Paleontólogos encontram fósseis de lagarto pré-histórico com 4 olhos

Um lagarto, que viveu há 49 milhões de anos, tinha quatro olhos. De acordo com os cientistas, os dois olhos extra ajudavam a criatura a orientar-se.

Cientistas realizaram novas análises a fosseis descobertos por volta de 1871, no Wyoming, nos Estados Unidos, e descobriram um lagarto que tinha quatro olhos. Os dois olhos extra, situados no cimo da cabeça, ajudavam o animal a pressentir sinais de perigo.

“Os fósseis que estudamos até agora foram encontrados em 1871 e estavam em muito mau estado. Não é por acaso que os nossos antecessores não detetaram nada no momento da análise, mas nós percebemos que estudá-los pode ser de grande mais valia”, disse Krister Smith, da Universidade de Yale.

Muitos vertebrados primitivos, incluindo peixes e rãs, possuem um órgão incomum conhecido como “terceiro olho” que consegue captar a luz. Trata-se de um conjunto de células fotossensíveis que reconhecem mudanças ao nível da iluminação e respondem a certos movimentos.

Ao contrário do olho comum, o “terceiro olho” é uma continuação da glândula pineal, um grande sistema nervoso central endócrino. Por esta razão, desempenha uma função importante em certos animais, controlando, por exemplo, a sua reação à mudança das estações do ano.

Alguns lagartos, como explicou Smith, têm também um “terceiro olho”, mas a sua natureza e origem são objeto de debate entre os estudiosos, uma vez que está localizado no lugar “errado”, noutra parte do cérebro. Por essa razão, muitos cientistas acreditam que o “terceiro olho” dos répteis é de origem diferente do dos peixes e anfíbios.

Foi no estudo dos restos fossilizados de um lagarto pré-histórico (Saniwa ensidens) que viveu nos Estados Unidos, há cerca de 49 milhões de anos, que a equipa de Smith encontrou uma resposta para essa questão.

Os cientistas acreditam que este lagarto, com dois metros de comprimento, era um parente próximo dos lagartos modernos e combinava traços modernos e primitivos.

Ao estudar os fragmentos do crânio de um destes lagartos, os paleontólogos depararam-se com algo incomum: no topo da cabeça notaram dois buracos através dos quais as células nervosas podiam vazar. Depois de uma análise minuciosa, os cientistas descobriram que estes buracos estavam diretamente acima da epífise e da glândula pineal.

Segundo os cientistas, isto significa que estes lagartos não tinham três, mas sim quatro olhos, e que ambas as partes do cérebro, em vez de apenas uma delas, participavam na formação de tais órgãos de visão.

Os olho extra deviam servir para regular os ciclos de sonos e acasalamento, funcionando também coo uma bússola que ajudava na sua orientação, adiantam os cientistas.

O estudo foi publicado na Current Biology e explica também que este pode ser um novo passo na compreensão da evolução.

PARTILHAR

RESPONDER

O RRS David Attenborough, navio virgem dos reinos polares, já saiu do estaleiro

O navio RRS Sir David Attenborough saiu finalmente do seu estaleiro. O já lendário navio vai agora ser sujeito a alguns testes antes de ser oficialmente entregue ao serviço, em novembro deste ano. A construção do …

Vulcões ativos produzem 30 a 50% da atmosfera de Io

Novas imagens rádio obtidas pelo ALMA (Atacama Large Millimeter/submillimeter Array) mostram, pela primeira vez, o efeito direto da atividade vulcânica na atmosfera da lua de Júpiter, Io. Io é a lua mais vulcanicamente ativa do nosso …

Descobertas pegadas fossilizadas com mais de 10 mil anos. São a trilha pré-histórica de uma mãe com um bebé ao colo

Uma equipa de investigadores internacional descobriu o trilho pré-histórico mais comprido do mundo no Novo México, nos Estados Unidos. O novo estudo conta a historia de uma mulher que carregou um bebé nos braços durante …

Pure Skies. Empresa desenha cabines dos aviões do pós-pandemia

Desde o início da pandemia, os especialistas têm testado diferentes maneiras de alcançar o distanciamento social em aviões, embora com pouco sucesso. Agora, há uma empresa que está a levar esta ideia até ao próximo …

OE2021. Bloco de Esquerda vota contra na generalidade

O Bloco de Esquerda vai votar contra a proposta do Orçamento do Estado para 2021 na generalidade, anunciou a coordenadora do partido, Catarina Martins. Em declarações aos jornalistas, a bloquista confirmou este domingo que o …

PS ganha eleições nos Açores sem garantia de maioria absoluta

O PS voltou a ganhar as eleições regionais dos Açores, obtendo entre 37% e 41%, o que não garante a maioria absoluta, segundo a projeção à boca das urnas realizada este domingo pela Universidade Católica …

Extinção da fauna em Madagáscar pode dever-se à presença humana (e a mudanças climáticas)

Grande parte da fauna de Madagáscar e das ilhas Mascarenhas foi eliminada durante o último milénio. Neste sentido, uma equipa de cientistas analisou um registo do clima nos últimos 8000 anos nas ilhas. O resultado …

PAN vai abster-se na generalidade. OE mais próximo da aprovação

O partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) vai abster-se na votação na generalidade da proposta de Orçamento do Estado para 2021 (OE2021) na próxima quarta-feira, anunciou a líder parlamentar do partido, Inês Sousa Real. Com a abstenção dos três …

O passado tóxico fica para trás. Asbestos, a cidade "amianto", mudou de nome

A cidade canadiana Asbestos (que significa amianto) ganhou um novo nome, quase 11 meses após o anúncio da votação. Wuase metade dos cerca de 6 mil residentes da cidade canadiana marcaram presença numa votação organizada num …

Menino de 12 anos encontra fóssil de dinossauro com 69 milhões de anos

Nathan Hrushkin, aspirante a paleontólogo de 12 anos, encontrou o fóssil de um dinossauro enquanto passeava com o pai em Alberta, no Canadá. Depois de enviarem uma fotografia ao Museu Royal Tyrrell, ficaram a saber …