contaminação” por nitratos já detectados na zona, bem como a eutrofização e presença de cianobactérias na barragem de As Conchas.

A SGHB apontava ainda que a descarga de resíduos estava sempre a crescer desde 1989, com efeitos de contaminação que “equivalem aos de uma população de 1.400.000-1.600.000 pessoas”, ou seja, “à metade de toda a população da Galiza concentrada em apenas 1% da sua superfície”.

Mas se, na altura, os alertas da SGHB não surtiram efeito, o decreto do MTE está, agora, a deixar os produtores pecuários preocupados, com receios de que possam vir a ter que pagar pelas soluções para o problema.

Nos últimos tempos, já houve alguns confrontos entre ambientalistas e produtores, com situações de grande tensão que obrigaram a Guarda Civil a intervir.

Um elemento do Movimento Ecologista Galego, Manuel García, está a ser processado por uma das grandes empresas agro-pecuárias da zona depois de ter denunciado a situação na televisão. A empresa quer um milhão de euros de indemnização e já avisou que vai processar todos aqueles que lhe apontem o dedo.

Entretanto, o rio Lima continua a sofrer e com isso todas as populações espanholas e portuguesas que convivem com ele.

SV, ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

Até as bactérias precisam de espaço. Células esmagadas desligam a fotossíntese

Quando as bactérias ficam esmagadas, podem entrar num modo de defesa e desligar a fotossíntese, concluiu uma investigação recente, levada a cabo por cientistas da University of Colorado Boulder, nos Estados Unidos. A equipa da universidade …

Siza Vieira admite aulas por canais "estilo youtube" ou TV por cabo

O Governo está a estudar soluções que garantam que todos os alunos têm acesso aos conteúdos educativos no terceiro período, adiantou o ministro da Economia. O Governo está a estudar soluções que garantam que todos os …

Retificação ao diploma do lay-off simplificado trava despedimentos

Uma retificação ao diploma inicial do ‘lay-off’ simplificado, hoje publicada, vem acautelar que nenhum trabalhador de empresas que recorra a este apoio pode ser alvo de despedimento coletivo ou extinção de posto de trabalho. O decreto-lei …

Rocha desafia teoria da escassez de oxigénio na Terra primitiva

Uma rocha sedimentar única rica em carbono, depositada há dois mil milhões de anos, deu aos cientistas novas pistas sobre as concentrações de oxigénio na superfície da Terra nessa época. De acordo com a agência Europa Press, …

As bactérias formam comunidades na nossa língua (e uma imagem revela como)

Cientistas norte-americanos descobriram que as bactérias que vivem na nossa língua têm uma organização complexa e altamente estruturada. Os micro-organismos estão em toda a parte - até no interior da nossa boca. Um novo estudo revela …

Como sobreviver ao isolamento? Astronautas explicam

Em todo o mundo, cidades e até países inteiros estão em quarentena como forma de travar a propagação do novo coronavírus, Covid-19. Alguns astronautas deixaram conselhos sobre como sobreviver ao isolamento. Para alguns, o auto isolamento …

"Indiana Jones do mundo da arte" recupera manuscrito do poeta persa Hafez

Uma das primeiras cópias do reverenciado Divan do autor do século XIV Hafez, iluminado com ouro, será leiloado no início de abril. O famoso poeta persa do século XIV, Hafez, escreveu uma coleção de versos místicos …

O palco onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda

O palco de madeira onde os Beatles atuaram pela primeira vez está à venda. Agora, alguém poderá replicar o primeiro concerto da famosa banda. A 10 de abril, em comemoração dos 50 anos da separação da …

Células estaminais podem ajudar a proteger os astronautas da radiação espacial

Assim que os astronautas deixam a proteção do campo magnético da Terra, ficam automaticamente expostos a níveis elevados de radiação cósmica. A Agência Espacial Europeia (ESA) está cada vez mais focada em investigações para reduzir …

Pandemia pode trazer nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas

A pandemia de Covid-19 pode trazer uma nova geração de robôs capazes de realizarem tarefas perigosas como limpeza de superfícies infetadas ou vigiar pessoas em quarentena, afirmam esta quarta-feira alguns dos principais investigadores internacionais em …