Empresas britânicas ensinam turistas a apresentar queixas falsas em Portugal

A suspeita de serem falsas muitas das reclamações por intoxicações alimentares apresentadas por turistas britânicos levou o Foreign Office a atualizar os conselhos para quem viaja para Portugal.

“Houve relatos de um aumento de turistas encorajados a apresentar uma participação por danos pessoais caso tenham tido uma doença gástrica durante a estadia”, lê-se na página eletrónica do ministério.

E, num alerta aos turistas para que afiram a veracidade das queixas que apresentam, o ministério dos Negócios Estrangeiros britânico avisa que “só deve considerar uma queixa ou reclamação se alguém contraiu um problema ou uma doença genuinamente. Se fizer uma participação falsa ou fraudulenta, pode ser alvo de procedimentos legais no Reino Unido ou em Portugal”.

Em causa está o aumento extraordinário de queixas nos últimos anos relacionadas com problemas gástricos feitas por turistas britânicos quando viajam com pacotes que incluem pensão completa, ou seja, refeições nos hotéis.

Segundo disse à Lusa a ABTA, Associação de Agências de Viagens Britânica, de 2013 para 2016 houve um aumento superior a 520% neste tipo de queixas.

Segundo a organização, alguns turistas estão a ser encorajados a fazer queixas falsas por empresas especializadas em fazer participações às companhias de seguros para receberem indemnizações.

Muitas vezes oferecem em troca um serviço gratuito em troca de uma percentagem do valor obtido ou da compensação das custas judiciais. A legislação britânica prevê que estas queixas por danos pessoais sejam feitas contra os operadores turísticos, que, por sua vez, passam os custos para os hotéis.

“Os consumidores devem ter muito cuidado com qualquer empresa que os aborde e os encoraje a fazer uma reclamação desonesta ou exagerada. É ilegal fazer queixas fraudulentas e as agências de viagens estão cada vez mais atentas, para identificar sinais indicadores de queixas exageradas ou desonestas”, afirmou uma porta-voz da organização à Lusa.

A ABTA considera que as agências que estão por detrás deste esquema “não têm escrúpulos” e alertou para o risco de autores de queixas falsas serem processados, tendo apelado também ao governo para alterar a lei para tornar mais difícil este tipo de situações.

“Estas queixas fictícias estão a custar montantes substanciais de dinheiro aos operadores de viagens e hotéis e se esta prática continuar pode acabar por ter um impacto nos preços das viagens. Já está a lesar a reputação dos turistas britânicos no estrangeiro“, lamentou a mesma porta-voz.

Segundo a ABTA, Portugal, Espanha e Turquia são os países mais afetados. O Foreign Office estima em 2,5 milhões o número de britânicos que visitaram Portugal em 2015.

// Lusa

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Isto não é novidade. Ha anos atrás, um amigo meu, dono de hotel, contou que tinha recebido uma reclamação de um cliente inglês, porque o campo de ténis estava em manutenção e temporáriamente inutilizável. Por isso, teve de lhe dar uma compensação monetária. Só depois descobriu que este artista reclamante, andava numa cadeira de rodas.

      • Ainda bem que as pessoas que se movem em cadeiras de roda praticam cada vez mais actividades desportivas. Só que no caso desta reclamação, este manjerico não jogava ténis. Só procurava motivos para se beneficiar.

    • Enfim… tinha de generalizar e estragar tudo. Eu conheço muitos ingleses que nunca na vida fariam isto. E posso dizer-lhe que já ouvi estórias de portugueses que vão para o algarve de carro e depois quando é para ir para o norte chamam a assistência em viagem. E também sei que quem faz isto são os nossos portugueses que estão ao nível dos ingleses citados na notícia. Não são todos, nem de um lado nem do outro. Não generalizem. Generalizar é uma forma redutora e limitada da mente humana em gerir toda a informação que a rodeia. E dá sempre asneira. A sua cabeça dá seguramente para mais.

  2. Se cada vez que alguem reclamasse, tivesse de pagar primeiro e então, depois de verificar se a reclamação estava em conformidade seria reposto os valores em causa, se calhar antes de fazerem qualquer reclamação, pensavam primeiro no que estavam a fazer.

RESPONDER

Uber vence batalha judicial e prolonga licença para operar em Londres

A Uber ganhou, esta segunda-feira, um recurso legal sobre a revogação da sua licença para operar em Londres, garantindo por enquanto a continuação da empresa num dos seus maiores mercados. De acordo com o Wall Street …

Ordenados "não podem ser cortados", diz comissário. Proposta sobre salário mínimo apresentada em outubro

O comissário europeu do Emprego e Direitos Sociais, Nicolas Schmit, reconheceu as limitações da Comissão Europeia quanto a salários, defendendo que o sistema que no qual está a trabalhar permitirá que os rendimentos aumentem na Europa. Em …

Chega quer expulsar autor de moção pela remoção de ovários a mulheres

A direção do Chega vai propor a “suspensão imediata” do militante Rui Roque que defendia a extração dos ovários numa moção de estratégia que foi rejeitada em congresso, informou esta segunda-feira o partido. Mais de uma …

Precários à espera de apoio extraordinário estão a receber multas do fisco

A Associação de Combate à Precariedade denunciou que a Autoridade Tributária (AT) está a aplicar multas de 75 euros a trabalhadores precários que ficaram sem rendimento e estão a recorrer ao novo apoio extraordinário a …

Portugal regista mais seis óbitos e 688 novos casos

Portugal contabiliza esta segunda-feira mais seis mortos relacionados com a covid-19 e 688 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o último boletim divulgado epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Desde o início da …

Novo lay-off é para "aguentar o emprego e as empresas" (mas agrava cortes dos trabalhadores)

O novo regime de lay-off anunciado pelo Governo, para apoiar as empresas com "perdas mais significativas", nomeadamente na área do turismo, visa "aguentar o emprego e as empresas", segundo o ministro da Economia, Siza Vieira, …

Jornal "The Guardian" sugere que Portugal é um país racista e compara Ventura a Bolsonaro

O jornal britânico "The Guardian" noticiou, esta segunda-feira, alguns dos mais recentes acontecimentos racistas que têm ocorrido no país, afirmando no seu título que "Portugal regista um aumento da violência racista com ascensão da extrema …

Jornal Washington Post declara apoio a Biden e quer afastar "o pior presidente dos tempos modernos"

O jornal de referência Washington Post declarou esta segunda-feira o seu apoio ao candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, para derrotar o republicano Donald Trump, que considera “o pior Presidente dos tempos modernos”. No …

Portugal não recorrerá aos empréstimos do fundo de recuperação da UE

O primeiro-ministro António Costa salientou esta terça-feira que Portugal "recorrerá integralmente" aos cerca de 15,3 mil milhões de euros em subvenções que poderá receber do fundo de recuperação europeu, mas adiantou que não utilizará a …

Isabel dos Santos impugna nacionalização da Efacec

A empresária angolana Isabel dos Santos avançou com uma ação para impugnar a nacionalização da Efacec, decisão que foi anunciada pelo ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, no início de julho. Numa nota enviada às …