“Fiquei desesperado com o que vi no estádio. Sou um prefeito burro”

Yuri Edmundo / POOL / AFP

Adeptos do Atlético Mineiro

Confissão de um presidente de Câmara, depois do jogo entre Atlético Mineiro e River Plate.

Atlético Mineiro 3-0 River Plate: a exibição foi muito boa e o resultado não deixou dúvidas mas, fora dos relvados, a situação foi preocupante. Mais de 500 dias depois do último jogo com adeptos nas bancadas, o público voltou ao Mineirão. E não correu bem.

Não há imagens de cenas de violência mas há imagens de demasiada concentração de pessoas, numa altura em que se continua a tentar suavizar os números relacionados com o novo coronavírus.

Nesta quarta-feira, dia do jogo da Libertadores, foram confirmadas mais de mil mortes por causa da COVID-19 e já morreram mais de 571 mil pessoas no Brasil, infetadas pelo vírus. Mais de 20 milhões de pessoas apresentaram testes positivos no Brasil.

Apesar destes números, milhares de adeptos do Galo juntaram-se, celebraram e conviveram quase como se fosse um dia normal.

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, não poupou nas críticas: “Se foi evento teste, como disseram, não passou no teste. Isto não vai acontecer de novo, se for nestes moldes”.

“O que me entristeceu diante da minha alegria toda de ontem foram aquelas cenas horrorosas, irresponsáveis, porque o prefeito faz parte da irresponsabilidade, porque o prefeito burro é que aceitou que eles iam cumprir o compromisso que tinham com a prefeitura”, confessou.

Em entrevista a um programa da Globo nesta quinta-feira, o “presidente da Câmara” da capital de Minas Gerais acrescentou que ficou “desesperado” com o que viu no Mineirão, na noite anterior.

“A população tem que entender: nós queremos melhorar, ajudar, fazer tudo para melhorar, para compensar tudo o que passámos; mas quem pode colaborar, não colabora. Não foi isto que ficou combinado. E eu não tenho o menor receio de voltar tudo para trás. Estão enganados quem acha que ‘ah, é o Atlético, ele não vai fazer nada’. Não vai fazer, uma ova! Fizeram um desaforo e um desrespeito ao prefeito de Belo Horizonte”, avisou Kalil.

O Atlético Mineiro ainda não comentou o assunto.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.