Ex-espião vendeu cartas de condução falsas por falta de dinheiro

Chuck Patch / Wikimedia

-

Um antigo espião na Venezuela confessou hoje, no tribunal de Aveiro, ter vendido cartas de condução daquele país que conseguia obter de forma fraudulenta e que depois trocava por documentos portugueses, devido a dificuldades económicas.

“Senti-me com falta de recursos económicos e isso foi uma tentação para mim”, disse o arguido, durante a primeira sessão do julgamento.

O homem de 69 anos – que trabalhou na Direção dos Serviços de Inteligência e Prevenção da Venezuela, onde atingiu o cargo de comissário – está a ser julgado por dez crimes de falsificação de documento.

Perante o coletivo de juízes, o sexagenário confessou os factos de que está acusado, afirmando estar “muito arrependido”.

O arguido esclareceu ainda que todos os documentos usados para obter as cartas eram “fabricados” na Venezuela, com a ajuda de um “contacto” que tinha em Caracas e de funcionários públicos “corruptos” daquele país.

Além do ex-espião, o caso envolve mais dez arguidos (oito homens e duas mulheres), que terão comprado as cartas de condução falsas e que respondem por crimes de falsificação de documento e de condução sem carta.

Destes, apenas seis estiveram presentes na primeira sessão do julgamento e aceitaram prestar declarações, tendo todos eles admitido que compraram as cartas, mas desconheciam que as mesmas eram obtidas de forma ilegal.

Um dos compradores chegou a dizer que recorreu aos serviços do principal arguido, porque andava “muito desanimado”, após ter reprovado oito vezes no exame de código.

Um espião na reforma

Nascido em Portugal, o ex-espião emigrou aos 17 anos para a Venezuela, onde permaneceu durante cerca de 40 anos, tendo adquirido a dupla nacionalidade.

Após se reformar dos serviços secretos venezuelanos, o sexagenário regressou em definitivo a Portugal e instalou-se no concelho de Oliveira do Bairro, dedicando-se à atividade de agente de documentação.

Segundo a acusação do Ministério Público, pelo menos a partir de 2004, o antigo espião passou a fabricar cartas de condução supostamente emitidas pelas autoridades venezuelanas com vista à troca por licenças de condução portuguesas.

Para instruir o requerimento a pedir a troca daquelas cartas, que seria entregue nos serviços de viação nacionais, o arguido forjou ainda cédulas de identidade, certificados de autenticidade de dados e bilhetes de avião, supostamente comprados via internet.

O suspeito vendia todos estes documentos por quantias que variavam entre os 800 e 2.000 euros a indivíduos que tinham dificuldade em passar nas provas teóricas e práticas para obtenção de carta de condução de veículos automóveis.

A trama foi descoberta pela Polícia Judiciária de Aveiro que deteve o principal arguido em fevereiro de 2009.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Quase 20 mil toneladas de combustível derramadas em rio na Rússia

https://cache-igi.cdnvideo.ru/igi/video/2020/6/2/%D0%BD%D0%BE%D1%80%D0%B8%D0%BB%D1%8C%D1%81%D0%BA.mp4 Quase 20 mil toneladas de combustível foram acidentalmente derramadas num rio no extremo norte da Rússia, levando as autoridades a declarar uma situação de "emergência" e levantando preocupações entre ambientalistas e residentes. Em comunicado, a associação …

Mais verde e mais barato. Suécia segue a Alemanha e instala a primeira turbina eólica de madeira

A Suécia instalou uma nova e interessante turbina eólica: uma torre construída em madeira. A Alemanha também já tem esta nova tecnologia. Construída a partir de materiais de fontes sustentáveis e que oferecem desempenho comparável às …

Já não mostra só as filas do supermercado. App "Posso ir?" também diz se pode ir à praia

A aplicação móvel que permite aos utilizadores consultar as filas e as afluências aos supermercados também mostra como está a praia. Agora, a aplicação "Posso ir?" vai também dizer-lhe se é ou não prudente ir dar …

Discurso xenófobo. Na Áustria, "a islamofobia tornou-se uma forma dominante de racismo"

A Áustria regista um aumento preocupante do discurso xenofóbico, em particular em relação aos muçulmanos e refugiados, alerta um relatório do Conselho da Europa. A Comissão do Conselho da Europa contra o Racismo e a Intolerância …

Um em cada quatro russos acredita que a pandemia é uma invenção

Um em cada quatro russos acredita que a pandemia de coronavírus é uma invenção, de acordo com uma pesquisa realizada pela Escola Superior de Economia de Moscou (HSE). Segundo avançou o site de notícias RBC, citado …

"Botellón" está de volta a Lisboa. Ajuntamentos sem controle podem estar a espalhar o vírus

Há cada vez mais ajuntamentos de jovens em Lisboa, nomeadamente nos bairros típicos, mas também em locais como bombas de gasolina, para o convívio e o consumo de álcool. Um tipo de comportamento que está …

Trump negou ter-se abrigado num bunker da Casa Branca por causa dos protestos

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Donald Trump, negou esta quarta-feira ter sido escoltado para um 'bunker' na Casa Branca, devido aos protestos pela morte de George Floyd, alegando ter ido lá apenas para inspecionar …

Itália. Manifestantes desviam as máscaras e protestam contra medidas para conter pandemia

Centenas de manifestantes se reuniram em Roma, desviando as suas máscaras dos rostos, para protestar contra as medidas do Governo italiano para impedir a propagação do coronavírus. Segundo avançou na terça-feira a Time, os manifestantes, que …

Brasil pagou anúncios em sites investigados por publicar notícias falsas, avança O Globo

O Governo brasileiro publicou milhões de anúncios oficiais em sites investigados por divulgar notícias falsas, avança o jornal O Globo. O Governo do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, publicou milhões de anúncios oficiais em sites investigados por …

A covid-19 foi o balde de água fria de muitos países, mas pode ser uma oportunidade para a Nigéria

O mundo está a braços com uma pandemia e a Nigéria não é exceção. Agora que o país está a aliviar as restrições impostas para conter a disseminação do novo coronavírus, já se olha para …