Depois de 96 anos de história, a pastelaria Suiça fecha portas “permanentemente”

A pastelaria Suíça, em Lisboa, que se orgulha de ter introduzido em Portugal o croissant francês, encerrou nesta sexta-feira permanentemente, depois de o edifício onde se localiza desde 1922, no Rossio, ter sido comprado por fundos estrangeiros.

Além da Suíça, também hoje foi o último almoço serviço pelo restaurante Ano Novo, de comida tradicional portuguesa, na Rua dos Correeiros, por o novo senhorio, de nacionalidade holandesa, ter recusado renovar o contrato de arrendamento.

“A sensação que nós temos é que estão a desaparecer algumas lojas que têm um grande significado para este território. Ainda hoje fechou este restaurante que era muito especial aqui na zona e, enfim, temos aqui um conjunto de situações que nos desagradam”, disse Miguel Coelho, presidente da Junta de Santa Maria Maior.

Para o presidente da Associação de Dinamização da Baixa Pombalina, Manuel Lopes, “o problema é complexo”, um “ciclo de vida que está a acontecer”.

“Temos de ser claros e dizer que muitas das lojas encerradas cumpriram um ciclo de vida. Isto é como tudo: os anos vão passando as empresas fazem-se velhas, os administradores também se fazem mais envelhecidos e, se não houver sucessão, a empresa ou é vendida ou encerra pura e simplesmente”, disse. O presidente associativo destacou que o número de lojas a encerrar, “de facto, é elevado neste momento”.

“Infelizmente muitas das lojas não teriam possibilidades de continuidade, dado à sua forma de estar e o seu não aproveitamento da proximidade àquilo que é hoje o comércio e os serviços, mas há infelizmente um número elevadíssimo de um conjunto de lojas históricas que não deviam nem poderiam ser encerradas, porque elas tinham viabilidade e fazem parte da história da nossa Baixa”, considerou.

“A reabilitação – também temos que ser pragmáticos – ela tinha que acontecer, todos aplaudimos a reabilitação, o que não aplaudimos é a forma como estão a ser encerrados estabelecimentos que deveriam ter continuidade”, acrescentou, salientando que, devido ao atual mercado de arrendamento, “poucas empresas dirigidas ou na posse de portugueses têm condições de pagar aquilo que o mercado exige”.

Quem procurar na Internet pela histórica Pastelaria Suíça, encontra que o espaço está “encerrado permanentemente“. No caso da Suíça, houve a venda do quarteirão onde se localiza e os empresários terão chegado a acordo para sair do espaço.

A icónica pastelaria ainda se candidatou ao programa municipal “Lojas com História”, mas acabou por desistir. Numa carta enviada à Câmara de Lisboa a 15 de junho, e à qual a agência Lusa teve acesso, o proprietário revelou que se afigurava necessário “o encerramento da Pastelaria Suíça, pelo menos no espaço que agora ocupa”.

“Sucede que, desde o momento da aludida candidatura até à presente data, ocorreram várias vicissitudes que tiveram, e têm tido, um impacto negativo na exploração comercial da Pastelaria Suíça, impossibilitando a sua viabilidade, subsistência e continuidade no futuro”, refere a carta, assinada por Fausto Roxo.

Por isso, continua o texto, os proprietários desistiram do processo de candidatura a esta classificação, “dado que o mesmo deixou de se justificar”.

O restaurante Ano Novo, na Rua dos Correeiros, comprado pelo pai de Luís Lopes em 1960, serviu hoje almoços pela última vez.

“O senhorio vendeu o prédio a um indivíduo holandês e mandou uma carta a dizer que não renovava o contrato e já não era possível continuar aqui. Fomos despejados, embora sempre pagássemos a renda e cumpríssemos com as nossas obrigações”, disse à Lusa Luís Lopes, sócio-gerente, que trabalhava no restaurante familiar há 28 anos.

Luís Lopes salientou que “cada vez há menos comida portuguesa na Baixa e cada vez há de haver menos”. “Principalmente ao almoço, os clientes eram todos conhecidos nossos”, desabafou.

// Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Passava todos os dias por lá quando trabalhava na Baixa mas apenas lá entrei duas ou três vezes em muitos anos e não gostei. Preferia a Solmar na Rua das Portas de Santo Antão, a seguir ao Coliseu dos Recreios e pegada com o Ateneu Comercial de Lisboa.

  2. Altamente,
    AL para tudo e para todos, venham turistas venham ver outras AL e comer apenas FastFood.

    Com esta Politica desenfreada de venda e despejos o forte das cidades onde podem ter turistas deixa de ser um forte, pois muitas pessoas fazem viagem com roteiros e locais emblemáticos para as suas refeições.
    Porto e Lisboa estão na moda, ha investidores de grande peso, mas os portugueses tem a obrigatoriedade de ao venderem as suas propriedades de colocarem clausulas de manter os inclinos.

    Isso vemos nas fusões e OPAs nas empresas (responsabilidade acima de tudo)

RESPONDER

Companhia aérea australiana oferece voos de 7 horas (para lugar nenhum)

A companhia aérea australiana Qantas anunciou recentemente planos para um voo panorâmico de sete horas que fará um loop gigante em Queensland e Gold Coast, New South Wales e os remotos centros do interior do …

Barack Obama vai publicar um livro de memórias (mas só depois da eleições de novembro)

O livro de memórias do antigo Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, só vai ser publicado depois das eleições presidenciais de novembro. Uma enxurrada de livros políticos chegou às prateleiras nas últimas semanas, no final da …

Confrontos em Londres entre polícia e opositores das restrições devido à pandemia

A polícia de Londres, Inglaterra, entrou hoje em confronto com manifestantes que protestavam contra as restrições que visam conter a disseminação do novo coronavírus. De acordo com a agência Associated Press (AP), os confrontos ocorreram quando …

Milhares infetados por bactéria após fuga em fábrica farmacêutica chinesa

Milhares de pessoas no noroeste da China contraíram uma doença bacteriana depois de uma fuga que causou um surto numa biofarmacêutica no ano passado. De acordo com a CNN, que cita relatos dos media locais, mais …

Guardas da Revolução do Irão prometem vingar morte do general Soleimani

O chefe dos Guardas da Revolução, o exército ideológico do Irão, garantiu hoje que a morte do general Qassem Soleimani, alvo de um raide aéreo dos Estados Unidos, será vingada em “todos os seus implicados”. “Senhor …

"O mundo está no momento mais perigoso da história humana", diz Noam Chomsky

O professor norte-americano Noam Chomsky, conhecido como o pai da linguística moderna, advertiu que o mundo está no momento mais perigoso da história da humanidade devido à crise climática, à ameaça de guerra nuclear e …

Portugal com 849 novas infecções por covid-19. Há 20.722 casos activos

Portugal registou 849 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, mantendo-se a tendência de subida verificada nos dias anteriores. Mas o número de pacientes recuperados também não era tão alto desde Julho. O boletim da …

A Grândola Vila Morena abafou "a maior marcha alguma vez vista" do Chega

Com a Praça do Giraldo, em Évora, dividida por barreiras anti-motim, os participantes da concentração "Pela Liberdade" receberam os apoiantes do Chega de André Ventura ao som de "Grândola Vila Morena" e empunhando cravos vermelhos …

Pandemia assola Irão. EUA com mais 888 mortos. 19 países europeus bateram recorde de casos

Naquele que é o número mais elevado de casos diários desde abril, a Alemanha registou 2.297 novos contágios, 19 países europeus já ultrapassaram o recorde de casos do pico da pandemia. O Irão ultrapassou as …

Rangel "é um turista do carago". SMS atestam que Vieira usou Benfica em "benefício pessoal"

Luís Filipe Vieira é um dos acusados da Operação Lex, com o Ministério Público (MP) a alegar que o presidente do Benfica utilizou o clube em "benefício pessoal" para obter uma cunha do juiz Rui Rangel. O …