Família britânica arrisca pena de prisão por fingir intoxicação alimentar

Uma família britânica que reclamou uma indemnização, alegando que tinha sofrido uma intoxicação alimentar durante as férias em Maiorca (Espanha), acabou acusada de fraude e arrisca uma pena de prisão que pode ir até seis anos.

Segundo o jornal britânico The Daily Mail, a família pediu uma compensação de 52 mil libras (mais de 58 mil euros) à agência turística Thomas Cook, alegando que tinha sido vítima de uma intoxicação alimentar durante as férias na ilha espanhola de Maiorca.

Mas o tribunal considerou que a alegação era falsa e acusou a família de pretender concretizar “uma fraude sofisticada com um valor relativamente alto de dinheiro reclamado”, conforme cita o referido jornal.

Este é mais um caso de intoxicações falsas entre turistas britânicos, uma tendência crescente entre os que visitam Portugal e Espanha e que está a preocupar o Governo britânico.

Recentemente, a Justiça do país rejeitou uma queixa de uma outra família que tinha reclamado uma indemnização à mesma Thomas Cook, igualmente devido a uma suposta intoxicação nas Canárias, também em Espanha, em 2013. Esta família foi condenada a uma multa de pouco mais de 4 mil euros por um Tribunal de Liverpool.

Mas este novo caso vai ser o primeiro a chegar à barra dos tribunais penais, sob acusação de reclamação falsa. Se forem condenados por fraude, os envolvidos arriscam uma pena de prisão entre 18 meses e seis anos.

O The Daily Mail refere que uma das filhas da família acusada apresentou também uma queixa semelhante, denunciando uma suposta intoxicação alimentar durante as férias em Maiorca, em 2016.

(dr) Matthew Pover / Daily Mail

Os acusados: Paul Roberts e Deborah Briton, ao centro, à saída do tribunal, com a filha, Charlene

Fraude organizada

Estas queixas têm estado aparentemente a ser impulsionadas por redes de advogados, que ensinam os turistas a apresentar queixas falsas , nomeadamente no Algarve.

Segundo a organização, os turistas estão a ser encorajados a fazer queixas falsas por empresas especializadas em fazer participações às companhias de seguros para receberem indemnizações.

Há alguns anos, surgiam apenas casos isolados, mas os advogados dedicados a esta fraude aumentaram, contando muito com a publicidade gratuita das redes sociais, e montaram um esquema que leva os seus profissionais às ilhas mais procuradas por turistas, com o intuito de convencer falsas vítimas.

A suspeita de serem falsas muitas das reclamações por intoxicações alimentares apresentadas por turistas britânicos levou o Foreign Office a atualizar os conselhos para quem viaja para Portugal.

Muitas vezes oferecem em troca um serviço gratuito em troca de uma percentagem do valor obtido ou da compensação das custas judiciais. A legislação britânica prevê que estas queixas por danos pessoais sejam feitas contra os operadores turísticos, que, por sua vez, passam os custos para os hotéis.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Isto só pode ser fruto de leis mal paridas. Mas cabe na cabeça de alguém poder apresentar uma queixa deste tipo semanans meses depois do acontecimento. A denúncia tinha que ser logo na hora, é com algum tipo de documento de um hospital ou centro de saúde onde tenham sido atendidos a comprovar tal facto. E depois tinham que reclamar do restaurante ou de onde comeram e não de uma agência que nada tem a ver com o assunto.

  2. Só agora descobriram isto?!!!!!! Há quantos anos os ingleses levam a enganar seguradoras, unidades hoteleiras e outras…. São especialistas nestas matérias…. há largas dezenas de anos….

RESPONDER

Em plena pandemia, há um venezuelano que assegura os funerais no Peru

Ronald Marín é a última esperança para os habitantes de Comas, em Lima. O venezuelano é o único que realiza funerais católicos num cemitério longe do centro da capital, em plena pandemia. Vestido com uma túnica …

Covid-19 pôs mais de um milhão de portugueses em teletrabalho no 2.º trimestre

Um milhão de pessoas esteve em teletrabalho no segundo trimestre, sobretudo devido à covid-19, o equivalente a 23,1% da população empregada, enquanto mais de 600 mil não trabalharam nem no emprego nem em casa. De acordo …

Dia da Defesa Nacional regressa ao formato presencial a 2 de setembro

O Dia da Defesa Nacional, que está suspenso desde o dia 9 de março devido à pandemia de covid-19, irá regressar ao formato presencial a 2 de setembro, anunciou o Governo esta quarta-feira. Em comunicado, o …

Norte-americano detido depois de usar fundos da covid-19 para comprar um Lamborghini

As autoridades dos Estados Unidos detiveram um empresário que comprou um carro de luxo da marca Lamborghini com dinheiro que recebeu de programas federais para ajudar os afetados pelo novo coronavírus (covid-19). A notícia é …

FC Porto e Benfica disputam Supertaça a 23 de dezembro

O jogo da Supertaça, que vai opor o FC Porto ao Benfica e que deveria a abrir a temporada 2020/21, vai disputar-se a 23 de dezembro, anunciou, esta quarta-feira, a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). Em …

Especialistas alemães consideram que país já está a ter uma segunda vaga

Especialistas alemães consideram que o país já está a passar por uma segunda vaga de covid-19, ainda que não seja comparável à primeira. De acordo com o sindicato dos médicos Marburger Bund, o país já está …

Governo garante que julho foi o mês com mais testes à covid-19

O mês de julho registou o maior número de testes à covid-19, totalizando 431.178 rastreios e uma média diária de 13.909, revelou, esta quarta-feira, a secretária de Estado da Saúde. Na conferência de imprensa para fazer …

Imprensa chinesa acusa EUA de "abuso de poder" para roubar TikTok

Um jornal oficial do Partido Comunista Chinês (PCC) acusou esta quarta-feira os Estados Unidos (EUA) de "abusarem do seu poder" para "roubarem" o TikTok, ao forçarem a venda da aplicação de vídeos detida pela empresa …

"Poder militar supremo". Duas semanas de estado de emergência em Beirute

O Governo libanês decretou, esta quarta-feira, o estado de emergência por duas semanas em Beirute, na sequência das explosões no porto da capital. O último balanço feito pelo Governo aponta para 135 mortos. Pelo menos 135 …

43% dos restaurantes pondera avançar para insolvência

Cerca de 43% das empresas de restauração e bebidas e de 17% do alojamento turístico ponderam avançar para insolvência, informa o mais recente inquérito mensal da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP). "No …