Futsal: Portugal vence a Rússia e revalida título de campeão da Europa

1

EPA/Gerrit van Keulen

Seleção portuguesa de futsal celebra a conquista do campeonato europeu, depois de vencer a Rússia

Equipa das quinas foi a perder para o intervalo, mas conseguiu assegurar a reviravolta.

Portugal venceu esta tarde a Rússia por 4-2 na final do Campeonato da Europa de futsal, garantindo o segundo título consecutivo na modalidade. À semelhança do que já tinha acontecido no jogo das meias-finais, contra Espanha, o encontro de hoje foi marcado pela emoção, depois de a equipa das quinas ter ido para o intervalo em desvantagem (2-1).

No segundo tempo, Portugal foi a equipa dominante, e exercendo pressão, conseguiu materializar essa vantagem com um golo de André Coelho, fruto de um lançamento lateral, quando faltavam 13 minutos para o final do jogo. A vantagem surgiu também por André Coelho, assistido por Miguel Ângelo, a 8 minutos do fim.

A equipa portuguesa foi aguentando o sufoco imposto pelos russos na reta final, assegurando a vitória com mais um tento de Panny Varela a dez segundos do fim, selando, assim, a conquista do título.

É a primeira vez que, no futsal, uma selecção consegue esta sequência em quatro anos: ser campeã europeia, mundial e novamente campeã europeia. A Espanha já tinha sido campeã mundial e depois campeã europeia duas vezes seguidas.

No final do encontro, o selecionador Jorge Braz mostrou-se obviamente feliz com a conquista e destacou o orgulho que sentiu pelos seus jogadores, tanto pelo que fizeram no jogo como no espírito de equipa e união demonstrado ao longo de toda a competição.

“Sermos nós. Desfrutar e ter orgulho no que fazemos. Tem sido uma felicidade enorme estar com esta malta. Tínhamos que terminar como vivemos os dias todos. Fomos Portugal e tivemos muito orgulho no nosso futsal, no nosso desporto. Fomos felizes todos os dias aqui. Estava com a alma cheia e tinha que terminar assim. Faltava-lhes acreditar um pouco nisso, mas foram fantásticos.”

Para além de muitos milhares de portugueses que acompanharam o derradeiro jogo, também o primeiro-ministro e o Presidente da República celebraram a vitória. Na sua conta oficial do Twitter, António Costa enviou as suas facilitações e referiu o facto de a equipa continuar a fazer história na modalidade.

Na manhã seguinte, Marcelo Rebelo de Sousa recebeu os campeões no palácio de Belém, e deixou palavras fortes e positivas sobre Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, que continuou a acreditar no seleccionador Jorge Braz, mesmo após vários anos sem qualquer grande conquista.

Soube esperar, acreditar, percebeu que estava a ser feito um trabalho que ia dar frutos e isto não é muito português. Em Portugal, ao primeiro desaire a ideia é mudar tudo o que se pode”, disse o presidente da República.

E Marcelo fez contas: “Em 98 anos de Federação Portuguesa de Futebol, tínhamos conquistado 15 títulos europeus e mundiais. Em 10 anos, durante os mandatos de Fernando Gomes, conquistámos 15 títulos europeus e mundiais, tantos como na restante história. Quer dizer que fez a diferença, porque criou um espírito de família, porque preparou, soube organizar as estruturas, escolher as pessoas certas”.

(artigo atualizado às 13h24 do dia 7 de Fevereiro)

  Ana Rita Moutinho //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.