EUA. Agente russa Maria Butina será libertada da prisão

Pavel Starikov / Flickr

A agente russa Maria Butina

A agente russa Maria Butina, que se tentou infiltrar nos círculos republicanos para satisfazer os interesses da Rússia antes de ser presa por espionagem, deve retornar ao seu país após ser libertada na sexta-feira de uma prisão na Florida, Estados Unidos (EUA).

Maria Butina foi a única personalidade russa condenada na investigação de três anos sobre a interferência de Moscovo na política dos EUA. O seu objetivo era infiltrar-se nas empresas que tinham influência em políticos do país, tendo chegado aos EUA com um visto de estudante. Através dos seus contactos, chegou até Donald Trump, noticiou a NPR.

Acabou por ser detida em julho de 2018 por acusações de espionagem, embora não tivesse nenhuma conexão com as agências de espionagem da Rússia. Em dezembro, aceitou um acordo judicial admitindo que agia como agente estrangeiro ilegal e não registado, sendo sentenciada a 18 meses de prisão, quase metade da qual foi já cumprida.

Sob um forte ataque nos EUA por interferir nas eleições de 2016, Moscovo transformou a nativa da Sibéria numa celebridade, com o Ministério das Relações Externas a publicar a sua imagem nas redes sociais, com o ‘slogan’ “Free Maria” (“Maria Livre”).

A sua atual advogada, uma defensora pública de Washington, não respondeu a perguntas sobre os planos de Maria Butina, mas referiu num documento divulgado esta semana que a mesma voltaria à Rússia, informação também avançada por órgãos de comunicação russos.

Contudo, apesar da investigação, não ficou claro se Maria Butina era uma agente de inteligência posicionada para se infiltrar nos círculos políticos dos EUA ou apenas alguém que estava a criar, por iniciativa própria, canais de cooperação entre pessoas que foram vítimas de um nível mais alto de intriga relacionado à interferência nas eleições russas.

Numa entrevista à NPR, a partir da prisão em que ainda se encontra, referiu que, enquanto estudante de política na American University, procurava apenas envolver-se na “diplomacia civil”. “Nunca escondi o meu amor pela minha pátria nem por este país. Eu amo os dois países e estava a construir a paz”, declarou.

Os promotores do caso confirmaram que Maria Butina mantinha contato regular com a embaixada russa. Disseram ainda que, embora não fosse funcionária dos serviços de espionagem de Moscovo, participou de uma operação para “detetar e avaliar” os possíveis alvos de espionagem nos EUA.

“Não há dúvida de que ela não era simplesmente uma estudante de pós-graduação”, disse em tribunal o advogado norte-americano Erik Kenerson.

Apesar de no início ter negado, Maria Butina finalmente concordou declarar-se culpada pelas acusações, afirmando-se como um agente estrangeiro não registado. “Peço humildemente perdão. Não sou essa pessoa má retratada nos media, afirmou em tribunal antes de ser sentenciada.

Foi a partir de 2013 que começou a construiu uma ponte para os EUA através de contactos entre o seu pequeno grupo russo de direitos sobre armas e a National Rifle Association (NRA), um grupo norte-americano alinhado com os republicanos.

O seu grupo recebeu líderes da NRA na Rússia e, tanto Maria Butina como Alexander Torshin – vice-presidente do banco central russo que o Departamento do Tesouro sancionou em 2018 -, participaram de eventos da NRA e reuniões políticas nos EUA, onde se encontraram com republicanos influentes.

Ao participar num comício de Donald Trump, em 2016, Maria Butina foi escolhida para fazer ao futuro Presidente uma pergunta sobre as relações entre os EUA e a Rússia.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Desmantelada rede criminosa ligada à imigração ilegal para a Europa

A polícia italiana deteve hoje 19 pessoas de uma rede criminosa dedicada ao tráfico e transporte ilegal de migrantes do Afeganistão, Irão, Iraque e Paquistão para a Itália e, posteriormente, para o norte da Europa, …

Nasceu o SeeArch, uma espécie de colete salva-vidas para resgates em mar aberto

Se uma pessoa se separar da sua embarcação em mar aberto, permanecer à tona não é o único desafio. Ser visto pelos salvadores é uma missão importante que o novo SeeArch, usável e insuflável, vai …

Há 127 concelhos que vão manter os limites no fim de semana. Saiba quais

Os concelhos que mantém risco muito elevado e extremamente elevado terão de manter até dia 23 deste mês as atuais restrições, incluindo de limitação de circulação ao fim de semana. Houve 27 concelhos que saíram …

Piscina mais profunda do mundo inaugurada na Polónia

Com 45 metros de profundidade, a piscina Deepspot foi recentemente inaugurada na Polónia. Vai servir de zona de treino para mergulhadores, bombeiros e forças armadas. A piscina mais profunda do mundo foi inaugurada esta semana em …

Mais 6087 novos casos de covid-19 em Portugal. Este é o maior número da semana

Portugal registou este sábado 6087 novos casos e 73 mortes por covid-19. No total, mais de 318 mil pessoas já foram infetadas com o novo coronavírus e 4876 morreram. Nas últimas 24 horas, mais 6165 …

Sedada e com um capuz sobre os olhos, a girafa Asiwa foi resgatada de uma ilha no Quénia

Conservacionistas, autoridades do Governo e membros da comunidade local uniram-se para resgatar oito girafas numa ilha no Quénia. A população de girafas em África tem diminuído nas últimas décadas devido à perda de habitat e à …

Governo mantém restrições. Exceções no Natal, mas no Ano Novo volta a ser proibida a circulação entre concelhos

António Costa falou hoje ao país para anunciar as novas medidas para a quadra festiva. O primeiro-ministro revelou que no Natal as medidas serão aliviadas, como já se esperava, porém voltam a apertar no Ano …

Joe Biden está a planear uma tomada de posse em versão reduzida. Trump pode não marcar presença

A pouco mais de um mês de tomar posse como Presidente dos EUA, Joe Biden anunciou que está a planear reduzir a dimensão da cerimónia para garantir a segurança devido à pandemia. Segundo o Público, Joe …

O Peru enfrenta o maior desafio político desde a ditadura de Fujimori. A responsabilidade está nas mãos de Sagasti

O novo presidente do Peru assumiu o cargo em 17 de novembro em circunstâncias nada desejáveis. O país, que até ao ano passado vinha a ser apontado como um exemplo na área económica, enfrenta agora …

Três anti-histamínicos mostram eficácia a inibir infeção pelo coronavírus

Três medicamentos anti-histamínicos mostraram alguma eficácia a inibir a infeção de células pelo novo coronavírus responsável pela covid-19, segundo os resultados preliminares de um estudo da Universidade da Florida divulgado na sexta-feira. As descobertas sobre os …