O francês que atravessava o Atlântico a remo morreu ao largo dos Açores

3

nborges / Flickr

Ilha de S. Miguel, nos Açores

O francês Jean-Jacques Savin, de 75 anos, morreu ao tentar bater o recorde do mundo da travessia do Atlântico a remos.

Jean-Jacques Savin, um aventureiro francês de 75 anos, foi encontrado sem vida, no sábado, ao largo dos Açores, indicou a sua equipa de apoio, citada pela agência AFP.

“Após dois alertas de socorro na sexta-feira, quando fazia a travessia entre a Madeira e os Açores, deixou de dar sinais de vida”, revelou o Correio da Manhã.

“A Marinha portuguesa acionou meios e este sábado localizou a pequena embarcação, com oito metros de comprimento e 1,70 de largura. Lá dentro estava o corpo”, acrescentou.

Em 2019, o ex-paraquedista militar residente em Arès, no sudoeste de França, passou quatro meses num barco em forma de barril – de 3 metros de comprimento e 2,10 metros de diâmetro – para atravessar o Atlântico, impulsionado pelo vento e pela corrente.

A viagem durou 127 dias e foi seguida por milhares de pessoas no Facebook.

Desta vez, Savin esperava chegar de novo às Caraíbas, mas num barco a remos de 8 metros de comprimento e 1,70 metros de largura, com uma estação de remo no centro.

Na sua última publicação nas redes sociais, Savin, que teve que mudar a sua trajetória em até 900 quilómetros por causa dos ventos fortes dos primeiros dias, disse que estava a enfrentar ondas fortes e a força do vento.

Isto custa-me energia física. Não se preocupem, não estou em perigo!”, acrescentou, na quarta-feira.

  ZAP //

3 Comments

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE