/

Ex-Presidente dos EUA aprovou uma missão ao interior da Terra para conhecer “pessoas-toupeira”

1

White House / Wikimedia

O ex-Presidente dos EUA John Quincy Adams.

O sexto Presidente norte-americano, John Quincy Adams, financiou uma viagem ao centro do nosso planeta, que serviria para conhecer as “pessoas-toupeira” que acreditavam viver debaixo da Terra.

John Quincy Adams foi o sexto Presidente dos Estados Unidos, governando de 1825 a 1829. Durante o seu mandato, ele aceitou financiar uma viagem ao centro da Terra para descobrir o que está debaixo da camada externa do nosso planeta e encontrar as “pessoas-toupeira” que lá vivem.

As “pessoas-toupeira” ou mole people são os sem-abrigo que vivem debaixo das grandes cidades, nas linhas de metro, ferrovias e esgotos. Assim, suspeita-se que Adams acreditasse na Teoria da Terra Oca, que sugere que a Terra é completamente oca, contendo outras camadas ocas, cada uma com a sua própria atmosfera.

Foi no século XIX que se propôs aceder a estas camadas interiores do nosso planeta através da vastos buracos na crosta terrestre. John Cleves Symmes Jr. foi um dos estudiosos que sugeriu que nos polos da Terra havia aberturas gigantes que permitiam chegar às suas camadas ocas, escreve a IFLScience.

O buraco de Symmes.

Foi então que Symmes decidiu fazer uma expedição ao Polo Norte para conhecer estes seres subterrâneos. Para tal, decidiu procurar a ajuda de 100 “bravos companheiros” que se juntassem a ele. Os aventureiros partiriam da Sibéria através do “gelo do mar congelado” com a ajuda de renas.

“Acredito que encontraremos terra quente e rica, abastecida com vegetais e animais, senão homens, ao chegarmos a um grau ao norte da latitude 82″, escreveu Symmes na circular divulgada.

A necessitar de financiamento, Symmes encontrou em John Quincy Adams a ajuda que tanto necessitava. Embora muitos mostrassem credulidade em relação à teoria de Symmes, o estudioso parece ter conseguido convencer o presidente norte-americano.

No entanto, Andrew Jackson sucedeu a Adams no fim do seu mandato e o financiamento à expedição ao Polo Norte caiu por terra. Symmes acabou por nunca fazer a sua tão desejada viagem até aos polos, mas quem o fez, não viria a encontrar nada que corroborasse a sua arrojada teoria.

  ZAP //

1 Comment

  1. A missão estava a ser planeada muito à frente do tempo… Nos dias de hoje teria grande sucesso se efectuada para os lados de Lisboa.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.