FC Porto 3-0 Benfica | Dragão arrasa águia em 31 minutos

José Coelho / Lusa

Sem espinhas. Uma entrada fulminante do Porto no jogo decidiu um dos “clássicos” mais desequilibrados dos últimos tempos.

Aos 31 segundos já estava 1-0, o segundo aconteceu aos sete e ao intervalo estava fixado o resultado final, um 3-0 que, ao descanso, poderia ter contornos ainda mais dilatados.

O “dragão” arrasou por completo o Benfica tacticamente, com uma pressão sufocante que esvaziou o meio-campo contrário, e depois foi aproveitar o desnorte lisboeta.

No segundo tempo o Benfica bem tentou, mas não teve arte nem engenho para virar a situação. Evanilson (2) e Vitinha marcaram.

Que arranque do Porto. Atitude, agressividade, intensidade na pressão, entrada “a matar” dos portistas que, aos 31 segundos, fizeram o primeiro do jogo. Lançamento de linha lateral, confusão na área, a bola sobrou para Evanilson que atirou a contar.

Aos sete minutos o 2-0, por Vitinha, num chapéu monumental sobre toda a defesa benfiquista, após Helton Leite ter afastado a bola de forma incompleta.

A primeira parte continuou a ter muito para contar. Aos 19 minutos, Darwin reduziu, mas o lance foi anulado por fora de jogo, e aos 31 minutos, Evanilson fez o 3-0, após mais um grande lance de Luis Díaz.

O Benfica instalou-se no meio-campo portista daqui até ao intervalo, muito subido no terreno, pelo que teve mais bola, mas continuou sem criar perigo e a expor-se demasiado, com Díaz a estar perto do 4-0 aos 41 minutos.

E nos descontos, Evanilson viu o segundo amarelo e foi expulso. Uma palavra para Vitinha, enorme a orquestrar todo o futebol do Porto, e até marcou um golaço, pelo que era o MVP ao intervalo, com um rating de 7.0.

Benfica lançado no ataque na segunda parte, Porto em contra-ataques letais e, aos 56 minutos, num desses lances, Taremi acertou no poste quando tinha tudo para marcar.

E foi assim a segunda parte. Benfica com a bola, Porto matreiro, sem dar espaços para os “encarnados” criarem perigo e a lançar contragolpes muito perigosos, liderado por Luis Díaz.

Otamendi ainda reduziu, de cabeça, aos 86 minutos, mas mais uma vez foi anulado por fora-de-jogo, de Pizzi, o autor do cruzamento. Estava feito o resultado, mas ainda houve tempo para expulsão de Otamendi, nos descontos.

Melhor em Campo

Que classe. Vitinha está a fazer uma época incrível e voltou a ser fundamental no FC Porto, com uma exibição de grande nível.

O médio foi o melhor em campo, com um GoalPoint Rating de 7.9, não só pelo golo incrível que marcou, pelos ritmos que definiu, a inteligência em tudo o que fez e os terrenos que pisou, mas também pela capacidade defensiva, terminando com o máximo de acções defensivas no meio-campo contrário (4) e intercepções (4). Bravo!

Resumo

  // GoalPoint

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.