Executivos brasileiros fecham acordo para delações sobre Lava Jato

Agência Brasil

Marcelo Odebrecht

Marcelo Odebrecht

O ex-presidente da Odebrecht e mais de 50 executivos e funcionários da empreiteira brasileira fecharam acordos para prestar informações à Operação Lava Jato em troca de eventuais reduções de pena.

O jornal O Globo avançou esta terça-feira que estes acordos conhecidos como delações premiadas (prestação de informações em troca de eventual redução de pena), alcançados após oito meses de negociações, representarão a maior série de acordos do género fechados no país, segundo uma fonte ligada às investigações.

O jornal avança ainda que outros acordos estão pendentes de acertos finais entre investigadores e investigados.

Na fase preliminar das negociações do acordo agora alcançado, Marcelo Odebrecht e outros executivos referiram os nomes de pelo menos 130 deputados, senadores e ministros e 20 governadores e ex-governadores.

Entre eles estão o Presidente brasileiro, Michel Temer, e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), José Serra (Relações Exteriores) e Geddel Vieira Lima (Secretaria de Governo).

Também foram referidos Antônio Palocci, ex-ministro nos governos de Lula da Silva e de Dilma Rousseff que se encontra detido, e Guido Mantega, que também passou pelos dois executivos do Partidos dos Trabalhadores (PT) e que chegou a ser preso por algumas horas em setembro, assim como o ex-deputado Eduardo Cunha.

Para fontes com acesso à investigação citadas pelo Globo, as acusações atingem “de forma democrática” líderes de todos os grandes partidos que se encontram no Governo ou na oposição.

“Não vai ser o fim do mundo, mas são informações suficientes para colocar o sistema político em xeque“, disse ao diário um dos envolvidos nos ajustes entre investigados e a equipa que investiga o caso.

Marcelo Odebrecht encontra-se detido em Curitiba desde 2015, e em março foi condenado, por corrupção ativa, branqueamento de capitais e associação criminosa, a 19 anos a e quatro meses de prisão.

A Operação Lava Jato investiga um mega-esquema de corrupção envolvendo a petrolífera estatal Petrobras, empresários e políticos.

O Globo refere que os acordos deverão ser assinados após os depoimentos, que devem ser finalizados entre o final deste ano e o início de 2017.

O alto número de delatores criou problemas estruturais na operação, uma vez que foram destacados 10 investigadores para conduzir, pelo menos, 50 delações de executivos e funcionários da maior empreiteira do país – um número ainda não confirmado indica a existência de 68 delatores.

Os investigados serão alinhados conforme participação nos esquemas de corrupção e relevância na hierarquia das propinas. Os interrogatórios devem ser feitos em São Paulo, Brasília, Salvador e Curitiba, onde Marcelo Odebrecht está preso.

A tarefa é considerada longa e árdua. Pelos padrões da Lava-Jato, um investigado nunca presta menos do que 10 longos depoimentos, sendo que alguns são chamados para prestar esclarecimentos mais de 50 vezes.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Pressionaram-me para o denunciar". Higuita recorda amizade com Escobar

A relação de amizade entre René Higuita e Pablo Escobar levou a que o ex-futebolista fosse seguido pelas autoridades. A polícia chegou a pressioná-lo para denunciar Escobar. O antigo internacional colombiano René Higuita é provavelmente uma …

George Floyd. Portugal junta-se às manifestações mundiais contra o racismo

Cinco cidades portuguesas juntam-se hoje à campanha de solidariedade mundial contra o racismo, associando-se à luta pela dignidade humana na sequência da morte, a 25 de maio, do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia …

Covid-19. México investiga mercado negro de atestados de óbito falsos

As autoridades da Cidade do México anunciaram que estão a investigar um suposto mercado negro de atestados de óbito relacionado com a covid-19, no dia em que o país registou 625 mortes nas últimas 24 …

Astrónomos descobrem "réplica" do Sol e da Terra a três mil anos-luz

O que diferencia esta descoberta de outros exoplanetas parecidos com a Terra é que a sua estrela tem uma semelhança impressionante com o nosso Sol. Entre os dados da missão Kepler, uma equipa de investigadores identificou …

Sem romarias e festas, milhares de famílias estão a entrar em falência

Milhares de famílias cujo rendimento depende das romarias e festas populares estão a atravessar sérias dificuldades económicas. Os prejuízos ultrapassam os 50 milhões de euros. A suspensão das festas populares e romarias religiosas em todo o …

Corpo de Maria Velho da Costa ficou 11 dias na morgue. Filho critica MP e fala em "massacre psicológico"

Os restos mortais da escritora Maria Velho da Costa, que faleceu a 23 de Maio, ficaram no Instituto de Medicina Legal, em Lisboa, durante 11 dias, sem que a família tivesse conhecimento de que já …

"Vocês são uns ingratos". Vieira arrasa equipa após empate com o Tondela

Luís Filipe Vieira foi ao balneário falar com os jogadores após o empate com o Tondela. O presidente benfiquista mostrou-se irritado e acusou os futebolistas de ingratidão. Depois do empate do SL Benfica com o CD …

Costa tirou o tapete ao seu "super-ministro" (que é cada vez mais candidato a líder do PS)

Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas, já foi um peso-pesado do Governo de António Costa, mas o primeiro-ministro desautorizou-o na discussão sobre o futuro da TAP, num claro sinal de que a "lua-de-mel" entre os …

Há dois candidatos na calha para suceder a Centeno. Siza Vieira fora da corrida

Pedro Siza Vieira era apontado como o favorito a suceder a Mário Centeno na pasta das Finanças, mas recusou essa possibilidade. Nelson de Souza e João Leão são agora os dois principais candidatos. Com a saída …

Ventura chega-se à "família Bolsonaro" e vai trabalhar com a extrema-direita europeia

O Chega de André Ventura tem mantido contactos internacionais, nomeadamente nos EUA e no Brasil, no sentido de estabelecer ligações que consolidem a sua força política. Terá mantido reuniões com elementos "próximos da família Bolsonaro" …