Exército japonês pediu uma escrava sexual para cada 70 soldados na II Guerra Mundial

Claire Solery / Wikimedia

“Mulheres de conforto” coreanas em protesto numa embaixada japonesa por terem sido sujeitas a escravidão sexual durante a II Guerra Mundial

Durante a Segunda Guerra Mundial, o exército do Japão pediu ao Governo que fornecesse uma escrava sexual para cada 70 soldados, de acordo com documentos históricos analisados pela agência de notícias nipónica Kyodo News.

Os 23 documentos foram reunidos pela Secretaria do Gabinete do Japão entre abril de 2017 e março de 2019, incluindo 13 despachos secretos dos consulados japoneses na China para o Ministério das Relações Exteriores em Tóquio, datados de 1938, segundo a Kyodo News, citada pela agência Lusa.

A questão das escravas sexuais tem sido fonte de uma dolorosa disputa entre a Coreia do Sul e o Japão. As mulheres eram da Coreia do Sul, Taiwan, Austrália, Filipinas e Japão e os documentos agora divulgados sublinham o papel do Estado no chamado sistema de “mulheres de conforto”.

Em 1993, o então secretário-chefe do Gabinete Yohei Kono, o porta-voz do Governo, pediu desculpas pelo sistema de “mulheres de conforto” e reconheceu o envolvimento dos militares japoneses no transporte das mulheres contra a sua vontade.

A Kyodo News deu conta de um despacho do cônsul-geral de Jinan (China) ao ministro dos Negócios Estrangeiros no qual se indica que a invasão japonesa causou um aumento na prostituição na área, com 101 gueixas do Japão, 110 mulheres de conforto também do Japão e 228 “mulheres de conforto” da Coreia do Sul.

No despacho assinala-se que “pelo menos 500 ‘mulheres de conforto’ devem estar concentradas aqui até o final de abril” para os soldados japoneses.

John G. Mabanglo / EPA

Estátua em homenagem às “mulheres de conforto” na Praça Saint Mary, no bairro de Chinatown, em São Francisco

Os registos sugerem que as mulheres referidas como gueixas podem ter surgido por conta própria, em oposição às escravas sexuais, que foram coagidas.

Outro despacho do cônsul-geral de Qingdao, na província de Shandong, na China, diz que o Exército Imperial pediu uma mulher para cada 70 soldados, enquanto a marinha solicitou mais 150 mulheres e gueixas para “conforto”, noticiou a Kyodo News.

O número de escravas sexuais não é certo, mas os historiadores dizem que eram dezenas de milhares ou mais, e seu objetivo era impedir a propagação de doenças e reduzir as violações entre soldados.

A colonização e os registos de guerra do Japão ainda prejudicam as relações com os vizinhos asiáticos. O Governo japonês diz que as reparações de guerra estão resolvidas, criou fundos para apoiar as vítimas, mas as exigências de um pedido de desculpas mais completo continuam e existem processos em tribunal na Coreia do Sul.

Mais recentemente, as relações entre o Japão e a Coreia do Sul deterioraram-se e afetaram o comércio e o turismo e desencadearam outras controvérsias, incluindo uma no início de 2019 sobre a exibição de uma estátua representando uma jovem “mulher de conforto”.

Lusa //

PARTILHAR

RESPONDER

"Ataque contra a imprensa livre." Justiça brasileira acusa jornalista Glenn Greenwald de cometer cibercrimes

O Ministério Público Federal acusou o jornalista Glenn Greenwald por "auxiliar, orientar e incentivar" um grupo de hackers que acedeu aos telemóveis do ex-juiz e ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e dos …

United faz nova proposta por Bruno Fernandes. Saída pode ficar fechada esta quarta-feira

Sporting e Manchester United retomaram as negociações por Bruno Fernandes esta semana, podendo a saída do médio dos leões ser confirmada ainda esta quarta-feira, segundo escreve o desportivo A Bola. De acordo com o jornal, …

Portugal tem de ser "implacável" no combate à corrupção, diz Santos Silva

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, assegurou na terça-feira que o Governo vai continuar a aprofundar a cooperação com Angola, a respeitar a independência judicial e "não ser precipitado a tirar conclusões", após as …

Ministério das Finanças já admite “documento de trabalho” sobre injeção no Novo Banco

Depois de negar ter recebido uma proposta do Banco de Portugal (BdP) com a hipótese de uma injeção final de 1,4 mil milhões no Novo Banco, o Ministério das Finanças, liderado por Mário Centeno, já …

Lobo d'Ávila: "No dia em que quisermos ser um Chega II não seremos o CDS"

O candidato à liderança do CDS Filipe Lobo d’Ávila acha que o partido “não deve cair na tentação” nem cometer o “erro tremendo” de tornar-se num “Chega II”, porque há “um mundo de diferenças” entre …

Em busca da câmara oculta. Cientistas querem voltar a "bombardear" a Grande Pirâmide de Gizé com raios cósmicos

Uma equipa de cientistas quer "bombardear" a Grande Pirâmide de Gizé, no Egito, com raios cósmicos para confirmar a existência de uma câmara interna, detetada numa outra investigação anterior. A informação é avançada pelo portal …

Primo de Sócrates garante que o dinheiro que tinha nas contas era seu

José Paulo Pinto de Sousa, primo de José Sócrates e arguido na Operação Marquês, afirmou ao juiz que era dono do dinheiro que o Ministério Público diz pertencer ao antigo primeiro-ministro, segundo fonte ligada ao …

Telemóvel de Jeff Bezos terá sido hackeado por príncipe herdeiro saudita

O telemóvel do dono da Amazon Jeff Bezos terá sido hackeado pelo príncipe da coroa saudita Mohammed bin Salman em maio de 2018, revela uma investigação do The Guardian. O multimilionário norte-americano Jeff Bezos, CEO da …

"Muu". O mugido de uma vaca pode revelar como se sente

https://vimeo.com/386240607 Ao ouvido humano, os mugidos parecem indistintos. No entanto, um estudo recente revelou que cada vaca tem a sua própria voz - e esta persiste em inúmeras situações. De acordo com um estudo recente, levado a …

Aeroporto do Montijo avança com luz verde da Agência Portuguesa do Ambiente

O projeto do novo aeroporto no Montijo, na margem sul do Tejo, recebeu esta terça-feira uma decisão favorável condicionada em sede de Declaração de Impacte Ambiental (DIA), anunciou a Agência Portuguesa do Ambiente (APA). Em comunicado, …