Extinção da fauna em Madagáscar pode dever-se à presença humana (e a mudanças climáticas)

Grande parte da fauna de Madagáscar e das ilhas Mascarenhas foi eliminada durante o último milénio. Neste sentido, uma equipa de cientistas analisou um registo do clima nos últimos 8000 anos nas ilhas. O resultado mostrou um ecossistema que tem sofrido com as mudanças climáticas e com o aumento da presença humana.

Quase toda a fauna de Madagascar – incluindo o famoso pássaro Dodo, lémures do tamanho de um gorila, tartarugas gigantes e o pássaro elefante que tinha 3 metros de altura e pesava quase meia tonelada – desapareceu entre os últimos 500 e 1500 anos.

As ilhas Mascarenhas a leste de Madagascar são de especial interesse porque estão entre as últimas ilhas do planeta a serem colonizadas pelo homem. Curiosamente, a sua fauna caiu apenas alguns séculos depois da colonização do homem.

A questão que os especialistas fazem é se estes animais foram vítimas de caça até à sua extinção pelos humanos, ou se eles desapareceram por causa das mudanças climáticas. Existem inúmeras hipóteses, mas a causa desta queda na fauna permanecia discutível.

Agora, num estudo publicado na Science Advances em outubro, uma equipa de investigadores internacionais descobriu que a causa da extinção era provavelmente um “golpe duplo”, respondendo assim à questão que tem sido colocada por inúmeros especialistas. A extinção nas ilhas deve-se não só à presença de atividades humanas, como a um período particularmente severo a nível climático, que pode ter condenado a fauna.

Para este estudo, o professor Hanying Li, da Universidade Xi’an Jiaotong na China, reuniu detalhes sobre as variações climáticas na região. A fonte primária deste registo do clima veio da pequena ilha Mascarene de Rodrigues, no sudoeste do Oceano Índico, e que se situa a aproximadamente 1600 km a leste de Madagascar.

Hanying Li e a sua equipa observaram os registos climáticos analisando os oligoelementos, e isótopos de carbono e oxigénio de cada camada de crescimento incremental de estalagmites que recolheram numa das muitas cavernas da pequena ilha.

De acordo com Christoph Spötl, também autor do estudo, as “variações nas assinaturas geoquímicas forneceram as informações necessárias para reconstruir os padrões de precipitação da região nos últimos 8000 anos. Para analisar as estalagmites, usamos o método do isótopo estável no nosso laboratório em Innsbruck. ”

No seguimento dos resultados, Hai Cjheng – co-autor do estudo – explica que “apesar da distância entre as duas ilhas, as chuvas de verão em Rodrigues e Madagascar são influenciadas pela mesma chuva tropical global que oscila ao norte e ao sul com as estações. E enquanto esta chuva permanecer mais ao norte de Rodrigues, as secas podem atingir toda a região de Madagascar ”.

“A pesquisa na ilha de Rodrigues demonstra que o hidroclima da região experimentou uma série de tendências de seca ao longo dos últimos 8 milénios”, observa Hubert Vonhof, cientista do Instituto Max Planck de Química em Mainz, e co-autor.

A tendência de seca na região começou há cerca de 1500 anos, numa época em que os registos arqueológicos começaram a dar sinais do aumento da presença humana na ilha, revela o portal SciTechDaily.

“Embora não possamos dizer com 100% de certeza que a atividade humana foi a culpada pela extinção da fauna na região, os nossos registos paleoclimáticos mostram que a fauna sobreviveu a todos os episódios anteriores”, ressalva Ashish Sinha, professor de ciências da terra na California State University Dominguez Hills, EUA.

O estudo lança uma nova luz sobre o desaparecimento da flora e da fauna das ilhas de Maurício e Rodrigues. “Ambas as ilhas tivessem sido rapidamente despojadas de espécies, incluindo o conhecido pássaro Dodo não voador de Maurício, e a tartaruga gigante de Rodrigues”, acrescenta Aurele Anquetil André, diretor da Reserva da Tartaruga e Caverna François Leguat em Rodrigues.

Segundo os investigadores que realizaram o estudo “aquilo que os dados mostram é a resiliência e adaptabilidade dos ecossistemas e da fauna das ilhas em episódios ​​de mudanças climáticas severas, até estas serem atingidas por atividades humanas e mudanças climáticas – as duas em conjunto são fatais”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Role play ao serviço da Ciência. Investigadores fingem ser Neandertais para estudar caça a aves

Uma equipa de investigadores espanhóis decidiu adotar a "dramatização" científica para reconstruir um novo elemento do comportamento Neandertal: a cooperação com os membros do grupo enquanto usa fogo e ferramentas para caçar gralhas no interior …

Estoril 0-1 Sporting | Figueira deu o fruto que saciou o leão

Foi preciso surgir um erro crasso do guarda-redes estorilista (até então a fazer uma belíssima exibição) para o campeão nacional poder respirar de alívio e festejar a quarta vitória na Liga, esquecendo por agora a …

A tinta mais branca do mundo ajuda a poupar energia nas casas - e pode eliminar de vez o ar condicionado

Uma equipa de investigadores da Universidade de Purdue desenvolveu uma tinta tão branca que revestir um prédio com ela pode reduzir, ou até mesmo eliminar, a necessidade de ter ar condicionado. Depois de testar mais de …

Costa promete "lição exemplar" à Galp depois de "tanto disparate" em Matosinhos

O secretário-geral do PS, António Costa, considerou hoje que “era difícil imaginar tanto disparate, tanta asneira, tanta insensibilidade” como a Galp demonstrou no encerramento da refinaria de Matosinhos, prometendo uma “lição exemplar” à empresa. Falando em …

Porto 5-0 Moreirense | Días, Taremi e Fábio, o trio maravilha

O Porto foi o primeiro dos “grandes” a entrar em campo e deu o mote, e que mote. Os “dragões” receberam o Moreirense e golearam sem apelo nem agravo, por 5-0, graças a uma segunda …

Ronaldo volta a marcar pelo United em jogo com final frenético

O português Cristiano Ronaldo voltou hoje a marcar pelo Manchester United, mas foram Lingaard e David de Gea que ‘brilharam’ na vitória sobre o West Ham, por 2-1, em jogo da quinta jornada da Liga …

O Cumbre Vieja, num dos complexos vulcânicos mais ativos nas Canárias, entrou em erupção

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou hoje em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. Na zona, …

Portugal regista 677 novos casos de covid-19 e cinco mortes

Portugal registou, este domingo, 677 novos casos e cinco mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Estudo mostra como diferentes espécies de polvos coexistem no mesmo ambiente

Existem mais de 300 espécies de polvos a viver em diversos habitats que abrangem recifes de coral, leitos de ervas marinhas, planícies de areia e regiões de gelo polar. Mas de que forma cefalópodes tão …

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …