Cientistas descobriram fragmento de um antigo continente no Canadá

NASA / Michael Studinger / Wikimedia

Ilha de Baffin, no Canadá

Cientistas descobriram um fragmento de um antigo continente na ilha de Baffin, no norte do Canadá.

Ao analisar amostras de exploração de diamantes da ilha de Baffin, no Canadá, cientistas identificaram uma assinatura mineral que nunca esperavam encontrar, avança o site Science Alert.

Esta ilha, localizada perto da Gronelândia, tem uma área de mais de 500 mil metros quadrados, fazendo dela a maior ilha do Canadá e a quinta maior do mundo.

“Os quimberlitos são foguetes subterrâneos que recolhem passageiros a caminho da superfície. Os passageiros são pedaços sólidos de rochas nas paredes que carregam uma riqueza de detalhes em condições muito abaixo da superfície do nosso planeta ao longo do tempo”, explica a geóloga Maya Kopylova, da Universidade da Colúmbia Britânica.

Neste caso, estas rochas tinham uma assinatura mineral que coincidia com outras partes do Cráton do Atlântico Norte (NAC), uma parte antiga da crosta continental da Terra.

“A composição mineral de outras partes do Cráton do Atlântico Norte é tão única que não houve dúvidas. Foi fácil juntar as peças. Os cratões antigos adjacentes no norte do Canadá têm mineralogias completamente diferentes”, explica Kopylova, autora principal do estudo publicado, em janeiro, na revista científica Journal of Petrology.

A placa continental do NAC dividiu-se em fragmentos há 150 milhões de anos e, atualmente, estende-se desde o norte da Escócia, da Gronelândia e da província canadiana de Labrador. O fragmento recentemente identificado adiciona aproximadamente 10% à extensão conhecida do Cráton do Atlântico Norte.

“Com estas amostras, podemos reconstruir as formas dos continentes antigos com base em rochas mais profundas do manto. Agora podemos entender e mapear não apenas a camada mais fina da Terra, que representa 1% do volume do planeta, mas o nosso conhecimento é literal e simbolicamente mais profundo”, conclui Kopylova.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Cientistas dão um importante passo na criação de uma Internet quântica segura

Uma nova investigação da Universidade de Harvard e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, revelou o elo que faltava para termos uma Internet quântica funcional e prática: uma forma de corrigir os …

Os pedregulhos de Bennu brilham como faróis para a Osiris-Rex da NASA

Este verão, a sonda OSIRIS-REx empreenderá a primeira tentativa da NASA de tocar a superfície de um asteroide, recolher uma amostra e recuar em segurança. Mas, desde que chegou ao asteroide Bennu há mais de …

Cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para futuros desastres

Especialistas ouvidos pelo portal One Zero acreditam que cidades subterrâneas podem ser um bom refúgio para populações que possam vir a enfrentar desastres naturais no futuro potenciados pelas alterações climáticas. À medida que os desastres naturais …

Descobertas três novas espécies de pterossauro em Marrocos

Cientistas encontraram três novas espécies de pterossauro, que viveram no deserto do Sahara, há 100 milhões de anos, em Marrocos. De acordo com o site EurekAlert!, estas três novas espécies de pterossauro faziam parte de um …

Texto português do século XVI mostra eficácia da quarentena

Um especialista australiano descobriu num texto português do século XVI uma prova de que a quarentena ou o isolamento podem impedir a globalização de uma doença como a covid-19, que já provocou mais de 30 …

Coronavírus. Mercados chineses continuam a vender morcegos

Nem com a pandemia de covid-19 a China abre mão dos seus velhos hábitos. Embora o novo coronavírus tenha tido origem num mercado de animais exóticos, em Wuhan, muitos destes sítios continuam a funcionar normalmente …

No Twitter, o discurso de ódio contra chineses cresceu 900%

A L1ght, uma empresa que mede a toxicidade das plataformas digitais, partilhou recentemente um relatório no qual revela que o discurso de ódio contra a China e contra os chineses teve um crescimento de 900%. Donald …

Há mais pessoas em quarentena do que vivas durante a 2ª Guerra Mundial

Um terço da população mundial - 2,6 mil milhões de pessoas - está em quarentena. São mais seres humanos em isolamento do que aqueles que estavam vivos para testemunhar a 2ª Guerra Mundial. Na terça-feira, o …

Biblioteca virtual no Minecraft dá voz a jornalistas censurados de todo o mundo

Enquanto governos de todo o mundo reprimem a liberdade jornalística e censuram a sua imprensa nacional, a Reporters Without Borders está a trabalhar para chegar ao público através de um canal improvável: uma enorme biblioteca …

Há mais 19 mortos em Portugal. Número de casos confirmados perto dos 6.000

Portugal registou, este domingo, mais 19 mortes devido ao surto de covid-19. O número de casos confirmados é de 5.962, mais 792 em relação aos números de sábado. A Direção-Geral de Saúde revelou este domingo o …