Fotografia de Salgueiro Maia em cartaz da Juventude Popular provoca polémica

(dr) Alfredo Cunha / Fundação Mário Soares

Salgueiro Maia, 25 de abril (detalhe)

O fotógrafo Alfredo Cunha vai processar a Juventude Popular pela utilização, sem a sua autorização, e pela manipulação de uma fotografia sua do “capitão de Abril” Salgueiro Maia, num cartaz divulgado nas redes sociais a propósito do 25 de Abril.

“Tem todos os ingredientes para me deixar furioso. Primeiro, a fotografia é roubada, depois é manipulada. Como tal, irei partir para tribunal para tratar do assunto”, disse à Lusa o fotógrafo Alfredo Cunha, depois de o jornal Observador ter avançado a notícia.

O autor da icónica foto de Salgueiro Maia sublinhou não querer fotografias suas usadas por partidos, “muito menos por um partido de direita” com “uma mensagem ambígua“.

O cartaz digital da Juventude Popular (JP), a juventude do CDS-PP, usa parte da imagem do capitão de Abril, com um filtro azul, lendo-se as seguintes frases: “25 de Abril. A liberdade é de quem a dá aos outros! e não dos que se afirmam donos dela”.

O líder da JP, Francisco Rodrigues dos Santos, reagiu com uma nota publicada na sua página na rede social Facebook, na qual defende que a fotografia de Alfredo Cunha é já “património imaterial do país” e foi usada de “boa-fé”.

“Ser-nos vedada a utilização de boa-fé, no quadro das comemorações de um dia de todos os portugueses, de uma fotografia considerada património imaterial do país, cujo autor é sobejamente conhecido, soa-nos à negação dos valores que aquele dia histórico quis restaurar”, lê-se na nota.

Francisco Rodrigues dos Santos argumenta que tal está vertiginosamente perto “dos idos de má memória da ditadura e do PREC, Processo Revolucionário em Curso, onde aconteciam perseguições ideológicas, condenações por delito de opinião, saneamentos do pluralismo e proibição do acesso à democracia por quem não se afirmasse socialista”.

“Parece-nos, pois, que as motivações deste processo de intenções não são jurídicas, outrossim políticas. Caso assim não fosse, teria o autor contactado a JP para imediatamente fazer constar a indicação dos créditos, pedido a que acederíamos prontamente”, acrescenta o líder da JP.

(dr) Alfredo Cunha

 Alfredo Cunha, um predestinado da fotografia, 47 anos atrás da câmara

Alfredo Cunha, um predestinado da fotografia, 47 anos atrás da câmara

Filho e neto de fotógrafos, Alfredo Cunha trabalhou na Lusa, no Público, na Visão, no Comércio do Porto, no Tal & Qual, 24 Horas, JN, acompanhou a AMI em África e Mário Soares durante 12 anos.

Reformou-se recentemente, aos 64 anos, depois de 47 anos de carreira como fotojornalista e mais de 3 milhões de fotografias tiradas por meio mundo – que captou sempre a preto e branco.

“A minha linguagem, a minha forma de expressão é o preto e branco. Eu nem vejo a cores, é que não vejo mesmo, só me interessa o gradiente de cinza e mais nada”, disse em março ao DN, por ocasião da inauguração da exposição “Tempo depois do Tempo”, na Maia – na qual não deixou de marcar presença uma certa fotografia de… Salgueiro Maia.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

    • Não, meu caro. A JC é que parasitou o trabalho deste senhor fotógrafo. A fotografia tem direitos de autor, e usá-la sem permissão é pirataria.

  1. “teria o autor contactado a JP para imediatamente fazer constar a indicação dos créditos, pedido a que acederíamos prontamente”. Que simpáticos. “fazer constar a indicação dos créditos”… Não! Pedir autorização para publicação/utilização e manipulação de uma obra de arte antes de a publicarem! Património imaterial…
    “Francisco Rodrigues dos Santos argumenta que tal está vertiginosamente perto “dos idos de má memória da ditadura e do PREC”. É… Na ltura não se pedia autorização a ninguém. Usava-se e pronto! Agora respeita-se o direito de autor! Actualize-se Sr Francisco Rodrigues dos Santos. A ditadura já lá vai…

  2. O processo deveria ter sido o inverso. A JC tinha de contactar o autor e a pedir a sua permissão.
    Não é apenas mencionar nos créditos.
    Sendo assim, iria ao supermercado buscar um carrinho cheio de compras, sem pagar e dizia ao Continente ou Pingo Doce: Depois tiro uma foto, coloco no meu perfil de FB e taggo-vos lá.
    Parece a mesma coisa, não é?

    • Olhe que não é bem. Se tivesse criado algo (uma escultura, pintura, fotografia) e alguém o usasse sem a sua autorização, (talvez para fins, quiçá suspeitos) não quereria uma satisfação? É que depois de usado publicamente só pode haver espaço para indemnização! Olhe que não é bem €s… Se alguém usasse o seu automóvel para fazer um assalto, não quereria uma indemnização? Se calhar pode ser um veículo vintage e o assaltante justifica-se com “património material”! Aceitava isso! De borla? É que depois de ser usado, já nada há a fazer (para voltar atrás). É preciso desincentivar este tipo de “manigâncias” senão qualquer um faz uso do que lhe é alheio e nada lhe acontece. Olhe: Utilizar a nossa bandeira para outro fim que não o único que tem! Não… não são os euros. É o respeito pelo trabalho de outros.

RESPONDER

Rolando é reforço do Sporting de Braga

Sem clube desde que deixou o Marselha no verão, Rolando é o novo reforço do Sporting de Braga. O defesa de 34 anos deverá ser apresentado pelo clube minhoto ainda hoje. Dado ao facto de estar …

Quinta do Lazareto rende 13 milhões à Sonangol

A alienação da Quinta do Lazareto, um dos ativos imobiliários que a Sonangol pôs à venda em Portugal, rendeu à petrolífera angolana 13 milhões de euros, 45% acima da expetativa inicial, segundo uma administradora da …

Professores exigem negociações sobre progressão da carreira e ameaçam avançar para tribunal

Cerca de 50 professores concentraram-se esta quinta-feira em Bragança, onde decorre o primeiro Conselho de Ministros descentralizado, para exigir a abertura das negociações com a tutela, avisando que, se o Governo não o fizer, a …

Governo dá mais dias de férias a funcionários que se mudem para o interior

O Governo aprova esta quinta-feira em Conselho de Ministros um regime de incentivos para os funcionários da Administração Pública que decidam ir trabalhar para o interior, com ajudas de custo ou compensações financeiras e mais …

Autarquias têm mais um ano para preparar descentralização

O Governo decidiu dar mais tempo às autarquias para estas se prepararem para a descentralização. O prazo passa para o primeiro trimestre de 2022. Segundo avançou o Jornal de Notícias, citado pelo ECO, após críticas aos …

Sá Fernandes ponderou sair do Livre (e apoia eventual candidatura de Ana Gomes a Belém)

Na sua primeira grande entrevista após o caso Joacine, Ricardo Sá Fernandes, dirigente do Livre, revelou ao Observador que ponderou sair do partido e admitiu apoiar uma possível candidatura da ex-eurodeputada socialista Ana Gomes às …

Medina diz desconhecer caso do alegado falso engenheiro

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse esta quarta-feira que não ter informação sobre o alegado falso engenheiro da empresa Tanagra, com quem a autarquia celebrou vários contratos para obras públicas. A TVI noticiou …

Parlamento debate fim das comissões bancárias no MB Way e nas prestações da casa

O Parlamento debate esta quinta-feira projetos do BE, do PCP, do PS, do PAN e do PSD sobre limitação e proibição de comissões bancárias, tendo os bloquistas, que agendaram esta discussão, expectativa de que os …

Castração química. Bloco de Esquerda é contra veto a projeto de lei do Chega (e explica porquê)

A Comissão Parlamentar de Assuntos Constitucionais, Direitos, Liberdades e Garantias considerou que o projeto de lei do Chega "não preenche os requisitos do ponto de vista constitucional". O Bloco de Esquerda votou contra e explicou …

Estado pode deixar de ganhar dinheiro com empréstimo ao Novo Banco

Atualmente, o Fundo de Resolução paga juros de 2% e 1,38% pelos empréstimos contraídos junto do Estado para financiar as medidas de resolução do BES e do Banif, respetivamente. Porém, esse valor pode descer para …