Fusão nuclear: Cientistas estão prestes a ligar máquina revolucionária

Ao longo de mais de 60 anos, os cientistas têm sonhado com uma fonte de energia limpa e inesgotável através da fusão nuclear – e continuam a sonhar. Agora, graças aos esforços do Instituto Max Planck de Física de Plasma, os especialistas esperam que isso possa mudar em breve.

O instituto concluiu no ano passado a construção da maior máquina de fusão nuclear do mundo do seu tipo, chamada stellarator.

O aparelho de 16 metros de largura recebeu o nome Wendelstein 7-X (W7-X) e, ao fim de mais de um ano de testes, os engenheiros estão finalmente prontos para ligar a máquina de 1,1 mil mihões de dólares pela primeira vez – o que poderá acontecer antes do final deste mês, de acordo com a Science.

Stellarators são máquinas muito difíceis de construir. O vídeo abaixo demonstra a construção da W7-X, que levou 19 anos a ficar pronta.

O Business Insider relata que, entre 2003 e 2007, enquanto esta máquina-monstro estava em construção, este sofreu grandes contratempos – incluindo o facto de um dos fabricantes ter abandonado o negócio – que quase cancelaram todo o empreendimento. Pouquíssimos stellarators tiveram sua construção iniciada até hoje – e menos ainda foram concluídos.

Por comparação, o “primo” mais popular do stellarator, chamado tokamak, é o tipo de máquinas mais usado. Há mais de 30 tokamaks operacionais em todo o mundo, e mais de 200 construídos ao longo da história. Estas máquinas são mais fáceis de construir e, no passado, provaram fazer o trabalho de um reator nuclear melhor do que o stellarator.

No entanto, os tokamaks têm uma grande falha a que o W7-X é declaradamente imune – mas já lá vamos.

Como funciona um reator nuclear

Matthias W Hirsch / Wikipedia

Tokamak

Tokamak

A chave para um reactor nuclear bem sucedido de qualquer tipo é gerar, limitar e controlar uma bolha de material super-aquecido, chamado plasma – um gás que tenha atingido temperaturas de mais de 100 milhões de graus Celsius.

A estas temperaturas incandescentes, os eletrões são arrancados dos seus átomos, formando o que são chamados de iões. Sob estas condições extremas, as forças repulsivas, que normalmente fazem com que os iões saltem uns contra os outros como carrinhos de choque, são superadas.

Consequentemente, quando os iões colidem, eles se fundem, gerando energia, e temos o que é chamado de fusão nuclear. Este é o processo que tem alimentado o nosso Sol ao longo de cerca de 4,5 mil milhões de anos e continuará a fazê-lo por mais cerca de quatro mil milhões de anos.

Enquanto os engenheiros tentam aquecer o gás no reator à temperatura certa, são utilizadas bobinas magnéticas super-refrigeradas para gerar campos magnéticos intensos que contêm e controlam o plasma.

A diferença entre tokamaks e stellarators

(dr) C. Bickel / Science / IPP

Stellator

Stellator

Durante anos, os tokamaks foram consideradas as máquinas mais promissoras para o aproveitamento da energia do sol, porque a configuração das suas bobinas magnéticas contém um plasma que é melhor do que a dos stellarators que existem atualmente.

Mas há um problema: os tokamaks só podem controlar o plasma em rajadas curtas que não duram mais de 7 minutos – e a energia necessária para gerar aquele plasma é maior do que a energia que os engenheiros obtêm destas rajadas periódicas.

Os tokamaks, portanto, consomem mais energia do que produzem, o que não é o esperado dos reatores de fusão nuclear, que têm sido apontados como a “fonte de energia mais importante do próximo milénio”, como afirmou Terry Slavin na sua coluna no Observer, do jornal The Guardian.

Por causa do design dos stellarators, os especialistas suspeitam que este poderia sustentar o plasma durante pelo menos 30 minutos a uma hora, o que é significativamente mais do que qualquer tokamak. O tokamak francês Tore Supra detém o atual recorde: 6 minutos e 30 segundos.

Se o W7-X for bem-sucedido, ele poderia transformar completamente a comunidade da fusão nuclear e lançar os stellarators na centro das atenções.

“O mundo está à espera para ver se obtemos o tempo de isolamento e depois o prendemos por um longo pulso”, declarou à Science David Gates, o chefe da Física do stellarator no Laboratório de Física de Princeton Plasma.

HypeScience

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Se isto funcionar desta (já houve diversas “falsas partidas”) estamos perante o santo graal da energia; energia barata, limpa e inesgotável.
    Espero que seja bem aproveitada para beneficio de toda a Humanidade e não apenas para lucro e mordomias de alguns.

  2. “(…) quando os iões colidem, eles se fundem, gerando energia, e temos o que é chamado de fusão nuclear.” – que tristeza de explicação científica!!! Não se fala em núcleos de átomos de hidrogénio que através de temperaturas extremas se fundem para formar núcleos de átomos de hélio, não se diz que dois núcleos de átomos de hidrogénio pesam mais do que um núcleo de átomo de hélio e que a massa que falta se transformou em energia, de acordo com a famosa fórmula de Einstein E=mc2 (o 2 significa “quadrado”).
    Outra “pérola” é a expressão: “A estas temperaturas incandescentes, os eletrões são arrancados dos seus átomos, formando o que são chamados de iões.” Em parte alguma do artigo científico (?) se refere que os campos magnéticos controlam o plasma porque ele fica electrizado devido à existência de iões e electrões livres, deixando de haver um equilíbrio entre cargas positivas (protões) e cargas negativas (electrões) como acontece no hidrogénio a temperaturas normais. É necessário o uso destes toróides magnéticos para se poder manter o plasma dentro de uma estrutura fechada mas sem entrar em contacto com a superfície interna porque a temperaturas tão altas qualquer material ficaria destruído. Isso é conseguido através da repulsão magnética a que o plasma é sujeito. Como as forças repulsivas têm uma direcção de fora para dentro de uma forma uniforme, o plasma é repelido para o interior da estrutura afastando-se da sua superfície interior.

RESPONDER

Impactos antigos revelam que Marte levou mais tempo a formar-se do que pensávamos

O Sistema Solar primitivo era um lugar caótico, com evidências indicando que Marte provavelmente foi atingido por planetesimais, pequenos protoplanetas com até 1900 km em diâmetro, no início da sua história. Cientistas do SwRI (Southwest Research …

Para ouvir a nova música dos Pearl Jam tem de apontar o telemóvel para a Lua

A banda de rock norte-americana Pearl Jam está empenhada em usar as tecnologias ao serviço da criatividade e da promoção do novo disco, que vai ser lançado no dia 27 de março. Uma semana antes do …

Roedor gigante pré-histórico tinha um cérebro de apenas 113 gramas

O crânio de um roedor que viveu há dez milhões de anos, na América do Sul, indica que, apesar de este animal ter sido grande e pesado, o seu cérebro era totalmente o oposto. De acordo …

"Estrela da Morte". Trump tem máquina de desinformação de mil milhões de dólares para ser reeleito

Face às eleições presidenciais dos EUA que se realizem este ano, Donald Trump montou uma máquina de desinformação, conhecida por "Estrela da Morte", avaliada em 1 mil milhão de dólares. Enquanto se desenrolam as primárias democratas …

Procura mundial de petróleo pode alcançar o seu nível mais baixo numa década por causa do coronavírus

O surto de coronavírus afetará de forma "significativa" a procura global por petróleo, podendo esta atingir o seu nível de procura mais baixo numa década, alerta a Agência Internacional de Energia (IEA). Com a desaceleração da …

Vitória SC 1-2 Porto | “Dragão” cola-se à liderança

A Liga NOS está ao rubro. O FC Porto foi a Guimarães vencer o Vitória SC por 2-1 e está a apenas um ponto da liderança do campeonato, na sequência da derrota do Benfica no …

Ventura não faz "fretes". Chega não viabilizará Governo do PSD se não houver cedências

Para governar com a direita, o PSD precisa do recém-eleito Chega. No entanto, há características que separam os partidos: enquanto que os sociais-democratas se querem estabelecer ao centro, André Ventura estabelece linhas vermelhas e não …

Egito atinge 100 milhões de habitantes (mas não há grandes motivos para celebrar)

A população do Egito atingiu os 100 milhões de habitantes, tornando-se no país árabe mais populoso e o terceiro em África atrás da Etiópia e da Nigéria, anunciaram ontem as autoridades. O calculador eletrónico instalado no …

Coronavírus: Há mais dois casos suspeitos em Portugal

Há mais dois casos suspeitos de infeção por coronavírus em Portugal. Os doentes, que vieram da China, já foram encaminhados para o Hospital Curry Cabral, em Lisboa, e para o Hospital de São João, no …

Morreu o ator Tozé Martinho

O ator António José Bastos de Oliveira Martinho, mais conhecido como Tozé Martinho, morreu este domingo aos 72 anos. Tozé Martinho morreu este domingo, aos 72 anos. O ator foi levado para o Hospital de Cascais, …