/

Estamos a um passo de iniciar a exploração de minério na Lua

7

Com os olhos postos nos valiosos recursos naturais presentes noutros mundos além da Terra, a humanidade está prestes a iniciar a exploração mineira da superfície da Lua.

Estamos a poucos anos de abrir explorações mineiras na Lua. Cientistas europeus anunciaram, recentemente, os seus ambiciosos planos para iniciar a exploração mineira da Lua já em 2025. O objetivo é minerar um material que pode valer milhões de dólares, o regolito.

O regolito é uma camada solta de material heterogéneo e superficial que cobre uma rocha sólida. Trata-se, portanto, de um material não consolidado e residual, uma vez que é formado por material originário da rocha fresca imediatamente subjacente. A sua mineração pode extrair água, oxigénio, metais e um isótopo chamado hélio-3, que pode abastecer reatores de fusão nuclear, gerando energia livre de resíduos.

A superfície da Lua está coberta por um material fino em pó que os cientistas chamam de “regolito lunar”. Quase toda a superfície é coberta por regolito e o leito rochoso só é visível nas paredes de crateras muito íngremes.

Este pó é o resultado de vários milhões de anos de impactos dos meteoritos e de outros corpos celestes a superfície da Lua. Mas este material é valiosíssimo não só pela produção de energia nuclear, mas também pelo facto de poder ser utilizado na construção de estruturas futuras na superfície lunar.

Segundo o CanalTech, a Europa não é a única que está de olho na exploração mineira da superfície da Lua. Índia, Canadá e China têm também os seus próprios planos para extrair o hélio-3 do nosso satélite natural.

Estima-se que exista um milhão de toneladas de hélio-3 na Lua, ainda que apenas 25% possa ser trazido para a Terra. No entanto, esta quantidade é suficiente para responder à demanda de energia do nosso planeta durante, pelo menos, dois séculos. O hélio-3 pode valer quase 5 mil milhões de dólares por tonelada – e pode mesmo tornar-se no novo “ouro negro”, mas da Lua.

De acordo com o Pplware, a missão, que já se encontra em preparação, estará a cargo da Agência Espacial Europeia em parceria com o ArianeGroup, e contará também com a participação do Part-Time Scientists, um grupo alemão e ex-concorrentes do Google Lunar XPrize.

  LM, ZAP //

7 Comments

  1. Se esses governos pensassem e sentissem compaixão pela humanidade nao roubariam ,nao gastariam e mentiriam tanto com interesses pessoais !! Parasitas do planeta !!

    • de·man·da
      substantivo feminino
      5. [Economia] Quantidade de um bem ou de um serviço que o mercado ou um conjunto de consumidores quer comprar, por oposição à oferta. = PROCURA
      demanda“, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa

  2. se o homem deixa o planeta terra quase destruido, imagino o que nao farao à lua.
    por este andar qualquer dia ja nao vamos ter lua
    a ganancia está a destruir tudo principalmente alguem responsavel por um pais (que dizem ser uma super potencia) que dizem que as aletraçoes climaticas e que o aquecimento global se pode combater com uns dias de frio.

  3. Como sempre disse, não estão a procura de vida nenhuma no espaço mas sim de recursos e poder com dinheiros publicos e se descobrirem algo que benefie a nossa raca ainda teremos que pagar… o comportamento humano é tal e tal como um cancro que explora e mata e consume tudo em seu redor…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.