Ferimentos diurnos cicatrizam mais rápido do que os noturnos

Segundo uma pesquisa recente, ferimentos causados durante o dia cicatrizam mais rápido do que aqueles que foram causados durante a noite. Esta conclusão é explicada pela influência do nosso relógio biológico sobre as células humanas.

Tendemos a encarar a noite como um tempo reservado à função restauradora: dormir é um momento de silêncio vital que recarrega os nossos corpos. No entanto, o mesmo não se verifica quando se trata de cicatrização de feridas. Segundo um estudo recente, os nossos corpos curam-se mais rápido se a lesão tiver sido feita durante o dia, devido à forma como os ritmos circadianos controlam o funcionamento das nossas células.

Até agora, os cientistas pensavam que os ritmos circadianos eram controlados apenas pelo “relógio principal” do hipotálamo. Agora, a equipa considera que o tempo biológico se estende por todas as células do nosso corpo.

A forma como este processo se desenrola ainda está sob investigação, no entanto não há como negar que estes mecanismos podem ter repercussões poderosas – como, por exemplo, reparar o tecido danificado a um ritmo drasticamente diferente, dependendo da hora do dia em que nos magoamos.

A equipa de investigadores da Universidade de Cambridge examinou a forma como as células da pele, chamadas fibroblastos, respondem de forma diferente dependendo da hora do dia.

Quando nos magoamos, os fibroblastos migram para a área afetada e produzem proteínas restauradoras, como o colagénio, que ajuda a reconstruir o tecido danificado. Mas estes que são considerados os primeiros socorristas dependem da proteína actina para fazer o seu trabalho.

Isto significa que quando não há actina suficiente, o trabalho dos fibroblastos fica comprometido. Curiosamente, é o ciclo circadiano que determina os níveis de actina, ou seja, as células da pele são escravas do ciclo dia-noite.

Para verificar todo o processo, os cientistas examinaram culturas de fibroblastos cultivadas em placas de petri. Quando as culturas foram arranhadas em momentos diferentes, as feridas sofridas em condições simuladas de noite curaram mais lentamente do que aquelas causadas durante o dia, devido a diferentes velocidades de resposta dos fibroblastos.

“Verificamos uma diferença de duas vezes na velocidade de cicatrização de feridas entre o dia e a noite do relógio corporal”, explicou o autor e biólogo molecular John O’Neill, que apontou ainda que estas respostas podem ser manipuladas. O estudo foi publicado recentemente na Science Translational Medicine.

Técnicas para “enganar” as células podem ter um efeito potencialmente enorme nos tratamentos médicos, segundo os investigadores, possibilitando aos cirurgiões adaptar as operações a momentos em que os pacientes podem reagir melhor.

Estes resultados foram também observados em cobaias, mas o curioso é que esta pesquisa sugere também que a mesma coisa pode acontecer também nos humanos.

Queimaduras feitas à noite (entre as 20h e as 8h) levaram, em média, cerca de 60% mais tempo para curar do que os mesmos tipos de lesões sofridas durante o dia: 28 dias para queimaduras noturnas, em comparação com apenas 17 dias para queimaduras recebidas diurnas..

A razão pela qual as nossas feridas cicatrizam mais rápido se tiverem acontecido durante o dia é ainda um mistério. No entanto, os cientistas especulam que a razão pode estar na adaptação evolucionária: curamo-nos mais rápido durante o dia porque é quando estamos mais propensos a ser ativos.

PARTILHAR

RESPONDER

Genoma do tubarão branco revela razões para resistência a doenças e longevidade

Uma equipa internacional de cientistas descodificou o genoma do tubarão branco, descobrindo razões para o sucesso evolutivo de um predador que está no topo da cadeia alimentar e que resiste a doenças e ferimentos. A equipa …

Morreu o cientista que tornou popular o termo “aquecimento global”

O cientista que fez soar os primeiros alarmes sobre as alterações climáticas e tornou popular o termo "aquecimento global", Wallace Smith Broecker, morreu aos 87 anos, foi anunciado esta terça-feira. O antigo professor e investigador da …

Descoberta super-Terra a apenas oito anos-luz do Sistema Solar

Uma equipa internacional de investigadores, em colaboração com o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), no Porto, descobriu uma nova super-Terra, a "apenas" oito anos-luz de distância do Sistema Solar.  Segundo o IA, o …

Homem que assassinou uma mulher em 1993 foi detido graças a um guardanapo

O empresário Jerry Westrom foi preso e acusado de esfaquear uma mulher em Minneapolis em 1993, graças a um site de genealogia e um guardanapo que deitou fora depois de limpar a boca. O corpo de …

México vai converter ilha-prisão num centro educativo e cultural

O estabelecimento prisional foi construído em 1905 e vai ser encerrado por decreto presidencial, para dar lugar ao centro cultural Muros de Água Jose Revueltas. Dos 600 presos, 200 vão ser libertados. A prisão existente numa …

Depois de defender o Brexit, o homem mais rico do Reino Unido muda-se para o Mónaco

Jim Ratcliffe, o homem mais rico do Reino Unido e fundador da multinacional de produtos químicos Ineos, vai mudar-se para o Mónaco juntamente com dois dos seus principais executivos para poupar até 4,6 mil milhões …

Surto de sarampo nas Filipinas escala para 8.400 casos e 130 mortos

O surto de sarampo continua a agravar-se nas Filipinas, com 8.443 casos confirmados desde o início do ano e 136 mortes causadas pela doença, na maioria crianças menores de cinco anos, indicaram as autoridades. De acordo …

Estado deixa de apoiar compra de carros elétricos acima de 60 mil euros

O Estado vai deixar de apoiar a compra de carros elétricos com um preço superior a 60 mil euros. Esta alteração vai constar nas novas regras de incentivos à introdução no consumo de veículos de baixas …

Bolsas do IEFP para estagiários com mestrado e doutoramento vão aumentar

O programa Estágios Profissionais vai ser alterado com o objetivo de dar uma resposta mais célere às empresas, prevendo-se ainda um aumento do valor das bolsas para estagiários com mestrado e doutoramento, de acordo com …

Filipe Santos volta a fazer história ao bater recorde do Mundo de natação adaptada

Filipe Santos voltou a fazer história. O nadador algarvio bateu o recorde do Mundo na prova dos 25 metros mariposa, na Classe SM21 - Síndrome de Down, durante o Campeonato de Inverno de Natação Adaptada. …