/

Outras contas da Eurovisão: Ucrânia só precisava de 22.º no júri (e bateu recorde de Salvador Sobral)

Alessandro Di Marco/EPA

Kalush Orchestra após vitória da Ucrânia na Eurovisão

Stefania foi a primeira canção hip-hop a vencer o Festival da Eurovisão. Maro conseguiu um segundo melhor registo entre as prestações portuguesas.

Desta vez, as previsões acertaram: a Ucrânia venceu mesmo o Festival Eurovisão da Canção 2022.

A final do sábado passado, em Turim, ficou marcada por alguns números inéditos ou invulgares.

Analisamos esses dados, olhando para a classificação de cima para baixo.

O grupo ucraniano Kalush Orchestra foi o vencedor graças aos telespectadores: 439 pontos no televoto, um recorde no evento. Até os 376 pontos de Salvador Sobral, em 2017, foram superados. A diferença para o segundo classificado no televoto, a Moldávia, foi igualmente um recorde: 200 pontos.

No entanto, Amar pelos dois continua a ser a recordista. A canção de Luísa Sobral totalizou 758 pontos e Stefania amealhou 631 pontos.

Esta diferença deve-se ao quarto lugar da Ucrânia na pontuação atribuída pelos júris nacionais (192 pontos). Mas, devido aos 439 pontos do televoto, verifica-se que a Ucrânia só precisava do 22.º lugar nos júris – quase o último lugar – para vencer na mesma. Porque precisava apenas de 28 pontos dos júris para superar o Reino Unido.

Precisamente o Reino Unido ficou no segundo posto. Algo raro nos últimos 20 anos: um lugar cimeiro na Eurovisão. Ainda no ano passado o Reino Unido ficou no último lugar com zero pontos.

A Espanha terminou na terceira posição. Foi a primeira vez, nos últimos sete anos, que não terminou num dos últimos lugares (ou mesmo no último) do festival. E foi a primeira presença espanhola no pódio desde 1995.

O televoto permitiu à Sérvia saltar do 11.º lugar que estava entre os júris para o quinto lugar final: uma votação expressiva do público, com 225 pontos, após os 87 dos júris.

Percurso inverso para Portugal: apenas 36 pontos no televoto (15.º lugar) e 171 pontos dos júris – este 5.º lugar nos júris foi a segunda melhor prestação de sempre de Portugal na Eurovisão. Sim, só Salvador Sobral conseguiu melhor, com o primeiro lugar entre os especialistas.

https://www.youtube.com/watch?v=mZtbD47u6yI

A Alemanha não vai ficar com boas memórias de 2022: zero pontos entre os júris. Foi o único país a não merecer qualquer ponto por parte dos júris nacionais. E só teve seis pontos no televoto, ficando no último lugar do evento.

A Suíça não vai ficar com boas memórias de 2022: zero pontos no televoto. Foi o único país a não merecer qualquer ponto por parte do público. Valeram os 78 pontos dos júris, para ficar na 17.ª posição.

Os Big Five, os países que mais contribuem financeiramente para a União Europeia de Radiodifusão, apresentaram resultados opostos: Reino Unido e Espanha ficaram no pódio, França e Alemanha ficaram nos dois últimos lugares. Pelo meio, a anfitriã Itália, num bom sexto lugar.

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.