Mais férias e mais 100 euros por mês para funcionários públicos que se mudem para o Interior

José Sena Goulão / Lusa

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão

Os funcionários públicos que optem por trabalhar no interior do país recebem um incentivo de 4,77 euros por dia e mais dois dias de férias por ano, ao abrigo de uma portaria que foi publicada nesta terça-feira em Diário da República.

A portaria que determina o valor da compensação pecuniária do Programa de Incentivos à Fixação de Trabalhadores do Estado no Interior entra em vigor nesta quarta-feira.

O novo diploma define os incentivos, de natureza pecuniária e não pecuniária, a atribuir aos trabalhadores com vínculo de emprego público integrados nas carreiras gerais, que adiram ao programa criado por decreto-lei de Junho de 2020.

O Governo pretende “promover algum reequilíbrio” e “contribuir para reduzir as assimetrias entre o interior e o litoral e, dessa forma, promover a coesão territorial”, explica à agência Lusa a ministra da Modernização do Estado e Administração Pública, Alexandra Leitão.

A ministra salienta que, com a entrada em vigor da portaria, o programa de incentivos passa a estar disponível para os assistentes operacionais, assistentes técnicos e técnicos superiores, mas que não se aplica a médicos e professores, por exemplo.

Os trabalhadores interessados poderão candidatar-se através das modalidades da mobilidade ou do teletrabalho, lembra ainda Alexandra Leitão.

No caso da mobilidade, os trabalhadores transferem-se para um local de trabalho no interior do país onde haja uma vaga para a sua categoria e funções.

Mas tem de ser uma vaga que não possa ser ocupada localmente, segundo Alexandra Leitão.

O teletrabalho também não pode preencher uma vaga local, terá de ser sempre compatível com as funções do trabalhador em causa e pode ser feito no domicílio, obviamente do interior do país, ou num “espaço de ‘coworking’ [partilha de espaço de trabalho]”, explica a ministra.

Ou seja, o trabalhador continuará a trabalhar para o mesmo serviço onde estava, em Lisboa ou noutra cidade, mas na sua nova morada no interior.

Incentivo durante três anos

A nova portaria determina que os trabalhadores com vínculo de emprego público integrados nas carreiras gerais que adiram ao programa, mudando ou alterando temporariamente o local de trabalho para uma área geográfica de baixa densidade, irão receber uma compensação pecuniária de 4,77 euros por dia de trabalho, “o que corresponde à duplicação do subsídio de refeição”, ou seja, mais 104,94 euros por mês.

Este incentivo é pago enquanto se mantiverem as condições de trabalho que determinaram a sua atribuição, no máximo durante três anos. “É um incentivo a ir”, nota Alexandra Leitão.

Os trabalhadores em causa terão também direito a mais dois dias de férias, à dispensa de serviço, até cinco dias úteis, no período imediatamente anterior ou posterior ao início de funções no novo posto de trabalho e ao gozo de 11 dias úteis consecutivos do período de férias a que legalmente têm direito em simultâneo com o cônjuge ou com a pessoa com quem vivem em união de facto.

Existe ainda a garantia de transferência escolar dos filhos de qualquer dos cônjuges ou de pessoa com quem viva em união de facto, nos termos gerais do despacho das matrículas.

Os incentivos não pecuniários também têm duração máxima de três anos, que é o tempo de duração do programa.

O programa pretende promover “a igualdade e a coesão territorial, combatendo as disparidades regionais que se verificam, em particular, entre as grandes áreas metropolitanas e os concelhos mais periféricos do interior”, explica o Governo.

Ao mesmo tempo, visa contribuir para “a construção de uma sociedade digital, por via dos incentivos ao teletrabalho, que pode constituir igualmente um mecanismo de fixação de postos de trabalho em regiões menos populosas”.

Este programa pode ainda ajudar ao “cumprimento da meta do Governo de, até ao final da legislatura, ter em teletrabalho pelo menos 25% dos trabalhadores de entre o universo daqueles que exercem funções compatíveis com esta modalidade de trabalho”.

O decreto-lei n.º 40/2020, de 17 de Julho, prevê, nomeadamente, que podem ser criados espaços partilhados de trabalho, designados de “centros de teletrabalho“, destinados aos trabalhadores que adiram ao programa na modalidade de teletrabalho, independentemente do empregador público a que estejam subordinados.

O regime constante do decreto-lei será reavaliado, “tendo em conta a eficácia e eficiência face aos resultados pretendidos, ao fim de três anos”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Novo surto levanta dúvidas sobre quarentena de 21 dias na China

Um homem que completou 21 dias de quarentena obrigatória ao retornar do exterior para a China foi identificado como a provável fonte de um novo surto, infetando mais de 60 pessoas, incluindo 15 estudantes do …

Meta do Bloco de Esquerda nas autárquicas é "ter mais força"

A coordenadora do Bloco de esquerda (BE) traçou esta segunda-feira o objetivo de "ter mais força" nestas autárquicas, mas sem quantificar metas, considerando que mesmo quem não concorda com tudo o que defendem os bloquistas, …

Algo vai mal no Palmeiras de Abel: mais tempo, piores resultados

A Libertadores concentra as atenções dos jogadores e dos adeptos mas, entretanto, a liderança do Brasileirão fugiu. O Palmeiras estava numa fase excelente há pouco tempo. No final de Julho completou uma série de nove vitórias …

No GP de Itália, Monza pintou-se de papaia e o halo voltou a salvar uma vida

Resultado do Ricciardo e Norris (P1 e P2) é o melhor da Mclaren desde 2010. Acidente de Max Verstappen e Lewis Hamilton, os grandes candidatos ao título do mundial de pilotos, foi um dos assuntos …

Mais 458 casos e cinco mortes. Portugal tem mais de um milhão de recuperados de covid

Portugal registou mais 458 novos casos e cinco mortes por covid-19 nas últimas 24 horas, segundo os dados da Direcção-Geral da Saúde. Desde Junho que o país não tinha um número de novos casos tão …

Alemanha. Scholz vence segundo debate e consolida liderança a duas semanas das legislativas

O líder do SPD consolidou assim a sua liderança nas sondagens, apesar de Armin Lashcet, da CDU, ter saído mais ao ataque. O actual Ministro das Finanças da Alemanha e líder dos sociais-democratas, Olaf Scholz, foi …

Crónica ZAP - Linha de Fundo por Teófilo Fernando

Linha de Fundo: Em tons de amarelo e vermelho

O energético clássico. O reforço da liderança do Benfica goleador. O regresso de Ronaldo com golos. O milésimo jogo de Mourinho. As frases e os números da semana. Visto da Linha de Fundo. Líder dá lição …

Açores querem alcançar em 2024 certificação de ouro como destino turístico sustentável

Autoridades pretendem fazer uma gestão do crescimento do turismo na ilha, de forma a evitar excessos que sejam prejudiciais para o ambiente. Os Açores querem "elevar os padrões de sustentabilidade" e alcançar, em 2024, a certificação …

Marine Le Pen e Anne Hidalgo lançam-se nas presidenciais francesas de 2022

Anne Hidalgo e Marine Le Pen anunciaram as suas respetivas candidaturas à presidência de França nas eleições do próximo ano. A campanha presidencial em França registou esta segunda-feira uma aceleração com a candidatura da responsável socialista …

Messi não saiu por motivos económicos: "O presidente da Liga tem uma obsessão pelo Barcelona"

  O melhor de sempre, segundo o presidente da Liga, poderia ter continuado em Barcelona, se a direção catalã quisesse. Presidente do clube já reagiu. Como se esperava, a saída de Lionel Messi do Barcelona continua a …